Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Alemães por cá

E portugueses por lá

28
Set21

Design sem nome (1) (11).png

Hoje é dia do Sporting visitar a Vestfália para um resultado, espera-se, bem melhor do que o da estreia na Liga dos Campeões. Mesmo que se confirmem as ausências de Reus e Haaland, o Borussia Dortmund é uma equipa complicadíssima e com mais experiência europeia. Mas, deixo para os meus colegas de bancada, a antevisão. Sugiro uma viagem no tempo. Que portugueses jogaram no Dortmund? Que alemães jogaram pelo Sporting?

Começo por uma menção especial a Tinga. O médio braseiro jogou nos dois clubes, tendo mostrado por a sua classe, mas deixando muitas mais saudades na Alemanha. O internacional brasileiro passou por Alvalade vindo do Grémio e voltaria para a mesma cidade, para jogar no rival Inter, 24 jogos e 1 golo depois. O 77 andou por cá entre 2004 e 2005. Em 2006 aterrou em Dortmund para fazer 113 jogos e marcar 12 golos. Curiosamente jogou com Hummels, que hoje está de novo no plantel do BVB. No início dos amnos 2000 também andou por cá, Jovan Kirovski, hoje prestigiado diretor desportivo do LA Galaxy. Vindo do Dortmund, onde marcou passo, veio para Lisboa...marcar passo. 7 joguitos e 0 golos. 

Mas, vamos ao que interessa mesmo que a história seja curta. Em termos de portugueses, lembremos Paulo Sousa. O médio defensivo que fez a formação no Benfica, mas passou pelo Sporting antes da aventura internacional, jogou pelo Dortmund entre 1996 e 1998 vencendo uma Liga dos Campeões e uma supertaça alemã. Hoje, treina a Polónia, estrelada por Lewandowski, que despertou para a primeira divisão do futebol europeu, ao serviço do Dortmund, tendo como companheiros dois lendários polacos da história do Dortmund: Kuba Błaszczykowski (9 épocas) e Lukasz Piszczek (11). Mas já vamos na Polónia e queremos ir para França, onde nasceu Raphael Guerreiro, campeão da Europa por Portugal em 2016 e titularíssimo do Dortmund desde…2016.

Em 2003 chegou a Lisboa, Fábio Rochemback, um médio forte e com potente remate. Internacional brasileiro vindo do Barcelona, faria 66 jogos, 13 golos e 15 assistências. Regressaria para uma segunda passagem menos brilhante: 34 jogos, 1 golo e 3 assistências. Mas o que tem o rapaz nascido em Soledad a ver com a Alemanha (onde nunca jogou)? Fábio, como o sobrenome indica, é descendente de alemães e tem dupla nacionalidade. No verão de 2010 chegou, finalmente, um alemão nascido na Alemanha: Timo Hildebrand, esporádico internacional trocou o Hoffenheim pelo Sporting. Deu com Patrício e só fez 3 jogos. Regressou à Bundesliga e nunca mais nenhum alemão foi visto a jogar de listas verdes (o Greuther Furth não conta). 

Também Cédric Soares e Marinho nasceram na Alemanha. Mário Teixeira da Costa, nascido na República Federal da Alemanha, juntou-se às escolas do Sporting a meio dos anos 80, tendo-se estreado pela equipa principal em 1988-1989. Faria 81 jogos. Outro lateral direito nascido na Alemanha, curiosamente em Singen, a mesma cidade que viu nascer Marinho, chegaria à equipa principal em 2010-2011. Cédric faria 94 jogos, 2 golos e 6 assistências. 

