Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Visão do Peão

Viduka

Heróis de Culto

Francisco Chaveiro Reis
21
Jun22

 

Australiano de origem croata, Mark Viduka fez uma carreira recheada de golos, passada maioritariamente na Premier League. Viduka, hoje com 46 anos, nasceu em Meulbourne e foi nos Knights locais que se começou a destacar. Com 47 golos em pouco mais do que duas épocas, ganhou o bilhete para a terra dos seus antepassados e juntou-se ao Dínamo Zagreb.

Em 1995, aos 20 anos, foi campeão e venceu a taça à primeira, marcando 13 golos, ao lado de Simic, Mamic, Soldo ou Maric (ainda passou pelo FCP). Nos dois anos seguintes, marcaria mais 39 vezes e voltaria a vencer ligas e taças. Já com Prosinecki, Miura e Sokota, ainda marcou 4 golos antes de se juntar ao Celtic. Na primeira meia época, 8 golos em 11 jogos ao lado de Larsson e zero títulos. Na época seguinte, aos 24 anos, vitória na taça da liga e 27 golos marcados.

Em 2000, aterrou em Leeds para quatro grandes anos. Nada venceria por lá, mas seria uma das figuras dos Leeds, semifinalista da Liga dos Campeões em 2001. Com Martyn, Woodgate, Radebe, Bakke ou Kewell, o Leeds foi segundo do seu grupo, na primeira fase, e na segunda, novamente segundo, atrás do Real Madrid e à frente de Anderlecht e Lázio eliminando depois, o Deportivo de Fran, Djalminha, Makaay ou Naybet. Viduka deixou o clube com 72 golos marcados.

Seguiu-se o Middlesbrough onde passou três épocas e onde deixou um registo de 42 golos. O ponto alto foi a chegada à final da Taça de UEFA em 2006. No estádio do PSV, goleada do Sevilha de Luís Fabiano, Kanouté e Maresca e fim do sonho. Viduka, ao lado de Jimmy, Boateng, Maccarone, Rochemback ou Southgate, deixou a sua marca. Passaria mais dois anos, em Inglaterra, marcando 7 vezes pelo Newcastle sem deixar muitas saudades.

Pela Austrália, fez 11 golos em 43 partidas. Esteve no Mundial de sub-20 em 1995, marcando 4 golos em 4 jogos. Foi eliminado nos quartos por Portugal, com bis de Agostinho. Quim, Beto, Bóia, Mariano ou Dani eram alguns dos portugueses titulares. Em 1996, esteve nos Jogos Olímpicos, marcando por uma vez. Marcaria mais uma vez, já como sénior, na Taça das Confederações de 1997, ficando em branco nos Jogos Olímpicos de 2000, na Taça das Confederações de 2005 e no Mundial 2006. Na última grande competição onde esteve, marcou 3 vezes na Taça Asiática de 2007.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.