Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Jamor negado

Sporting eliminado

Francisco Chaveiro Reis
22
Abr22

Visão de Peão.png

Se era difícil ao Sporting vencer no Porto e virar a eliminatória, mais difícil se tornou quando Slimani nem no banco se sentou. A relação do argelino e do treinador estará tensa e Amorim, no fim do jogo, voltou a dar uma bicada ao 9. Sem ele em campo, o Sporting perdeu por 0-1 e não vai ao Jamor. Ninguém sabe como seria com o argelino em campo, mas Paulinho, que tem os seus méritos, voltou a passar ao lado do jogo, não criando uma ocasião de perigo.

O Sporting terminará a época com a conquista da Supertaça e da Taça da Liga. Tendo em conta os últimos quarenta anos, grande parte deles a seco, não é mau, mas, tendo em conta as expetativas que Amorim trouxe com a sua qualidade, é mau. Numa semana, perdeu-se o campeonato (que era difícil) e a Taça (que era difícil) mas pior, parece ter-se perdido a equipa. O Sporting dos últimos dois jogos pareceu entrar derrotado e sem garra, mesmo que a exibição de domingo tenha sido bem mais interessante do que a de ontem.

Teria sido mais fácil perder ontem com Nuno Santos, Sarabia, Edwards e Pote a bombear bolas para Slimani e Coates, tentando até à última. Não aconteceu. É hora de vencer dois jogos e garantir o segundo lugar para preparar a época que aí vem. De preferência com Amorim e sem dúvida, com reforços, em especial na defesa e no ataque onde Toni Martinez, suplente do Porto, parece ter mais instinto de baliza do que todo o ataque leonino.

Sporting vai ao Dragão

Tentar virar as meias

Francisco Chaveiro Reis
21
Abr22

Visão de Peão.png

O Sporting não acabará a época em “seco”. Será, pelo menos, o vencedor da Supertaça e da Taça da Liga. Mas, ainda pode vencer a Taça de Portugal e esse é o grande objetivo do clube para a reta final da época, partindo do princípio de que o segundo lugar já não foge. O Sporting volta ao Dragão depois de lá ter empatado em fevereiro, num jogo marcado pela polémica dentro e fora de campo. Para chegar à final, o Sporting tem que anular o 1-2 da primeira mão.

O FCP, em vias de ser campeão, não quererá facilitar, mas não contará com Pepe, líder da equipa, castigado e possivelmente, nem com Uribe, lesionado. Marchesín deve avançar para a baliza, mas nem por isso o Porto estará mais fraco. Objetivamente, a vantagem do Sporting será a de querer mais vencer a Taça do que o adversário. Estará na atitude a grande diferença entre as equipas mesmo que o Sporting já se tenha mostrado superior no confronto direto. Aliás, até na primeira mão deu a sensação de dominar e ser favorito.

Amorim apostará em Adán na baliza e na defesa é previsível que avance o melhor trio: Inácio, Coates e Reis. Nas alas, há que atacar e Porro e Santos devem ser responsáveis por fazer as alas. No centro, Nunes está certo e não admira que Ugarte avance para o lugar de Palhinha. No ataque, com Pote em baixo de forma, não admira que Edwards se junte a Sarabia nas alas. Gostaria de ver Slimani de início, a fechar o 11.

No Porto, Marche será o guarda-redes e previsivelmente serão João Mário, Mbemba, Cardoso e Zaidu a fazer a defesa. Otávio, Grujic, Vitinha e Pepê; Vieira e Taremi devem completar o 11, sempre com Evanilson sem sentido.

Sporting goleia Leça

Normalidade reposta

Francisco Chaveiro Reis
12
Jan22

Design sem nome (1) (3).png

O Sporting voltou à sua normalidade – a vitória. Em Paços de Ferreira, goleou o Leça e está nas meias finais da Taça de Portugal, onde deve defrontar o Porto. Bruno Tabata foi o homem em destaque ao marcar dois, golos, o primeiro, com nota artística. Matheus Nunes e Nuno Santos marcaram os outros dois golos, numa noite em que Adán, Coates, Palhinha e Pote foram poupados.