Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Sem mudanças

Porto e Sporting vencem

Francisco Chaveiro Reis
05
Abr22

Visão de Peão (6).png

O Porto venceu o Santa Clara por 3-0 e continua firme na liderança na liga. Fábio Vieira (2) e Zaidu resolveram um jogo que se adivinhava difícil. No seu encalço, continua o Sporting, que na véspera venceu o Paços de Ferreira por 2-0. O primeiro, surgiu de grande penalidade, por Sarabia (leva 15 golos na época), a castigar falta do guarda-redes sobre Paulinho, num lance muito polémico. Um fabuloso passe de Ugarte, isolou Nuno Santos (décimo golo da época), que fez o 2-0 final. Na sexta-feira, derrota benfiquista em Braga. Iuri Medeiros e André Horta fizeram o Braga chegar aos 2-0 mas, Darwin e João Mário empataram. Aos 79´minutos, Vitinha (13 golos na época), deu a vitória. Primeiros cinco: Porto, 76 pontos; Sporting, 70; Benfica, 60; Braga, 52 e Gil Vicente, 46.

Porto isola-se

Francisco Chaveiro Reis
23
Jun20

Benfica-santa-clara-1.jpg

Em noite de São João, o FC Porto goleou o rival da cidade por 4-0 e é líder isolado do campeonato. O Boavista resistiu toda a primeira parte mas, Marega, aos 8´da segunda, desfez o nulo. Seguiram-se dois penaltys, marcados por Telles e Oliveira, que descansaram o Dragão. Marega fez, ainda, o 4-0 final, ante de um Boavista que tem feito um campeonato positivo.

Mal esteve o Benfica, que deixou escapar a liderança partilhada. Ante do Santa Clara, 4 golos sofridos, em casa. Ao cair da primeira parte, Carvalho adiantou os visitantes. Rafa empatou no inicio da segunda parte mas o Santa Clara voltou a marcar, por Sanussi. Em dois minutos, Carlos Vinicius bisou e adiantou o Benfica, pela primeira vez. Cryzan e Zé Manuel fariam a reviravolta e agudizaram a crise encarnada.

No pós-pandemia, o FCP soma duas vitórias, um empate e duas derrotas. Já o Benfica, dois empates, uma vitória e uma derrota. Certo é, que o futebol apresentado tem sido muito fraco. 

Largos dias têm cem anos

João Ferreira Dias
03
Jul19

Jorge Nuno Pinto da Costa usou esta frase na sua biografia e no começo da sua longa carreira de sucesso. No entanto, poderemos usar a mesma expressão para marcar o fim da era JNPC? A ascensão do SL Benfica representa, consequentemente, a queda do FCP, fenómeno antecipado e, por consequência, agravado pela mudança estratégica de Jorge Mendes dos ares do norte para o sul. Essa mudança representa o fim do ciclo de vendas do FCP e a ascensão das vendas astronómicas do Benfica. Bem sabemos que o mercado do futebol, nos dias que correm, só parcialmente diz respeito à qualidade dos jogadores. Nesse cenário, encontramos um Benfica projetado no mercado de forma inquestionável e capacitado, em resultado de boa gestão dos seus recursos, dominante do campeonato. O FCP é hoje um clube que contrata jogadores estrangeiros que, alegadamente, permitem volumosos negócios aos elementos da SAD, mas que são duvidosas aquisições desportivas, muitos dos quais jamais vestirão a camisola. A par disso, a aposta na formação é quase nula, muito provavelmente em resultado do clube se encontrar refém dessa estratégia da SAD. Assim, era capaz de apostar um jantar em como o Benfica irá renovar o título esta época. Contratar por vários milhões um avançado mediano como Zé Luís, cujas caraterísticas pouco diferem de Soares, esquecendo de encontrar um avançado mais móvel, o desinteresse pela formação e pelo mercado português, são sintomas deste fim de ciclo azul-e-branco que Jorge Mendes antecipou. Largos dias têm cem anos.