Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

A noite triste de Braga

Como um árbitro estraga um clássico

11
Fev21

Propaganda de Moda Capa para Facebook (2).pngO Braga-Porto, a contar para as meias-finais da Taça de Portugal, foi mais uma noite triste, que simboliza o pior do futebol português. Se o jogo não estava a ser dos piores, o que aconteceu, já na parte final, tudo mudou. Primeiro, a arrepiante lesão de David Carmo, ainda na semana passada com pé no Liverpool, que deve afastar o jovem defesa dos relvados por vários meses. Depois, uma decisão incrível do árbitro, que expulsou Luís Diaz, envolvido do lance que lesionou Carmo, mas sem qualquer culpa. Seguiram-se momentos caricatos (os jogadores de ambas as equipas a empurrarem a ambulância lama fora) e sobretudo, tensos, com mais cartões para o banco portista. Até ao fim, mais uma expulsão, justa, de Uribe e após mais de quinze minutos de descontos, o empate. Depois de Taremi fazer um chapéu a Matheus, castigando a saída extemporânea do guarda-redes bracarense, Fransérgio empatou. Como consequência, Sérgio Conceição confrontou o treinador adversário; o FC Porto voltou a atacar a arbitragem e, Luís Godinho foi ameaçado.

Amargo de boca

05
Jan20

1024.jpg

Sporting perdeu em casa com o FCP e ao invés de ganhar pontos na luta pelo segundo lugar, caiu para o quarto. Começou melhor o Porto, com um golo caricato de Marega, a aproveitar, com alguma atrapalhação, uma "paragem" da defesa leonina. Com mais de 40 mil nas bancadas (a das claques voltou a estar a calada em vários momentos do jogo, o que não impediu o envio de tochas para o relvado mesmo quando o Sporting estava a atacar mesmo ali ao lado), o Sporting foi equilibrando e acabou por levar o jogo empatado para o intervalo, graças a grande golo de Acuña (um dos melhores em campo), de ângulo difícil. Na primeira parte, o Sporting teve sérias razões de queixa da arbitragem. Na segunda, teve razões de queixa, de si próprio. Melhor, com Acuña em grande, falhou oportunidades claríssimas de golo, por Vietto, Phellype e Fernandes. Sem marcar, nem refrescar a equipa, Silas viu Soares ser eficaz e fazer o 1-2 final. Ainda entraram em campo Camacho, Plata e Jesé mas as saídas de Ristovski, Doumbia e Bolasie, só tiveram como resultado um Sporting atrapalhado onde não havia posições definidas e onde todos se atropelavam. O Sporting não deixou má imagem mas com tanto desperdício, poderia ter vencido um Porto, que pressionado, não era, afinal, nenhum "papão".

Mau arranque europeu

20
Set19

2625111_w1.jpg

Correu mal a jornada europeia. Em cinco tentativas, três derrotas e duas vitórias. O Benfica foi o primeiro a entrar em campo, na Liga dos Campeões, sendo vergado pelo Leipzig e por um bis de Timo Werner, internacional alemão. Seferovic ainda reduziu, mas de nada serviu. Ontem, duas derrotas nos jogos das 17h55. O Sporting deu luta, mas saiu da Holanda com uma derrota por 3-2 e o Vitória SC, que tão boas indicações deu nos jogos de acesso, perdeu por 2-0 na Bélgica, ante do Standard Liége, comandado por Michael Preud´homme. Um autogolo de Florent e um golo do capitão Mpoku, fizeram o resultado. Positivos, só os últimos jogos. O FCP dominou o Young Boys e o 2-1 (bis de Soares) soube a pouco. A muito, soube a vitória do Braga (Ricardo Horta a terminar jogada de Galeno) no terreno do Wolverhampton.

A Liga Europa

30
Ago19

i.png

O Sporting está no Grupo D da Liga Europa onde defrontará o PSV, eliminado na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões e ainda Rosenborg e LASK Linz, eliminados no play-off de acesso à mesma competição. Na teoria, um Sporting em forma tem tudo para passar o grupo em primeiro.

Os vice-campeões holandeses, que contam com o antigo sportinguista Bruma e com antigo benfiquista, Mitroglou, são o adversário de maior peso no grupo. Treinado por Mark van Bommel, conta com vários internacionais holandeses – Zoet, Dumfries, Rosario, Afellay ou Bergwijn e ainda com jogadores interessantes como Gaston Pereiro ou Erick Gutierrez. Já o Rosenborg, histórico norueguês, que nos anos 90 parecia ter presença cativa na Liga dos Campões, já não é uma equipa que meta medo, mesmo tendo nas suas fileiras o bad boy dinamarquês Bendtner (um par de vezes apontado ao Sporting). Será, a par dos austríacos do LASK Linz, as duas equipas mais fracas do grupo, em teoria. O LASK, treinado pelo antigo internacional francês Ismael (Crystal Palace, Bayern de Munique e Estrasburgo, entre outros…), bateu-se até à última (contra Club Brugge) no apuramento para a Champions e apesar de não ter cartel, pode ser uma surpresa. Não há nomes reconhecíveis no plantel, mas…

 

FC Porto

Com larga experiência de Champions League, o FCP é, claro, favorito a ficar à frente de Glasgow Rangers, Young Boys e Feyennord. Os Rangers, orientado pelo mito do Liverpool, Steven Gerrard, não parecem ter arcaboiço para a Liga Europa, mesmo tendo jogadores interessantes como o avançado Morelos ou o extremo Ojo. Defoe, veterano inglês, é a estrela de uma companhia já sem portugueses. Candeias mudou-se para a Turquia. O Young Boys deverá ser um osso mais duro de roer. Os suíços, liderados pelo antigo avançado do PSG, Hoarau, contam com o ex-Benfica, Sulejmani e com Janko, dos quadros do FCP. Tal como o Sporting, será da Holanda que viram os problemas maiores para o FCP. O histórico Feyennord conta com homens da qualidade de Fer, Toornstra, Narsingh, Berghuis ou Jorgensen para seguir em frente.

 

 

 

 

Braga

Missão bem mais difícil têm as equipas minhotas. O Braga livrou-se com classe de Spartak e Brondby e tem agora que se livrar, no grupo K, de Besiktas, Wolves e Slovan. O Wolves, de Nuno, conta com uma armada portuguesa – Jota, Neto, Neves, Moutinho, Vinagre, Roderick e Patrício – para atacar os adversários e o primeiro lugar. O Besiktas completa o trio de equipas que podem seguir em frente. Já sem Quaresma, mas com Rebocho, os turcos contam com o ex-vimaranense Boyd e com craques como Yilmaz, Lens, Ljajic ou Vida. Os eslovacos são candidatos ao último lugar. Rabiu Ibrahim, antiga futura estrela nigeriana, que passou pelo Sporting é a figura.

 

Guimarães

Missão ainda mais dura tem o Vitória que tem pela frente Arsenal, Frankfurt e Liége. O Arsenal, gigante holandês dispensa apresentações e o seu ataque – Pepe, Lacazette e Aubameyang – promete fazer miséria tal como Dost, Rebic ou Paciência deverão dar muitas dores de cabeça, defendendo a camisola do Frankfurt. O Standard de Orlando Sá deve disputar com o Vitória, o terceiro lugar do grupo.