Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Bayern vence a sexta

24
Ago20

5f42d5ce6d30f.jpg

O Bayern venceu a Liga dos Campeões, após ter batido o PSG, no Estádio da Luz, por 0-1. Kingsley Coman, extremo francês das escolas do PSG, acabaria por ser o “carrasco” da equipa que o formou, somando mais um título para o seu fabuloso currículo: aso 24 anos, tem 20 títulos, com destaque para 9 campeonatos seguidos por PSG, Juventus e Bayern.

O Bayern, comandado pelos pulmões Goretzka e Thiago, dominou a partida, ante de um um PSG medroso, com Neymar e Mbappé a nunca serem capazes de desiqulibrar. Coman faria o 0-1, de cabeça, aos 59 minutos, após bola picada por Kimmich. Sem experiência em finais, o PSG quebrou e não mais voltou a estar em jogo, algo para que o seu treinador, Tuchel, muito contribuiu. A perder, o alemão não lançou o velocista Sarabia, nem o goleador Icardi, optando por opções como Choupo-Motig. Quanto a Neymar, contratado por mais de 200 milhões, para momentos como este, falhou, perdendo-se em fintas sem sentido e em quezílias. O PSG contratou um craque, não o líder que precisava. Nota para o brilhante trabalho de Hansi Flick. 

A bayernização do futebol português

15
Ago20

Este post, que andava para ser redigido há uns dias, ganha significado com a derrota humilhante do Barcelona aos pés do Bayern. Quem conhece o futebol há umas décadas tem presente a expressão: o futebol são 11 contra 11 e no final ganha a Alemanha. No campeonato alemão a fórmula aplica-se na perfeição, 11 contra 11 e no final ganha o Bayern. Época após época, o que resta saber é, sempre, quem ficará em segundo lugar e quem será despromovido. Uma coisa é sempre certa - o Bayern é o campeão. 

Ora, no estado atual do futebol português, com um Sporting decadente e cada vez mais claro que não sairá tão cedo da situação em que se encontra, e um Porto financeiramente intervencionado, embora ainda forte, nota-se que entraremos numa fase de bayernização, com um Benfica financeiramente poderoso e dominador do campeonato. Atualmente, ninguém consegue ir ao mercado como o Benfica. Enquanto o Porto e o Sporting terão de saber ir ao mercado low cost, interno e internacional, o Benfica prepara-se para deixar a sua marca de domínio absoluto. Depois de Everton e Vertonghen, a confirma-se a contratação de Cavani o Benfica poderá, com propriedade, encomendar as faixas, para as próximas 2 épocas, pelo menos. Quando um clube português consegue contratar Cavani -- e mesmo que este não venha, outros nomes virão -- abriu o fosso desportivo. Recorde-se que o Desportivo das Aves precisou de um autocarro emprestado para disputar o fim da prova. 

Kahn é o sucessor de Rummenigge

02
Jan20

1024.jpg

Aos 50 anos, Oliver Kahn, foi nomeado sucessor de Karl-Heinz Rummenigge. O antigo guarda-redes integra a estrutura desde já, de modo a assumir-se como presidente do Bayern, em janeiro de 2022. Kahn, conhecido pela sua extrema exigência para com os companheiros, representou o clube bávaro entre 1994 e 2008, vencendo uma Liga dos Campeões, uma Taça UEFA, uma Taça Intercontinental, oito campeonatos da Alemanha, seis taças da Alemanha e seis Supertaças. Já Rummenigge, de 64, avançado nos tempos de jogador, esteve em Munique entre 1974 e 1984, vencendo duas Ligas dos Campeões, uma Taça Intercontinental, dois campeonatos e duas taças.  Vice-presidente entre 1991 e 2002, foi nomeado presidente do clube em 2002 e até ao momento, guiou o Bayern a vencer 12 campeonatos, 9 taças, 5 supertaças, duas DFL-Ligapokal, uma Liga dos Campeões e uma Supertaça Europeia.

Coutinho na Baviera

19
Ago19

philippe-coutinho-com-a-camisa-do-bayern-de-muniqu

Se 8,5 milhões são números de respeito para as grandes equipas portuguesas, para o gigante bávaro Bayern de Munique, esse é apenas o valor a pagar para garantir o empréstimo de Philippe Coutinho. A precisar de estrelas para convencer internamente (o Dortmund está à espreita com reforços de peso) e conseguir ter argumentos europeus (o goleador Lewandowski já tinha pedido reforços de peso), o Bayern pós Ribery e Robben, tentou Sané mas falhou. Chega Coutinho que falhando em Barcelona, tem tudo para se tornar num dos melhores jogadores da Bundesliga. O novo camisola 10 é, aos 27 anos um jogador maduro, capaz de construir o jogo e de marcar muitos golos. Será, com certeza, o novo municionador de Lewandowski. Não é de estranhar que chegue mais um jogador de grande cartel ao Bayern. Para já, o anúncio de Coutinho foi precedido pelo de Cuisance. O médio centro de 20 anos, formou-se nas escolas do Nancy antes de rumar ao Borussia M´gladbach onde fez duas boas épocas. Pavard (Estugarda), Lucas (Atlético) e Perisic (Inter) são as outras caras novas.

 

Voltemos a Coutinho. Menino prodígio do futebol brasileiro, deu nas vistas pelo Vasco da Gama, ainda adolescente. Aos 19 anos veio para a Europa, jogando 20 partidas pelo Inter de Milão. Ao lado tinha os compatriotas Júlio César, Maicon, Lúcio ou Mancini. Jogou menos no segundo ano e acabou emprestado ao Espanhol. Depois de mais meia época em Milão, juntou-se ao Liverpool, tinha já 21 anos. Gerrard, Lucas Leiva ou Suarez eram seus companheiros. Em 2013-2014, fez grande época e por pouco o Liverpool não conseguiu voltar a ser campeão. Ele, Sterling e Suarez eram as estrelas da companhia. Pelo Liverpool fez um total de 201 jogos e marcou 54 golos. Em janeiro de 2018, o Barcelona gastou mais de 145 milhões no seu passe. Não foi uma boa jogada para nenhuma das partes. Coutinho, vencedor da Copa América 2019, parte em busca de mais títulos.