Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Saber vencer

Argentinos mal a festejar

Francisco Chaveiro Reis
21
Dez22

Visão do Peão (1).png

Admiro a garra argentina e a forma elevada como quase sempre jogaram futebol. Gostei da vitória no Mundial, mas é preciso saber vencer. Na eliminatória com a Holanda, Messi respondeu de forma pouco delicada a Van Gaal e ainda mandou bocas a um Weghorst derrotado. As caretas aos colegas de profissão, logo após caírem nas grandes penalidades, também não são dignas. Depois, a final. Uma vez, campeões, Martinez desrespeitou organização e franceses e continua a faze-lo em casa e Aguero, não deu melhor exemplo. Assim, não.

Dia final: Argentina campeã

Jogo de antologia

Francisco Chaveiro Reis
18
Dez22

Visão do Peão (11).png

Depois de um dos melhores jogos de sempre da história do mais bonito jogo do planeta, a Argentina é campeã do mundo e Messi consagra-se como um dos melhores jogadores de sempre, sendo que os que dizem que ele é mesmo o melhor sempre, podem não estar errados.

Em Lusail, marcou primeiro a Argentina, entrada com Di Maria no 11 e com uma tática que confundiu os franceses. Messi, pois, claro, de grade penalidade, fez o 1-0. Após toque de classe de Messi e cruzamento de Mac Allister, Di Maria, o melhor em campo na primeira parte, fez o 2-0. Parecia que a França estava condenada, mesmo que Deschamps tenha sido lesto a mudar a equipa, que ganhou muito com as entradas de Kolo Muani e Thuram. Cheirou ao 3-0, mas o golo seguinte seria francês e o outro, logo de seguida, também.

Mbappé, melhor marcador do torneio, reduziu, de grande penalidade, a dez minutos do fim. No minuto seguinte, mostrou que o funeral tinha que ser adiado. De forma acrobática, empatou. No tempo extra, Messi voltou a marcar e a França, a empatar, por Mbappé, de grande penalidade. Era o seu oitavo golo no Mundial.

Nas grandes penalidades, vitória argentina por 4-2, com Dibu Martinez a ser a estrela. Montiel marcou o golo da glória suprema. Grandes golos, incerteza, jogadas individuais e coletivas, boa visão do banco e muito mais, fizeram deste, um dos melhores jogos de sempre. Obrigado.

A terceira estrela

Francisco Chaveiro Reis
18
Dez22

Visão do Peão (8).png

Hoje, França ou Argentina serão campeãs do mundo. Quem vencer, conquistará o seu terceiro título. A França é campeã em título, após ter batido a Croácia, na Rússia, há quatro anos. O primeiro título tinha sido em 1998, vinte anos antes, em França, depois de um 3-0 ao Brasil. Já a Argentina foi campeã do mundo pela primeira vez em 1978, vinte anos do primeiro título francês, justamente na Argentina, numa prova marcada pela polémica, já que foi positiva para a ditadura militar. Também polémico foi o segundo título, de 1986, já que incluiu um golo de Maradona com a mão. Veremos quem desempata já hoje.

Benzema não será campeão

Não joga hoje

Francisco Chaveiro Reis
18
Dez22

Visão do Peão (6).png

Karim Benzema não será campeão mundial. O 19 da França lesionou-se antes da prova, mas lesionou-se e acabou por regressar a Madrid. Nunca foi substituído nos 26 e até já voltou a jogar, pelo Real Madrid. Assim, surgiu o rumor de que poderia jogar na final, tornando-se campeão e chegando ao ponto mais alta da sua carreira. O próprio confirmou que não entrará em campo. É justo para os colegas, mesmo que o Bola de Ouro tivesse merecido melhor sorte na sua relação com a equipa nacional.

Dia 22: Croácia terceira

Bateu Marrocos

Francisco Chaveiro Reis
17
Dez22

Visão do Peão (5).png

A Croácia bateu Marrocos por 2-1 com grandes golos de Gvardiol e Orsic e ficaram em terceiro lugar no Mundial 2022. A Croácia continua a ter prestações fabulosas em Mundiais: na estreia em 1998, ficou em terceiro e depois três participações sonde nem chegou aos oitavos, ficou em segundo em 2018 e em terceiro este ano. Marrocos, apesar da derrota, já fez história como a melhor equipa africana de sempre em Mundiais. Gvardiol, numa grande cabeçada, fez o 1-0. Outro central, Deri, empatou e Orsic, num remate em jeito, fez o 2-1 final. Este é conhecido como “o jogo que ninguém quer jogar”, mas ontem, não pareceu que fosse o caso.

