Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Alemanha

Mercado fechado

Francisco Chaveiro Reis
31
Jan23

Visão do Peão.png

Fechou o mercado na Bundesliga. A transferência de maior relevo foi mesmo a ida de João Cancelo para o Bayern de Munique. O mesmo Bayern, pela mesma razão, lesão de um titular, foi também buscar o guarda-redes Sommer ao Borussia Mochengladbach. Por sua vez, o Borussia contratou o também suíço Omlin ao Montpellier, por 9 milhões de euros, a maior transferência da janela de inverno. Destaque para o União de Berlim, que quase teve Isco, mas não quis entrar em loucuras e contratou Juranovic ao Celtic, por mais de 8 milhões, ele que foi um dos destaques da Croácia no mercado. Nota para o Dortmund, que passa a contar com o adolescente belga Duranville, que custou mais de 8,5 milhões e para Ajorque, experiente avançado que deixou França pela primeira vez para jogar pelo Mainz, por 6 milhões.

Jorginho no Arsenal

Deixa o Chelsea

Francisco Chaveiro Reis
31
Jan23

Visão do Peão (4).png

É mais uma movimentação surpresa. Jorginho, italiano nascido no Brasil, troca o Chelsea pelo Arsenal, arriscando-se a ser campeão daqui a poucos meses, algo que nunca alcançou em Inglaterra. Jorginho, em final de contrato com o Chelsea, no qual passou quatro épocas e meia, vencendo uma Liga Europa, uma Liga dos Campeões, uma Supertaça Europeia e um Mundial de Clubes. Pelos blues, fez 213 jogos, marcando 29 golos e fazendo 8 assistências. No meio campo do Arsenal, Jorginho lutará com Partey e Xhaka por um lugar no onze.

Gracias, Porro

O 24 já está em Londres

Francisco Chaveiro Reis
31
Jan23

Visão do Peão (3).png

Pedro Porro está prestes a ser anunciado como reforço do Tottenham. O espanhol, que custou cerca de 8 milhões de euros ao Sporting despede-se, deixando muitas saudades desportivas e ao que sei, pessoais, e deixa no cofre do Sporting mais de 47 milhões e ainda mais uma percentagem do passe de Marcus Edwards. Porro vai tornar-se no quarto lateral direito mais caro de sempre. À sua frente, nesta lista milionária, estão Hakimi, quando se transferiu do Inter para o Bayern; Cancelo, da Juventus para o Manchester City; Wan-Bissaka, do Crystal Palace para o Manchester United e Walker, do Tottenham para o Manchester City. Porro torna-se, ainda, na segunda maior venda do Sporting, apenas superado pela venda de Bruno Fernandes para o Manchester United.

Pelo Sporting, o espanhol foi campeão uma vez e venceu duas Taças da Liga tendo sido o herói supremo numa delas ao marcar o único golo na final contra o Braga, em 2021. Apesar de ser defesa, Porro esteve sempre muito envolvido no ataque, tendo marcado 12 golos e feito 20 assistências em 98 jogos.

No Tottenham encontrará p futebol exigente e ofensivo de Antonio Conte e deverá ganhar a luta pelo lugar a Doherty, bem mais limitado e a Emerson, que parece não contar muito (seria interesse vê-lo em Portugal já que tem qualidade, mas os voos em Barcelona e Premier League mostraram-se muito altos). Porro lutará por um lugar na Champions League, mas pelos Spurs não ambicionará mais do que isso sendo provável que esta seja mais uma etapa antes de se tornar titular da seleção espanhola e rumar a um clube ainda maior.

