Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Quaresma a acabar

Extremo em fim de carreira

Francisco Chaveiro Reis
12
Abr22

Visão de Peão.png

Inconstante, Ricardo Quaresma é dos melhores jogadores portugueses das últimas décadas, mas, suplente no Vitória, parece estar a chegar ao fim, uma carreira com mais de 20 anos. Quaresma, hoje com 38 anos, irmão de Alfredo, que como ele, esteve nas camadas jovens do Sporting, estreou-se no futebol sénior em 2001-2002, com Lazlo Boloni. Fazia parte de um plantel de luxo que contava com Jardel, Niculae, Sá Pinto, João Pinto, Paulo Bento, Pedro Barbosa ou André Cruz e à primeira, foi campeão e venceu a Taça. Esteve em 36 jogos, fazendo 5 golos e outras tantas assistências. Na época seguinte, venceu “apenas” uma Supertaça e já com Cristiano Ronaldo na equipa, fez 38 jogos, os mesmos 5 golos e 8 assistências. Aos 20 anos, mudou-se para Barcelona.

Não se deu bem na Catalunha, sob as ordens de Rijkaard. Talvez tenham sido as saudades de casa, talvez a juventude ou talvez a pressão enorme de estar num dos maiores clubes do mundo. Ainda esteve em 28 partidas, mas nunca ao nível de companheiros como Overmars, Kluivert, Ronaldinho ou Xavi. Curiosamente, depois de privar com Ronaldo, partilhou balneário com Messi. Regressou a Portugal e, na verdade, nunca vingou numa grande liga europeia. Quem o recebeu na nova fase foi o FCP, clube da sua vida, apesar de ter sempre frisado respeito ao clube que o formou.

No Dragão, conquistou rapidamente os adeptos e esteve, em quatro épocas, em 158 partidas, marcando 31 golos e fazendo 48 assistências, várias delas com a sua célebre trivela. Ajudaria a vencer três campeonatos, uma taça, duas supertaças e uma Taça Intercontinental. Apanhou Del Neri, Couceiro, Fernandez, Co Adriaanse, Barros e Jesualdo e conviveu com os históricos Baía, Costa, Lucho ou Helton, bem como com outras estrelas como Lisandro, Costinha, Maniche ou Derlei. Aos 25 anos, encheu-se de força e voltou a emigrar. Reforçou o Inter, de José Mourinho e parecia estar no momento certo para estar à altura de Ibrahimovic, Cruz, Crespo, Adriano ou Zanetti. E, tinha o apoio de Figo e Pelé. Voltou a não se dar bem, nunca justificando o investimento e fazendo apenas 1 golo e zero assistências em 19 participações. Mudar-se-ia a meia da época para Londres, onde o Chelsea de Scolari apostou nele e, voltou a falhar. Fez apenas 5 jogos ao lado de uma galáxia: Anelka, Drogba, Lampard, Deco ou Terry.

Em 2010, voltou a ser feliz e conheceu aquele que será o único clube a rivalizar com o FCP pelo coração do extremo: o Besiktas. Na Turquia teve duas épocas de sonho, tornando-se num ídolo eterno. Fez 18 golos em 73 jogos. Terá sido a vertente financeira que o fez mudar-se para os EAU, fazendo 11 jogos pelo Al Ahli. 2013 seria hora de regressar ao Porto para mais duas épocas: 67 jogos, 19 golos, 10 assistências e…0 títulos (chegou depois da Supertaça vencida). Sem ter os favores de Lopetegui, regressou ao Besiktas para mais quatro épocas e dois campeonatos. Cumpriu 154 jogos, marcou 19 golos e ofereceu 42!

Histórico do Besiktas, saiu aos 36 anos para o Kasimpasa, fazendo ainda 26 jogos e marcando 4 vezes. Na época passada, chegou a Guimarães, com grande entusiasmo. Aos 37 anos, já não tinha a mesma velocidade, mas mantinha toda a classe. Esteve em 31 jogos, marcou 4 golos e ofereceu 6. Esta época, está a começar a decair, tendo participado em apenas 24 partidas. O fim não estará longe, mas o orgulho de uma grande carreira estará sempre presente.

E, ainda nem falamos da seleção. Em 2000 era a estrela da seleção que venceu o Euro sub-16. Marcou os dois golos na final contra a Rep. Checa, liderando Custódio, Viana ou Meireles. Pelos A, foi trunfo na conquista do Euro 2016, marcando o golo da vitória contra a Croácia. Esteve ainda nos Euros 2008 e 2012 e no Mundial 2018, tal como na Taça das Confederações, um ano antes. Já não esteve no grupo que venceu a Liga das Nações, em 2019.

 

Quaresma mantém-se na Turquia

Francisco Chaveiro Reis
29
Ago19

67129639.png

Ricardo Quaresma deixa o Besiktas pela porta pequena, mas mantem-se na Turquia. Após desentendimento com o presidente do seu clube do coração (a par do FCP), Quaresma deve juntar-se ao Kasimpasa, continuando a viver em Istambul.

Aos 35 anos, Quaresma deixa quatro épocas consecutivas no Besiktas, a que se juntam mais duas entre 2010 e 2012. Pelo FC Porto, fez as mesmas seis épocas, igualmente em dois períodos.

O internacional português e campeão europeu deu nas vistas no Sporting e muito jovem mudou-se para o Barcelona. Não vingou e regressou a Portugal, para brilhar no Porto. Passou por Inter e Chelsea, falhando todas as tentativas de dar nas vistas nas melhores ligas da Europa. Foi nessa altura que o Besiktas o recebeu para dois bons anos. Passou uma época nos EAU, antes de regressar ao FCP. Seguiu-se o Besiktas, onde venceu dois campeonatos e uma taça. Marcou 54 vezes em quase 300 jogos.