Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Klinsmann deixa Berlim

11
Fev20

7f41d64c878332b08de11afbfa0110fb44f9e7af.jpg

Jurgen Klinsmann não durou sequer três meses à frente do Hertha de Berlim. Após três vitórias em dez jogos, parece ter sido o antigo avançado a bater com a porta. Na hora do adeus, Klinsmann declarou que “unidade, coesão e foco no essencial são os elementos mais importantes, especialmente na batalha pela permanência. Se eles não estiverem garantidos, não posso explorar meu potencial como treinador e, portanto, não posso cumprir a minha responsabilidade”. A saída de Klinsmann acontece após as contratações milionárias de Piatek, Ascacibar e Tousart, que pareciam ser sinal da construção de um Hertha mais forte.

Dabbur não será do Sporting

07
Jan20

dabbur-sevilla.jpg

Desde a saída de Dost, que o Sporting precisa de um ponta-de-lança. Mas esse homem não será Dabbur, que acaba de trocar o Sevilha (3 golos em 9 jogos) pelo Hoffenheim. Depois do tremendo sucesso na liga austríaca (72 golos em três épocas), não é de admirar que o avançado israelita se mude para a Alemanha, uma liga de topo, com um futebol semelhante ao que já conhece. Munas Dabbur usará a camisola número 10 e permitirá ao Sevilha reaver grande parte do valor pago por si há seis meses, algo que o Sporting não conseguia garantir. No sétimo posto, o Hoffenheim, procura chegar aos lugares europeus e Dabbur chega a um plantel que já tem Kramaric, Belfodil ou Locadia. 

Kahn é o sucessor de Rummenigge

02
Jan20

1024.jpg

Aos 50 anos, Oliver Kahn, foi nomeado sucessor de Karl-Heinz Rummenigge. O antigo guarda-redes integra a estrutura desde já, de modo a assumir-se como presidente do Bayern, em janeiro de 2022. Kahn, conhecido pela sua extrema exigência para com os companheiros, representou o clube bávaro entre 1994 e 2008, vencendo uma Liga dos Campeões, uma Taça UEFA, uma Taça Intercontinental, oito campeonatos da Alemanha, seis taças da Alemanha e seis Supertaças. Já Rummenigge, de 64, avançado nos tempos de jogador, esteve em Munique entre 1974 e 1984, vencendo duas Ligas dos Campeões, uma Taça Intercontinental, dois campeonatos e duas taças.  Vice-presidente entre 1991 e 2002, foi nomeado presidente do clube em 2002 e até ao momento, guiou o Bayern a vencer 12 campeonatos, 9 taças, 5 supertaças, duas DFL-Ligapokal, uma Liga dos Campeões e uma Supertaça Europeia.

Ribery segue Ronaldo

21
Ago19

50488264.png

Dando uma de Ronaldo, Ribery, aos 36 anos, após uma vida num gigante europeu, mudou-se para Itália. O extremo francês vai jogar na bela cidade de Florença, esperando conquistar o coração de adeptos que já tiveram Baggio, Batistuta ou Rui Costa como ídolos. Com 27 títulos no bolso, Ribery vai juntar-se a Chiesa, Boateng e Llorente (está a chegar, diz-se) para fazer um ataque temível, ainda que o médio Pulgar já lhe tenha ficado com a camisola 7.

Ribery, fomado no Lille, deu nas vistas no Marselha, já depois de ter passado por Brest, Metz ou Galatasary. Depois de dois anos no Velodrome, mudou-se para o Bayern de Munique onde ganhou 24 títulos. Chega agora ao Calcio. Curiosamente, um dos extremos mais interessantes dos últimos anos nunca chegou a Inglaterra ou Espanha, os dois melhores campeonatos europeus.

Coutinho na Baviera

19
Ago19

philippe-coutinho-com-a-camisa-do-bayern-de-muniqu

Se 8,5 milhões são números de respeito para as grandes equipas portuguesas, para o gigante bávaro Bayern de Munique, esse é apenas o valor a pagar para garantir o empréstimo de Philippe Coutinho. A precisar de estrelas para convencer internamente (o Dortmund está à espreita com reforços de peso) e conseguir ter argumentos europeus (o goleador Lewandowski já tinha pedido reforços de peso), o Bayern pós Ribery e Robben, tentou Sané mas falhou. Chega Coutinho que falhando em Barcelona, tem tudo para se tornar num dos melhores jogadores da Bundesliga. O novo camisola 10 é, aos 27 anos um jogador maduro, capaz de construir o jogo e de marcar muitos golos. Será, com certeza, o novo municionador de Lewandowski. Não é de estranhar que chegue mais um jogador de grande cartel ao Bayern. Para já, o anúncio de Coutinho foi precedido pelo de Cuisance. O médio centro de 20 anos, formou-se nas escolas do Nancy antes de rumar ao Borussia M´gladbach onde fez duas boas épocas. Pavard (Estugarda), Lucas (Atlético) e Perisic (Inter) são as outras caras novas.

 

Voltemos a Coutinho. Menino prodígio do futebol brasileiro, deu nas vistas pelo Vasco da Gama, ainda adolescente. Aos 19 anos veio para a Europa, jogando 20 partidas pelo Inter de Milão. Ao lado tinha os compatriotas Júlio César, Maicon, Lúcio ou Mancini. Jogou menos no segundo ano e acabou emprestado ao Espanhol. Depois de mais meia época em Milão, juntou-se ao Liverpool, tinha já 21 anos. Gerrard, Lucas Leiva ou Suarez eram seus companheiros. Em 2013-2014, fez grande época e por pouco o Liverpool não conseguiu voltar a ser campeão. Ele, Sterling e Suarez eram as estrelas da companhia. Pelo Liverpool fez um total de 201 jogos e marcou 54 golos. Em janeiro de 2018, o Barcelona gastou mais de 145 milhões no seu passe. Não foi uma boa jogada para nenhuma das partes. Coutinho, vencedor da Copa América 2019, parte em busca de mais títulos.