O 11 do Mundial

Ao dia 21

Francisco Chaveiro Reis
15
Dez22

O Mundial não acabou mas creio que a final apenas decidirá o melhor jogador do torneio: Messi ou Mbappé, o onze, esse, para mim, é:

LIVA.png

Livakovic - Foi um esteio da equipa croata e ajudou e muito a eliminar o Brasil. É já falado para o Bayern de Munique. É seguido de perto por Bono, Dibu Martinez, Lloris ou Alisson;

HAKI.png

Hakimi - Não se percebe como não está até hoje no Real Madrid. É o melhor lateral direito do mundo e atacou e defendeu por Marrocos. Na hora de converter uma grande penalidade contra Espanha, mostrou toda a sua classe. Juranovic merece também uma nota;

Visão do Peão (4).png

Gvardiol - Aos 20 anos, é um fenómeno e está prestes a ser o melhor central do mundo. Contra Messi, todos falham e o lance genial do argentino, não mancha a sua boa prestação no Catar. Saiss, Aguerd ou Varene também seriam boas opções;

UPA.png

Upamecano - Representante do eixo da defesa francesa, menos acertada do que há quatro anos, mas ainda assim, fortíssimo. Rodou com Varane e Konaté, fazendo 4 jogos até à final.

Visão do Peão (6).png

Theo Hernandez - É um dos melhores laterais do mundo e o Milan começa a ser pequeno para ele. Juntou a toda a sua classe, dois golos, até à final. Borna Sosa e Acuña também estiveram em destaque;

ENZO.png

Enzo Fernandez - A Argentina melhorou muito com ele em campo (tal como com Mac Allister). O médio que joga em Portugal fez um grande golo e esteve em todos os jogos. Messi não tem vergonha de ser visto na sua companhia. Para patrão do meio campo, não se pode esquecer Modric, o 12.º melhor jogador do torneio e Bruno Fernandes;

ONA.png

Azzedine Ounahi - Franzino, o médio do último classificado do campeonto francês, é um herói improvavel mas a verdade é que impressionou o mundo, jogando a seis ou a oito, com força e muita tecnica. Não espantaria escolher os colegas Amrabat ou Amallah mas Ounahi foi o maior destaque. 

RABIOT.png

Rabiot - O médio, hoje na Juventus, nunca me encheu as medidas mas neste Mundial, sem Kanté nem Pogba, foi ele o destaque do meio campo francês. O colega Tchoumeni ou os croatas Brozovic e Kovacic também ficariam bem aqui;

GRI.png

Griezmann - O francês está mais maduro, vai até mais atrás e na meia final foi essencial a conter Marrocos. Além disso, chega à final com três assistências. A espaços, os japoneses Asano, Mitoma e Doan, também prometeram muito;

MESSE.png

Messi - Não fez grande ano no PSG mas tem deslumbrado no Catar, sobretudo na segunda fase. Leva cinco golos e fez uma jogada Maradoniana nas meias finais. Julian Alvarez, Ziyech ou Boufal também foram referências ofensivas; 

Visão do Peão (7).png

Mbappé - É o centro da campeã do mundo e finalista e leva cinco golos. Em termos de goleadores, estiveram também em destaque Giroud, Gakpo, Kramaric ou Ramos.

Visão do Peão (5).png

Treinador - Com armas desiguais superou Bélgica, Espanha ou Portugal e deu muita luta a França. Walid Regragui foi o treinador em destaque, sem se poder tirar valor a homens como Scaloni, Deschamps, Dalic, Hajime Moriyasu, Hervé Renard, Graham Arnold ou Carlos Queiroz.