Surpresa de inverno

Cancelo no Bayern

Francisco Chaveiro Reis
30
Jan23

Visão do Peão.png

 

É a surpresa da janela de transferências. João Cancelo vai trocar o Manchester City pelo Bayern de Munique, sendo que a operação se trata de um empréstimo. Pep Guardiola perde um titular, que jogou com sucesso nas duas laterais da defesa e que o espanhol elogiou muitas vezes. Já o Bayern recebe um excelente jogador, sendo que no verão tinha conseguido vencer a corrida pelo passe de Noussair Mazraoui, marroquino que contraiu Covid-19 há umas semanas e estará a enfrentar sequelas. O jovem Stanisic tem garantido o lugar. Cancelo participou em 26 jogos esta época, tendo marcado 2 golos e feito 5 assistências. O negócio não incluirá clausula de compra obrigatória, sendo que se o Bayern avançar para a compra, terá que desembolsar cerca de 70 milhões de euros pelo jogador de 28 anos.

Com a venda de Zinchenko ao Arsenal, no verão e a indisponibilidade de Mendy, a ser julgado, o City fica enfraquecido nas alas defensivas. Além das possíveis adaptações de Akanji, Aké ou Stones, sobram apenas Walker e Sergio Gomez. O negócio seria menos estranho se tivesse envolvido uma contrapartida financeira e se o City tivesse, por exemplo, contratado um jovem como Malo Gusto ou recuperado Pedro Porro. Veremos o que fazem os ingleses até ao fim do mercado.

Cancelo deixa Manchester após 154 partidas, 9 golos e 21 assistências. De azul celeste venceu duas Premier League e duas Taças da Liga.

King Kazu em Portugal

Miura reforça a Oliveirense

Francisco Chaveiro Reis
27
Jan23

Visão do Peão (1).png

Aos 55 anos, Kazu Miura vai ser reforço da Oliveirense, da segunda divisão portuguesa. King Kazu, provavelmente o melhor jogador japonês de sempre, chega ao clube detido pelo Grupo Onodera, o mesmo que detém o Yokohama FC, ao qual Kazu está ligado desde 2005. Miura, que completa 56 anos já em fevereiro, chega como reforço de facto, levando 18 jogos e 2 golos esta época, mas sobretudo como estratégia de marketing que vai elevar o perfil do clube e da segunda liga portuguesa.

Mas, ter Kazu em Portugal é uma fabulosa notícia, uma vez que se trata de uma lenda. Nascido no Japão, procurou melhorar-se, partindo muito jovem para o Brasil onde acabou a formação na Juventus, antes de jogar por Santos, Palmeiras, Matsubara, CRB, XV de Jaú e Coritiba, onde mais se destacou. Ainda regressou ao Santos mas aos 24 anos regressou ao Japão para se tonar na maior estrela da J-League. Quatro anos e 69 golos depois, pelo Verdy Kawasaki, hoje Tokyo Verdy, passou pelo Génova, sem grande sucesso, antes de mais quatro anos e 64 golos pelo Verdy, tentou a sorte no Dinamo Zagreb, regressando pouco depois ao Japão, desta vez para dois anos no Kyoto Sanga. Seguiram-se quatro anos e meio no Vissel Kobe, antes de se vincular ao Yokohama FC. Passou pela Austrália, mas de 2006 a 2021, desafiou toda a lógica e foi jogando e marcando apesar do avançar da idade. Jogava agora no Suzuka Point Getters, do meio da tabela da segunda divisão japonesa.  Pelo seu país, jogou 91 vezes, marcando 55 vezes.

Vem aí Lamptey

Para render Porro

Francisco Chaveiro Reis
26
Jan23

Visão do Peão.png

Depois de vários nomes, parece que o eleito para render Pedro Porro é Tariq Lamptey, ala do Brighton. O internacional ganês deve custar mais de 10 milhões de euros, por metade do passe, mas parece ser a melhor e mais capaz opção, daquelas que foram sendo apontadas pela imprensa. Lamptey (sem relação com o médio que jogou na União de Leiria no fim dos anos 90) é fruto das escolas do Chelsea e chegou a ser internacional jovem por Inglaterra. Como sénior só fez três partidas pelos blues, tendo-se mudado para o Brighton and Hove Albion. Esta época leva 20 jogos e um golo.

