Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

8 jogos, 8 vitórias

Registo perfeito

Francisco Chaveiro Reis
17
Out23

Visão do Peão (2).pngPortugal soma e segue. Já apurado, Martinez rodou um pouco a equipa mas a seleção não tirou o pé do acelarador ante da Bósnia de Savo Milosevic (antigo goleador sérvio de clubes como Saragoça, Aston Villa ou Parma) e ao intervalo já chegara aos cinco golos finais, em seis remates. Cristiano Ronaldo fez os dois primeiros (já conta 127 pela seleção), Bruno Fernandes, João Cancelo e João Félix fizeram os outros golos da noite em Zenica. João Neves estreou-se como internacional A. Portugal continua destacado como o melhor ataque da qualificação, agora com 32 golos. A Suíça, com 20 golos é a segunda seleção com mais golos marcados. 

CR200

Mais um recorde

Francisco Chaveiro Reis
20
Jun23

Cristiano Ronaldo completa hoje 200 jogos pela principal seleção de Portugal. É um marco histórico para o capitão da equipa, melhor marcador de sempre e, claro, o melhor jogador de sempre a vestir a camisola da seleção das quinas. Ronaldo já era o mais internacional de sempre em seleções de todo o globo, mas atinge agora um número redondo. Andres Guardado (181), Lionel Messi (175) e Luka Modric (166) são os nomes no ativo que tentam chegar aos 200 jogos.

Ronaldo estreou-se em agosto de 2003 num 1-0 ao Cazaquistão. Em 2004, o adolescente Ronaldo, ainda a vestir a camisola 17 (a 7 era de Figo) fez-se figura do Euro português. Não falharia uma grande competição tendo representado Portugal em 2006, 2008, 2010, 2012, 2014, 2016, 2018, 2019, 2021 e 2022, ajudando a vencer um Euro e uma Liga das Nações.

Ultrapassou Figo como o mais internacional de sempre e mais tarde, deixou para trás Al-Mutawa, que fez 196 jogos pelo Kuwait. Nos golos, ultrapassou o iraniano Ali Daei, como o melhor marcador de sempre de uma seleção mundial.

O futuro de Ronaldo

De saída do United

Francisco Chaveiro Reis
06
Jul22

 

Cristiano Ronaldo foi, em Turim e na segunda passagem por Manchester, um profissional dedicado que parece ter trabalhado tão arduamente como sempre e que marcou muitos golos, mas, ao mesmo tempo, não parece ter melhorado nem Juventus nem United, ao ponto dos novos treinadores pareceram quase aliviados com a sua saída.

Ronaldo chegou a Turim depois de se sentir pouco amado no Real Madrid, clube pelo qual venceu tudo e do qual é o melhor marcador da sua história. Na altura, lembrou que com a idade que tinha, muitos iam para a MLS ou China e que ele estava ali, num dos maiores clubes da Europa. A ideia de CR7 e do clube era clara: voltar a vencer a Liga dos Campeões. A partir do momento que esse objetivo falhou e que a Juve até perdeu o domínio interno, a saída de Ronaldo tornou-se inevitável. Para não vencer a Champions, Ronaldo é opção que sai cara. Pelo elevadíssimo salário e porque quando se tem Ronaldo, joga-se para Ronaldo. É inevitável. É a única forma de jogar, porque Ronaldo ainda resolve. Mas a equipa deixa de explorar todas as outras opções. Factualmente, marcou 101 golos pela Juve e venceu dois campeonatos, uma taça e duas supertaças. Ronaldo não falhou na Juventus, mas a Juventus não foi melhor com ele.

Em Manchester, entrou em cima do fecho da janela de transferências, “roubando” o número da camisola a Cavani que acabara bem a época e perdeu todo o espaço e roubando o lugar a Greenwood, que começara bem a época como goleador. Sabemos hoje que o jovem inglês nunca acabaria a época, mas pode dizer-se que a sua esperança de uma época de alta qualidade acabou com a chegada de Ronaldo. Ronaldo marcou impressionantes 24 golos, mas mais uma vez a sua equipa não melhorou. Ronaldo continua a ter qualidade para jogar em qualquer equipa e fazer muitos golos, mas tem o efeito de secar os colegas e de não os deixar evoluir. É natural. É fatal. Tem Hag, claro, não disse que não contava com ele mas depois do atraso na apresentação aos trabalhos e da alegada vontade do português sair, já terão feito o holandês pensar no futuro sem ele até porque, Ronaldo, por muito que mantenha a forma, está a caminho da reforma, mais ano, menos ano e o United precisa de um projeto estruturado de futuro, tirando rendimento das suas jovens estrelas como Sancho.

