Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

As estrelas da Juve

Azul e amarelo ao longo do tempo

Francisco Chaveiro Reis
03
Jan23

Visão do Peão (18).png

 

A meio dos anos 90, uma camisola azul com estrelas amarelas brilhou no peito de jogadores de topo como Ravanelli, Vialli ou Del Piero. A maglia da Kappa para a Juventus, tornou-se numa das mais icónicas de sempre. Desde os anos 70 que a Juve usava camisolas azuis como alternativa às suas camisolas listadas. E já em 1976/1977 havia uma estrela em tons de amarelo, mas dizia respeito ao número de títulos conquistados e não a um design apelativo. Em 1979, a marca italiana Kappa começou a fabricar as camisolas da Juve, numa parceria que duraria até 2000, trocada pela também italiana Lotto.

Depois de vários anos em que a camisola alternativa foi amarela, em 1994-1995, a Juventus começou a atuar com um equipamento azul e amarelo. A camisola era predominante azul, com duas estrelas amarelas nos braços e no colarinho, símbolo da Kappa em preto, símbolo da Juventus com o seu imponente touro e logotipo da Danone. Nessa época, com Peruzzi, Ferrara, Conte ou Di Livio, sem contar com os já mencionados, a Juve teve sucesso. Foi campeã e venceu a Taça. Na Europa, perdeu a final da Taça UEFA para o Parma, mas não se pode falar senão numa bela época. No ano seguinte, uma camisola muito parecida. A Danone deu lugar à Sony; o símbolo da Kappa passou a branco; o touro passou para a gola e para o seu lugar entrou a bandeira italiana, com duas estrelas por cima. E esse ano, também não correu mal: vice-campeonato, vitória na Supertaça Italiana e sobretudo a Liga dos Campeões.

Em 1996-1997, a camisola manteve a base, mas as famosas estrelas passaram de amarelas cheias a serem “apenas” contornos brancos, mesmo que se tenham mantido pormenores a amarelo. A bandeira italiana saiu e ficaram apenas as duas estrelas que já lá estavam. E foi mais uma vez bem vestida que a Juve foi campeã internamente e venceu a Supertaça Europeia e a Taça Intercontinental. Na Liga dos Campeões, perdeu a final. No ano seguinte, o do centenário da equipa, manteve-se o azul e amarelo. O design base passou a ser igual ao do moderno primeiro equipamento, passando a gola a ser mais amarela e a estrelas a manterem-se como contornos brancos. O patrocinador passou a Sony MiniDisc. A Juventus regressou à final da Liga dos Campeões para a perder de novo, mas foi campeã italiana e venceu a Supertaça.

Em 1998-1999, as estrelas desapareceram, passando o azul e amarelo, com muito menos graça do que nos anos anteriores a passar a ser o terceiro equipamento, tal como na época seguinte, em que o azul dominou, saindo o amarelo. Com a mudança para a Lotto, o azul deu lugar a equipamentos brancos e pretos, que alternaram com o tradicional que conjugava as duas cores.

Em 2004-2005, a Nike trouxe de volta o azul, mas apenas com alguns pormenores de amarelo, repetindo a fórmula em 2007-2008 e 2008-2009. Em 2011-2012 regressaram as estrelas. Aliás, uma estrela. Mas, sob fundo…cor-de-rosa, outra cor histórica da Juventus. A Nike fez do equipamento alternativo, rosa, com uma estrela com contornos pretos no peito. Em 2014-2015, vinte anos após a aparição do mítico equipamento, a Nike fez um azul com pequeníssimos pormenores amarelos e estrelas no peito, numa alusão subtil aquilo que a Kappa havia feito. A adidas fabricou vários equipamentos alternativos azuis, sem amarelo, tendo feito uma proposta, na época passada onde misturava azul, amarelo e branco mas, claro, sem estrelas.