Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Barça em crise

Nova derrota em casa

Francisco Chaveiro Reis
26
Abr22

Visão de Peão (1).png

Xavi não faz milagres. Após uma boa fase, o Barcelona parece preparar-se para terminar a época, como a começou: em crise. O título era uma miragem, mas a derrota caseira ante do modesto Rayo, colocou o rival Real a um ponto apenas de ser campeão. E o Rayo pareceu sempre estar mais perto do 0-2. Este resultado surge depois de uma vitória por 0-1 em San Sebastian que disfarçou os resultados anteriores: derrota por 0-1 em casa com o modesto Cádiz e derrota em casa com o Frankfurt por 2-3 que ditou a saída da Liga Europa, que parecia ser o único objetivo realista para esta época. Em 48 jogos, o Barcelona soma 13 empates e 12 derrotas. Ou seja, venceu menos de metade dos jogos que disputou.

Vem aí o melhor Auba

Gabonês chega a Camp Nou

Francisco Chaveiro Reis
04
Fev22

Design sem nome (5).png

 

Vai usar e camisola com o número 25 e quer ser tratado por Auba. Aos 32 anos, Pierre-Emerick Emiliano François Aubameyang está no topo da sua carreira e vai muito a tempo de passar uns anos como um dos melhores avançados do mundo. Auba nasceu em França, mas é internacional gambiano. Teve um percurso rico na formação: Nice, Laval, Rouen, Bastia e Milan e cimentou a sua carreira em França, jogando ao serviço de Dijon, Lille e Mónaco antes de três épocas no Saint-Étienne, com destaque para as duas últimas, nas quais marcou 39 golos.

Aos 25 anos, chegou à Bundesliga, juntando-se a Lewandowski, Reus, Mkhitaryan, Hummels ou Subotic no Dortmund. Passou lá quatro anos e meio e marcou 141 golos. Sem surpresa, chamou à atenção do melhor campeonato do mundo e juntou-se ao Arsenal, onde passou quatro épocas completas. Marcou 92 golos, mas mais uma vez, tal como na Alemanha, não enriqueceu muito o seu palmarés.

Chega agora a um dos maiores clubes do mundo, ainda maiores do que já representou e onde, apesar da concorrência do Real Madrid, terá oportunidade de vencer mais trofeus. Tem Xavi como novo treinador e uma série de jovens talentos como Nico, Gavi e Pedri prontos a servi-lo, bom como interessantes companheiros de ataque como Adama, Ferrán, Fati ou Memphis.

Xavi estreou-se

1-0 ao Espanhol

Francisco Chaveiro Reis
22
Nov21

Design sem nome (2) (27).png

Visto como salvador, Xavi, lenda do Barça dentro do campo, estreou-se a vencer o Espanhol, no derby catalão, por 1-0, golo de Depay, de penalty. Mas isso pouco quer dizer. Xavi teve poucos dias de trabalho e na verdade, fora o Espanhol mais certeiro e teria, pelo menos, levado um ponto de Camp Nou.

Não quer isto dizer que Xavi não tenha mudado nada. Desde logo, teve o público consigo e com a equipa e isso já é muito. Depois, viu-se a equipa a querer já tratar a bola com mais carinho e cuidado, usando muitos passes curtos e jogando às cegas para dois homens sempre plantados nas alas. Se bem, que olhando à equipa de Xavi, será mais certo dizer meninos, do que homens. De início, jogou o playmaker Nico, de 19 anos. Nas alas, Gavi, de 17 e em estreia, Ilias Akhomach, com igual idade. Do banco saltou, para se estrear e provavelmente ser o homem do jogo, Abdessamad Ezzalzouli, de 20 anos. Do banco saíram ainda dois mal-amados: Coutinho, que se encostou à esquerda e que vai ter minutos e Riqui Puig, catalão que usa a camisola 6 e de quem Koamen não era grande fã. Amanhã, há mais.