Assim sendo, qual é o próximo passo na carreira de Ronaldo? O regresso a Espanha foi aventado, mas acredito que o interesse do Barcelona seja apenas manobra para o Real Madrid (de onde nunca devia ter saído) morder o isco do que outra coisa. Ronaldo arriscaria a sua imagem de um dos melhores de sempre do maior clube do mundo para jogar um ano ou dois no Barcelona, numa fase em que o clube está mal financeiramente e desportivamente? A possibilidade do Chelsea o contratar também foi avançada. Diria que é mais possível e que tal como os adeptos do Chelsea viram Lampard jogar no City um ano e o continuam a considerar o antigo médio uma lenda, o mesmo aconteceria com os adeptos do United, mas, seria sempre uma saída algo forçada e envolta em “birra” para um clube que, tendo menos história, tem sido melhor nos últimos anos.  Um projeto interessante poderia ser o Tottenham de Conte que com as chegadas de Richarlison, Perisic ou Bissouma promete.

PSG e Bayern seriam as melhores opções até porque o principal para Ronaldo será lutar pela Champions e ambicionar chegar a mais uma Bola de Ouro, mas estas são pistas quase impossíveis. O PSG tem Mbappé, Messi e Neymar e o perfil de Campos e Gaultier será de contratar jogadores de futuro e mais discretos o que até parece fazer perigar a continuidade de Neymar. Juntar Ronaldo a Messi seria uma bela jogada, mas seriam ainda mais egos em Paris. Já o Bayern, perdendo Lewandowski, poderia ter uma solução rápida para marcar golos, mas a rigidez habitual dos clubes alemãs nas finanças não deve possibilitar esta pequena loucura.

O melhor seria mesmo voltar atrás e liderar o projeto do United por um ano antes de um regresso a Lisboa ou a ida para outra liga menos competitiva onde pudesse continuar a superar-se até aos 40 anos, mas todos os sinais indicam que sairá em breve e que a escolha poderá não ser acertada, acabando por manchar a sua carreira quase perfeita.

Em breve, saberemos.

Ronaldo no Bayern?

Estará de saída do United

Francisco Chaveiro Reis
24
Jun22

Visão de Peão (1).png

Mesmo com idade de veterano, Cristiano Ronaldo não para de mexer com o mercado. O português estará pouco satisfeito com o plantel do United, que vai ser reconstruído aos poucos, mas com muita lentidão e perante a perspetiva de novo ano em branco, terá pedido a Jorge Mendes que lhe arranje colocação. Nesse sentido, poderia render Robert Lewandowski no Bayern de Munique ou mesmo ser envolvido numa troca que levaria o polaco para a Premier League. Ronaldo tem um salário altíssimo, algo que  Bayern não costuma comportar, muito menos em jogadores acima dos 30 anos e acaba de contratar Mané, também ele muito bem pago, mas, a hipótese de ter um dos melhores de sempre, com garantia de golos e vendas milionárias de marketing, poderá ser algo bastante tentador.

CR800

Ronaldo não para de marcar

Francisco Chaveiro Reis
03
Dez21

Design sem nome (5) (9).png

Cristiano Ronaldo fez, aos 52 minutos, o 2-1 do Manchester United contra o Arsenal. Foi um momento de festa para todos os adeptos dos Red Devils mas para o 7, que faria mais um na vitória por 3-2, seria ainda mais especial. Esse foi o momento em que marcou o 800º golo da carreira. Ronaldo que se estrou pelo Sporting, marcou 5 golos de verde e branco; na primeira passagem por Inglaterra, marcou 118 e pelo Real Madrid, fez 450 (!!!). Seguiram-se 101 na Juve e 12 nesta segunda vida em Manchester. Juntando os 115 que já marcou por Portugal, ficamos com 801 golos, a meio de uma época, que não será a última. Onde chegará CR7? Pelo menos aos 850, chegará, acredito.

Ronaldo quebra recorde

Em exibição pobre da seleção

Francisco Chaveiro Reis
02
Set21

Design sem nome (24).png

 

Portugal fez mais uma exibição pobre diante de um adversário banal, mas, tendo Ronaldo, tudo se resolveu. O capitão até falhou um penalty mas bisaria no fim do jogo e bateria o recorde de Ali Daei. O facto é que Portugal é primeiro do seu grupo mesmo que isso não apague tão má figura.

Quanto ao que mais interessou no jogo de ontem, Ronaldo, capitão da seleção e o melhor jogador nacional de sempre (e um dos melhores da história do jogo) chegou aos 111 golos por Portugal. Sem o fim da carreira à vista, Ronaldo tem ainda alguns anos para tornar o recorde ainda mais imbatível.

Ronaldo goleador

Nas três melhores ligas

Francisco Chaveiro Reis
25
Mai21

Propaganda de Moda Capa para Facebook (2) (7).png

Melhor marcador desta edição da liga italiana, Cristiano Ronaldo tornou-se no primeiro jogador da história a ser melhor marcador em Inglaterra, Espanha e Itália, ou seja, em 3 dos 5 melhores campeonatos da Europa.