Enigma Silva

Salta para o PSV

Francisco Chaveiro Reis
25
Jan23

Visão do Peão (11).png

Fábio Silva é reforço do PSV, por empréstimo do Wolverhampton. O português brilhou nas camadas jovens do FCP antes de fazer três golos pelo equipa principal. Foi suficiente para ser vendido aos Wolves por mais de 40 milhões. Na Premier League, quatro golos em duas temporadas. Muito pouco para um goleador pago a peso de ouro. Este ano, acabou emprestado ao Anderlecht e em 32 partidas, 11 golos. Bons números. Mas, a 11.ª posição do clube de Bruxelas, na tabela, terão pesado na decisão de ser emprestado ao PSV, que luta pelo título e perdeu Gakpo e Madueke. Se correr bem, Silva, sairá com maior prestígio mas a pressão de um projeto mais ambicioso de onde saíram verdadeiros wounderkids pode ser-lhe fatal. E ainda não será desta que faz uma época completa de qualidade e…golos.

O topo do mercado

2000-2001

Francisco Chaveiro Reis
25
Jan23

Visão do Peão (7).png

 

2000-2001 foi uma época de grandes contratações. No topo, claro, a ida de Figo, do Barcelona para o Real Madrid, por 60 milhões de euros, mas o destaque são as seis entradas de jogadores para equipas italianas, algo impensável nos dias de hoje em que o Cálcio se tornou secundário.

Passemos por Figo, cujo caso e carreira dispensam apresentações e passemos para o número dois do top dez de 2000-2001. Aos 25 anos, Crespo trocou o Parma pela Lázio. Eram os melhores dias da equipa de Roma que não se coibiu de gastar mais de 56 milhões no argentino. Crespo, que já levava quatro anos de Itália, passou duas épocas no Olímpico de Roma, fazendo 39 golos em 54 jogos. No entanto, só venceu uma Supertaça. Saiu por cerca de 40 milhões de euros, numa altura em que se começava a perceber que talvez a Lázio estivesse com problemas financeiros. Esta foi também a época em que outro goleador argentino, Gabriel Batistuta, trocou o seu clube de sempre, a Fiorentina, por Roma. Batigol chegou à Roma por 36 milhões. Na estreia, foi, finalmente, campeão em Itália e fez 21 golos. Marcaria mais 12 antes de rumar ao Inter, por empréstimo. Não surpreende que os líderes destas listas sejam os avançados. No verão de 2000, o PSG fez a pequena loucura de contratar Anelka ao Real Madrid por 34 milhões. Aos 21 anos, o francês tinha despontado no PSG, precisamente, brilhando no Arsenal e falhado em Madrid. Fez 18 golos em ano e meio e regressou à Premier League, emprestado ao Liverpool e depois vendido ao City por menos de metade do que custou. Curiosamente o top cinco termina com um defesa. Rio Ferdinand, um dos mitos da Premier League, trocou então o West Ham, onde se formou, pelo Leeds. Fez parte da equipa que atingiu as meias final da Liga dos Campeões e passadas duas épocas, o United foi busca-lo por 46 milhões.  

Seguiu-se Savo Milosevic, visto pelo Parma como substituto de Crespo. Fez 14 golos em época e meia e saiu para Espanha. Não foram os 25 milhões mais bem gastos pelo Parma. O mesmo se pode dizer da ida de Flávio Conceição para o Real Madrid pelos mesmos 25 milhões. O brasileiro não rendeu o mesmo que na Corunha e saiu a custo zero, quatro épocas depois, com um empréstimo ao Dortmund, pelo meio. Fantástico foi o negócio que fez Trezeguet aterrar em Turim. Por 23 milhões de euros, o francês tornou-se no grande goleador da Juve, fazendo 171 em 320 jogos. Por cerca de 23 milhões, Almeyda, médio defensivo, deixou a Lázio e reforçou o Parma. Ou seja, na verdade, Crespo custou à Lázio, 33 milhões mais o passe de Almeyda. Sem surpresa, o argentino nada venceu em Parma e 50 jogos depois rumou ao Inter.