Pesadelo

Ajax humilha Sporting em casa

16
Set21

Design sem nome (7) (1).png

O Sporting começou da pior forma possível a sua participação na Liga dos Campeões. A fazer lembrar as terríveis goleadas sofridas ante do Bayern, o campeão português foi cilindrado pelo Ajax que, convenhamos, é uma boa equipa, mas não é um gigante europeu, atualmente. Aos 8 minutos já o gigante Haller tinha feito dois golos facílimos com Vinagre a ficar muito mal na fotografia. Num lance com alguma sorte Paulinho ainda reduziu, mas ao Ajax bastou acelerar um pouco para ver Berghuis fazer o 1-3 ao intervalo. O Sporting voltou com garra e Paulinho fez um golão de cabeça. Foram segundos de festa e esperança, antes do VAR assinalar fora de jogo. Derrotado, o Sporting veria Haller fazer mais dois.

Chelsea é bicampeão

Favorito City caiu no Porto

29
Mai21

 

Propaganda de Moda Capa para Facebook (5) (4).png

A má imagem deixada por parte dos adeptos ingleses que “invadiram” os bares portuenses foi contrariada pela excelente imagem deixada por Chelsea e City, em campo. Guardiola arriscou, prescindido de um médio defensivo, deixando Fernandinho e Rodri no banco e colocando Gundogan mais atrás do que o normal. Num jogo frenético, foi o Chelsea, mais cauteloso, que acabou por se ver em melhores condições de inaugurar o marcador. Não fosse o desacerto de Werner e os blues teriam ficado a vencer mais cedo. O golo só surgiria à beira do intervalo, numa falha defensiva do City que permitiu que Kai Havertz marcasse pela primeira vez na vida, na Liga dos Campeões. Que maneira de se estrear. O City tudo tentou mas não conseguiu o empate e quem sorriu foi Tuchel que havia sido finalista derrotado no ano passado, ao leme do PSG.

Vitórias ao intervalo

Chelsea, PSG, City e Real na frente

08
Abr21

Propaganda de Moda Capa para Facebook.jpg

Ao intervalo dos quartos-de-final da Liga dos Campeões, Chelsea, PSG, Manchester City e Real Madrid levam vantagem. Na terça, o Real Madrid, que parece sempre acordar nesta fase da época, bateu o Liverpool por 3-1, no Estádio Alfredo Di Stefano. Vinicius (ou Vini Jr.) foi o destaque da noite, ao bisar. Pelo meio, Asensio fez o 2-0 e Salah, o 2-1. Diogo Jota voltou a ser dos melhores da sua equipa e jogou 81 minutos. Na mesma noite, em Manchester, Ederson fez de tudo para Haaland não marcar e foram De Bruyne e Foden a fazer os golos da vitória. O inglês marcou aos 90 minutos, contrariando o empate de Reus, 6 minutos antes. Pelos vencedores, jogaram Cancelo, Ruben e Bernardo e, pelo Borussia Dortmund, Raphel. Ontem, em Sevilha, o Porto foi bem melhor mas perdeu por 0-2. Mount e Chilwell aproveitaram infantilidades de Zaidu e Corona. Já em Munique, mandou o PSG, com Danilo. 2-3 com bis de Mbappé e outro de Marquinhos, contra Choupo-Moting e Muller. Dos derrotados, o mais inconformado será, sem dúvida, este Bayern, máquina trituradora e campeão em título.

PAOK no caminho do Benfica

31
Ago20

54083.jpg

O PAOK é o adversário do Benfica na pré-eliminatória da Liga dos Campeões, disputada apenas num jogo (15 ou 16 de setembro). Os comandados de Abel, que eliminaram o Besiktas, na ronda anterior, serão um feroz adversário, mesmo que o Benfica, seja favorito. Com um ataque rápido e eficaz, o PAOK pode causar danos. Pelkas (passou pelo Setúbal), Akpom (das escolas do Arsenal) e Tziolis (adolescente maravilha) são o trio de ataque e as figuras de um plantel que conta com o português Vieirinha e com vários homens que passaram por Portugal, além de Pelkas: Rodrigo Soares (FCP B, Chaves e Aves), Fernando Varela (Feirense, Trofense ou Estoril), Warda (Gil Vicente) ou Esiti (Estoril e Leixões). Sorteio completo.