CR 35

Francisco Chaveiro Reis
05
Fev20

doc2019060926426938jc_32686607e7f0defaultlarge_102

Cristiano Ronaldo faz hoje 35 anos, sem sinais de que vai abrandar a sua genialidade. O melhor jogador português de todos os tempos e um dos maiores da história – a par de Messi, Maradona, Pelé ou Di Stefano – continua, numa idade que é de reforma para muitos, a jogar ao mais alto nível e a bater recordes. Soma tantos títulos individuais que não os consigo enumerar todos. 

Mudou-se muito cedo para Lisboa, deixando para trás a Madeira onde defendeu os Andorinhas e o Nacional. Nas acomodações do velho Alvalade e depois numa pensão na zona do Saldanha, cresceu, longe da família humilde, mas sempre com a determinação que se lhe reconhece. Estreou-se com a camisola 28 do Sporting em 2002/2003, marcando 5 golos em 31 jogos. Era o Sporting com pinta de campeão e um plantel de luxo: Sá Pinto, João Pinto, Ricardo Quaresma ou Mário Jardel. Começou a segunda época, já com Fernando Santos em vez de Lazlo Boloni no banco e no jogo de inauguração do novo estádio, conquistou o United. Pelo Sporting, venceu uma Supertaça.

Chegou a Manchester no verão de 2003 para receber a camisola 7 de Beckham, de saída para o Real. À primeira exibição, conquistou Old Trafford, com fintas e dribles. Aos poucos, com a ajuda de Fergunson e dos companheiros como Giggs ou Ferdinand, tornou-se mais maduro e cada vez mais goleador. Aos longo de seis anos marcou 118 golos em 292 jogos e venceu quase tudo: um Campeonato do Mundo de Clubes da FIFA; uma Liga dos Campeões da UEFA; três Premier League; uma Taça de Inglaterra; duas Taças da Liga e uma Supertaça de Inglaterra.

Mas foi em Madrid que a sua carreira subiu de nível. É o melhor marcador da história do melhor e maior clube do mundo, superando monstros sagrados como Raul, Di Stefano, Puskas, Gento ou Butrageno. Benzema, seu companheiro entre 2009 e 2018, está na sexta posição, com 240 golos, menos 210 do que o português. Títulos, foram ainda mais do que em Manchester: três Campeonatos do Mundo de Clubes da FIFA; quatro Liga dos Campeões da UEFA; uma Supertaça da UEFA; dois Campeonatos de Espanha; duas Taças do Rei e duas Supertaças da Espanha. A sua passagem pelo Real, onde se esperava que ficasse até fim da carreira, ficou marcada por algumas polémicas e supostos amuos do craque que não se terá sentido sempre apoiado pela direção.

Em 2018-2019, mudou-se para a Juventus, dona e senhora do futebol italiano. Por um veterano, a Juve pagou 100 milhões de euros e até agora, Cristiano tem explicado por quê. Foi campeão e venceu uma supertaça. Leva 50 golos em 70 jogos. Mas claro, a Juventus procura voltar a vencer a Champions e Ronaldo não enjeita a hipótese de erguer a “Orelhuda” pela sexta vez.

Pela seleção, lágrimas. Aos 17 anos, foi essencial, ao lado de Figo e Rui Costa, na ida de Portugal à final do seu Euro, mesmo tendo o seu pai morrido durante a prova. Na final perdida, lágrimas de tristeza. 12 anos depois, lesionou-se na final do Euro e saiu de campo, apenas para sofrer como todos nós até chorar lágrimas de alegria. É o melhor marcador da história da seleção e um dos melhores de todas as seleções. Leva 99 golos em 164 jogos.

Aos 35 anos, já não é um extremo explosivo, mas continua a ser uma máquina de trabalho e um matador. Letal, Ronaldo procura jogar até aos 40, ao mais alto nível. E ninguém duvida dele.

Messi vence sexta bola

Francisco Chaveiro Reis
03
Dez19

2019-12-02t210839z_593336728_rc29nd9tpo9e_rtrmadp_

Está desempatado. Leo Messi venceu a sua sexta Bola de Ouro e passou a ter mais uma do que Cristiano Ronaldo que mais uma vez, não vencendo, não esteve presente na gala. Messi fez um discurso onde prometeu continuar a trabalhar para melhorar mas onde abriu a porta para o fim da carreira daqui a um ou dois anos. Ronaldo foi considerado o terceiro melhor do mundo, ficando também atrás de Van Dijk. Os outros portugueses nomeados, Bernardo Silva e João Félix , ficaram nas 8ª e 28ª posições. No futebol feminino, destaque para Megan Rapinoe, melhor do mundo, após capitanear os EUA, campeões mundiais.