A lista acaba com Piojo Lopez, que chegou à Lázio por 23 milhões, após quatro bons anos em Valência. Passou quatro anos em Roma, fazendo 10 golos por ano. Nada de fabuloso mas dificilmente pode ser visto como um falhanço.

Mercado falhado

Sporting terá resto de época penoso?

Francisco Chaveiro Reis
25
Jan23

Visão do Peão (10).png

 

A fazer uma época dececionante, já se percebey que não será o mercado de janeiro a “salvar” o Sporting. Ou os que já lá estão melhoram a olhos vistos ou o Sporting parece condenado a falhar a Liga dos Campeões. Era esperança da massa associativa, que chegassem reforços de qualidade, mesmo sabendo-se que o dinheiro não abunda.

Para a defesa, fazia falta um Saint Juste que aguentasse pelo menos 90 minutos. O neerlandês é bom jogador quando está em campo, mas tem tendência para passar mais tempo lesionado. Meia época depois já não parece fugir ao rótulo de grande desilusão. Assim, seria bom que chegasse um bom central que jogasse pela direita, libertando Inácio para a esquerda do trio defensivo, que é onde joga melhor e dando mais uma opção a Amorim. O escolhido parece ser Diomandé e por 7 milhões. Ousmane Diomandé tem apenas 19 anos, é natural da Costa do Marfim e joga no Mafra, por empréstimo do Midtjylland. Confiando no scout, não se pode dizer que seja jogador para ser imediatamente titular, nem que seja um nome que entusiasma. Sabendo-se que na nossa liga até jogadores sem grande projeção, como Feddal, podem ser bons valores, desilude a não chegada de um homem mais experiente para atacar o resto da liga e a Liga Europa.

No meio campo, reside o grande problema desde agosto. Nunes saiu nas vésperas da ida ao Dragão e chegou Sotiris, que nem joga exatamente na mesma posição nem se impôs até hoje. Aliás, parece perder espaço todas as semanas. Um bom oito seria muito bem vindo já que Morita não chega, Sotiris parece que nunca chegará, Bragança que teria o seu ano de afirmação ainda está lesionado e Mateus parece verde. Não há esse reforço em vista. Numa jogada de aproveitamento do mercado, chegou Tanlongo. O adolescente argentino nunca será um mau negócio, já que veio a custo zero e tem um salário baixo. Além disso, mostra raça e personalidade e em breve pode ser uma dor de cabeça para Amorim.

Nas alas, a história parece prestes a repetir-se. Nas vésperas da ida ao Dragão, saiu Nunes. Nas vésperas de defrontar o Porto, numa final, está prestes a sair Porro. Claro que é difícil a um clube português recusar mais de 40 milhões de euros por um jogador, sobretudo no vaso do espanhol que deve sair pela clausula mas tal como Nunes, sai um dos melhores, sem substituto à altura à vista. A não ser que contrate um craque de nível mundial, Esgaio será titular nos próximos tempos até que o substituto de Porro se adapte e seja mais valia, partindo do princípio que se acerta. Histerismo à parte, Esgaio tem o seu valor, mas está muitos furos abaixo de Porro e o Sporting precisa é de melhorar. Aqui é impensável que não se invista e o nome mais falado é o de Milan van Ewijk que vem do meio da tabela da liga holandesa. Pela esquerda, o Sporting depende de Santos já que Reis faz falta lá atrás. Santos tem garra, cruza e marca, mas algo me diz que faz mais falta mais à frente, já que Jovane ou Rochinha pouco acrescentam. Para o render, só há Arthur, também ele extremo e também ele, apesar de ter momentos, pouco mais do que mediano. Lelo, do Casa Pia, foi apontado, mas esse parece ser um negócio parado. Por falar em parado, se Vinagre não joga no Everton, que regresse para que se tente aproveitar o colossal investimento.

