Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

O fim de uma era

Chiellini vai deixar a Juve

Francisco Chaveiro Reis
12
Mai22

 

É o fim de uma era. Giorgio Chiellini vai deixar a Juventus, que representava desde 2005. Após 17 anos em Turim, o central de 37 anos, que também já anunciou a renuncia à seleção italiana, vai deixar o Calcio e deve reformar-se na MLS.

Chiellini, natural de Pisa, fez a formação no Livorno e fez parte da equipa A do clube desde os 16 anos. Depois de uma excelente época 2003-2004, fazendo 42 jogos na Série B, aos 19 anos, chamou a atenção da Fiorentina e também na série A, pegou de estaca. Não tardou a mudar-se para um clube maior. No verão de 2005, chegou a Turim. Se o balanço é positivo, também é verdade que Chiellini apanhou a Juve numa altura em que foi apanhada num escândalo, perdeu títulos na secretaria e acabou na segunda divisão. Chiellini acompanhou a queda. No segundo ano na Juventus, foi campeão da segunda divisão ao lado de estrelas como Buffon, Tudor, Zebina, Camoranesi, Nedved, Del Piero, Zalayeta ou Trezeguet. E em 2007, regressou à Série A, já com reforços de peso: Jorge Andrade, Tiago ou Iaquinta.

Em 2011-2012, a Juventus já era de novo a equipa de topo da Série A e iniciou a fabulosa proeza de conquistar nove ligas consecutivas. Chiellini foi sempre o patrão da defesa (em parceria com Bonucci e/ou Barzagli) e conviveu com alguns dos maiores craques do mundo. Venceu ainda cinco taças e quatro supertaças. Sairá como o terceiro jogador da história da Juve com mais jogos. E, ainda venceu um Euro pela sua seleção.

Pirlo mudou o equilíbrio do futebol italiano

Francisco Chaveiro Reis
18
Jan21

Inter.jpg

Com nove títulos consecutivos e com Ronaldo, Dybala, Chiesa ou Morata no plantel, seria de prever que a Juventus voltasse a passear-se pelos campos de Itália e que um novo treinador, fosse apenas um mero pormenor. Mas, não. Andrea Pirlo, um dos melhores jogadores italianos das últimas décadas, está a falhar no comando da Juve, que já está a sete pontos dos líderes Inter e Milan, sendo que o Milan ainda joga hoje e pode ficar com mais dez pontos do que a Vechia Signora. A Juventus pode recuperar mas em 17 jogos, leva apenas 9 vitórias. Ontem foi dia de perder 2-0, ante do Inter. 

Lázio vence a Supertaça

Francisco Chaveiro Reis
23
Dez19

215431228-31f19c65-46dd-4bfb-9f5d-d26166b79c79.jpg

Não eram favas contadas. A Juventus, habituada a vencer tudo em Itália, terá sofrido com a deslocação da Supertaça para a Arábia Saudita, e perdeu 1-3 com a Lázio, que já tinha vencido a competição por quatro vezes. Dybala até adiantou os campeões italianos mas a Lázio deu a volta por Luis Alberto, Lulic e Cataldi. Coincidência ou não, Sarri não parece ter a mesma mão vencedora de Allegri. Já Simone Inzaghi está feito um treinador de topo.

Atalanta e Inter vão à Champions, Milan, não

Francisco Chaveiro Reis
26
Mai19

fabio-quagliarella-11548371341ukesemhzgy.png

A Atalanta terminou uma fantástica época com o terceiro posto e vai jogar a Liga dos Campeões na próxima época. A equipa de Bérgamo acabou hoje a Série com uma vitória por 3-1 contra o Sassuolo. Duvan Zapata termina a época com 23 golos marcados e Papu Gomez é o rei das assistências, com 12. O Inter venceu o Empoli por 2-1 e obteve os mesmos 69 pontos do que a Atalanta, condenando o Empoli a juntar-se a Frosinone e Chievo na descida para a Série B. O Genoa, de Miguel Veloso, "safou-se" às justa. Fora da zona Champions, ficou o Milan, com menos um ponto do que as equipas que hoje se qualificaram. O Milan, de Gattuso, voltou a desiludir os seus fãs e nem perto ficou de restabelecer o domínio interno. A Juventus foi campeã, sem grande dificuldade, como tem vindo a acontecer e o Nápoles o rival mais perigoso e quando se escreve mais perigoso, é preciso notar que o Nápoles ficou a 11 pontos da Juve. Fabio Quagliarella, de 36 anos, foi o melhor marcado da liga, fazendo 26 golos pela Sampdória. Zapata foi o segundo melhor e Piatek, o terceiro, com 22 golos. O polaco foi uma das sensações da prova. Chegou ao Genoa, vindo do Cracovia Krakow e marcou 19 vezes (não só na liga). Chegou ao Milan em janeiro e marcou mais 11. Aos 23 anos, são excelentes números. Para além de Milan, também Roma e Lázio desiludiram, ficando nos sexto e oitavo postos. Pior, a Fiorentina que terminou no 16.º. 2019-2020 contará com a Juventus ainda mais forte (está no mercado) mas espera-se um Nápoles e um Inter bem mais fortes. 

Não querem ser campeões

Francisco Chaveiro Reis
15
Abr19

127602-full.png

Juventus e PSG parecem não querer ser campeões. A Juve perdeu 2-1 com a SPAL e o PSG, foi goleado por 5-1 em Lille. Ambas as equipas adiam por uma semana, pelo menos, as celebrações. Os casos são diversos. A Juventus joga amanhã para a Liga dos Campeões, poupou a equipa e acabou por não vencer. Kean, figura da Juve quando Ronaldo não joga, até marcou primeiro mas Bonifazi e Floccari deram a volta. Não é de por de parte a possibilidade de uma festa poder desconcentrar os jogadores antes da receção ao Ajax. Sábado, na receção à Fiorentina, poderá ser tempo de festejar. Será o oitavo título consecutivo, sem que tenha tido grande réplica o que leva a pensar se este é de facto um dos campeonatos mais competitivos da Europa. Bem diferente é a situação do PSG que parece ter entrado numa fase de desconcentração. A expulsão de Bernat não explica como é que uma equipa recheada de estrelas, que só precisava de um ponto, se tenha deixado golear. Será o sétimo título desde 2012 e após a hegemonia do Lyon, mostra que o futebol francês também não é assim tão competitivo. A festa deverá ser feita no sábado, altura em que os comandados de Tuchel recebem o Mónaco, que venderá cara a sua derrota. 

Ronaldo regressa a Manchester

Francisco Chaveiro Reis
23
Out18

2.5971486.jpg

Cristiano Ronaldo regressa hoje a Manchester, cidade onde chegou aos 18 anos e de onde saiu como melhor jogador do mundo, rumo ao Real Madrid, que ajudou a tornar ainda maior. Foi apresentado no verão de 2003, juntamente com Kleberson, médio brasileiro, campeão do mundo um ano antes, que não vingou. Foi-lhe dada a camisola 7, até ali pertença de Beckham, saído para Manchester. Mostrou ao que vinha no primeiro jogo e acabou a época com 40 jogos e 6 golos. Venceu a FA Cup e a Supertaça. Ficou mais 5 épocas, com Alex Ferguson a ser determinante no seu percurso e a assumir-se como figura paternal. Em Manchester, Ronaldo foi muito feliz e saiu de lá com 292 jogos, 114 golos e um Campeonato do Mundo de Clubes, uma Liga dos Campeões, três campeonatos e duas taças da liga, para além dos dois já citados.