Bicampeões

Podem ser

Francisco Chaveiro Reis
14
Dez22

Visão do Peão (1).png

 

Quatro anos depois, a França, sendo campeã vai coroar Lloris, Mandanda, Areola, Pavard, Varane, Lucas Hernandez, Griezmann, Giroud, Mbappé de Dembelé. Thuram pode igualar o feito do pai, mesmo sem o mesmo brilhantismo. Theo pode ser campeão do mundo, como o irmão, que seria bicampeão. 

Dia 21: França finalista

Marrocos cai de pé

Francisco Chaveiro Reis
14
Dez22

Visão do Peão.png

A Taça do Mundo será, no domingo, disputada entre Argentina e França. A resistência marroquina durou cerca de cinco minutos, altura em que Theo Hernandez inaugurou o marcador e lançou a França para a sua segunda final consecutiva. Marrocos, mesmo sem Aguerd (lesionado), nem Cheddira (castigado), deu boa conta de si e dificultou e muito a vida a França, tendo tido um lance polémico em que deveria ter sido marcada grande penalidade, que, possivelmente daria o empate. Marrocos, com o golo sofrido tão cedo, foi obrigado a assumir o jogo e não pode ficar atrás, na expetativa, mas mostrou qualidade. Porém, foi a França a fazer o segundo golo da partida, a cerca de dez minutos do fim, após jogada individual de Mbappé e sobra de bola para Kolo Muani se estrear a marcar pela seleção.

A França, campeã em 1998 e 2018, chega à sua quarta final mundial e a Europa mantem a tradição de ter sempre um representante na final da prova. Didier Deschamps continua sem mexer muito na equipa (nem chamou os 26 jogadores que poderia ter chamado), tendo feito apenas duas alterações hoje. Areola ainda não jogou e Kolo Muani, Camavinga, Veretout, Guendouzi, Saliba, Pavard e Mandanda só foram chamados uma vez.

Dia 20: Argentina finalista

Messi e Julian em grande

Francisco Chaveiro Reis
13
Dez22

Visão do Peão (1).png

Ao vigésimo dia, não houve surpresa e a Argentina está na final do Mundial 2022. A Croácia deu boa conta de si, sobretudo através de suspeitos do costume como Modric, Kovacic ou Perisic mas a Argentina foi-se apoderando do jogo até que aos 34 minutos, Messi ganhou e converteu uma grande penalidade, adiantando os argentinos. Cinco minutos, na sequência de um canto para a Croácia, recuperação de bola e Julian recebe a bola ainda antes do meio campo e após passar por diversos adversários, faz o 2-0- Fatal. Com sorte e ressaltos, não deixa de ser um belo golo. Aos 68 minutos, ainda maior nota artística, com Messi, pela direita, em jeito, força e talento, a passar por toda a gente e a oferecer o 3-0 final a Julian, que fez o seu segundo golo do jogo e quarto do Mundial (menos um do que Messi). Domingo há encontro com França ou Marrocos.

Trocas mundiais

Novos selecionadores

Francisco Chaveiro Reis
13
Dez22

Visão do Peão (3).png

As diversas eliminações de equipas nacionais do Mundial fizeram com que vários selecionadores deixassem o cargo. Em Espanha, Luis Enrique, agora apontado a Manchester United, deixou o banco e já foi apresentado o sucessor: Luis de la Fuente, que fez grande trabalho nas camadas jovens da seleção espanhola. Na Holanda, terminou o ciclo de Van Gaal (o terceiro) e começa em breve o de Ronald Koeman (o segundo). Em Inglaterra, fala-se na saída de Gareth Southgate e há três nomes apontados: Mauricio Pochettino, Thomas Tuchel e Brendan Rodgers. No Brasil, já se sabia que Tite sairia após o Mundial, fosse qual fosse o percurso do Escrete e aí, a lista de candidatos é vasta, desde os consagrados Carlo Ancelotti e Pep Guardiola até aos portugueses Abel Ferreira, Luís Castro ou Jorge Jesus. Prevê-se, claro, que em Portugal, Fernando Santos também saia. Apesar de apostar em Rui Jorge, é inevitável pensar em homens como José Mourinho, Jorge Jesus, Abel Ferreira ou Leonardo Jardim.

Saíram ainda Paulo Bento (Coreia do Sul), Tata Martino (México), Otto Addo (Gana), Carlos Queiroz (Irão), Roberto Martínez (Bélgica) e Gustavo Alfaro (Equador).