No ataque, apenas Edwards é um verdadeiro craque e não é sempre. Santos é desviado para fazer a ala toda e está mais longe do golo, mesmo continuando a cruzar muito e bem; Pote, não havendo 8, vai sendo desviado para o meio campo e Trincão é inconstante. Jovane, Rochinha e Arthur não fazem um Sarabia. Claro que se sabe que o que Sarabia ganha é incomportável, mas o Sporting precisa de mais qualidade nas alas da frente. E não a vai ter neste mercado. Casper Tengstedt foi apontado, mas acabou no Benfica. Não é um nome que entre logo, mas era melhor do que nada, que é o que teremos.

No ataque, já se sabe. Amorim só tem olhos para Paulinho e aposta em Chermiti como alternativa. Ribeiro, que até parece ser o mais goleador, quase não joga. Ir ao mercado buscar quem marque golos como forma de vida, como tivemos Liedson, Slimani ou Dost é que está fora de questão. E sem golos, o resto da época adivinha-se penosa.

O topo do mercado

1993-1994

Francisco Chaveiro Reis
24
Jan23

Visão do Peão (8).png

 

1993-1994 foi outra época interessante em termos de contratações. No top dez constam, sete operações de clubes italianos mas a grande contratação do ano foi Di Livio, extremo italiano que trocou o Pádova pela Lázio por quase 13 milhões de euros. Titular instantâneo, ficou em Turim até 1999, vencendo 9 títulos com a camisola 7 da Juve. Dinheiro bem gasto. Boksic, que também jogaria na Juventus, foi o segundo mais caro da época, custando 11 milhões à Lázio. Vindo do Marselha, o croata ficou três épocas, sendo vendido por menos de metade do valor que custou, à Juventus, que o revenderia à Lázio por cerca de 1 milhão. Foram 37 golos em seis épocas, não sendo um grande negócio. O que levou Bergkamp a trocar o Ajax pelo Inter, também não. O holandês, visto como um dos avançados mais promissores de então custou quase 10 milhões de euros e nunca foi o que tinha sido na Holanda, muito menos o que seria depois no Arsenal. Em dois anos, 29 golos em 81 partidas e a conquista de uma Taça UEFA. Vendido por mais de 11 milhões de euros, acabou por não ser um mau negócio para o Inter.

O top cinco acaba com Keane e Romário. Roy Keane, já se sabe, tornou-se líder e capitão do United, pelo qual venceu tudo. Logo, os 8,5 milhões gastos em 1993 para o tirar do Forest, foram um grande negócio. E, Romário, também. Fez 32 golos na época de estreia, “pagando” os 8 milhões que o Barcelona desembolsou junto do PSV. Ainda fez 7 golos no ano seguinte antes do apelo do regresso ao Rio falasse mais forte do que a estadia num gigante europeu. O Flamengo pagou 6 milhões e o Barcelona ficou com os golos e com pouca perda económica.

A lista continua com David Platt. Hoje parece ficção que um internacional inglês se mudasse para Génova. Mas Platt chegou ao Bari, passou pela Juve em 1993, a Samp deu quase 8 milhões por ele. Platt fez 66 jogos e 20 golos de azul, venceu uma Taça de Itália e foi às meias finais da FA Cup antes de rumar ao Arsenal, por 7 milhões. Continuamos em Itália, onde o Milan pagou 7,5 milhões para contar com Brian Laudrup, campeão europeu pela Dinamarca. Avançado móvel, brilhava na Fiorentina e na única época em Milão, pouco rendeu, saindo para a Escócia a…custo zero. Quase no fim da lista, temos Marchegianni. Guarda-redes italiano, passou uma vida na Lázio, começando a sua estadia em Roma em 1993, a troca de 7 milhões. Veio do Torino e fez dez anos nos laziale, vencendo diversos títulos.  Aos 21 anos, o avançado escocês Duncan Fergunson custou 6 milhões aos Rangers, que o foram buscar ao Dundee United. Jovem, acabou por ter pouco sucesso e rumar ao Everton, que cobriria o valor gasto pela equipa de Glasgow. A lista termina com a ida de Panucci para o Milan, por 6 milhões, oriundo do Génova. O lateral fez parte de grandes equipas do Milan, saindo em 1997 para o Real Madrid.