Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Visão do Peão

Regresso ao trabalho

24.06.19, Francisco Chaveiro Reis

Luciano-Vietto-Atletico-Madrid.png

Esta semana marca o reencontro do plantel do Sporting com o trabalho. Mas, a bem da verdade, plantel é coisa que ainda não existe.  Para já, estão garantidos os reforços Luís Neto e Luciano Vietto. Rosier e Eduardo Henrique estarão a caminho. Rafael Camacho e Lucas Robertone são desejos. Na porta de saída estão Bruno Fernandes, Bas Dost e Marcus Acuña, titulares com capacidade de equilibrar as contas. Depois há excedentários e emprestados. Vejamos o quadro.

Guarda-redes: Renan, herói das Taças mantem-se como número 1. Max sobe a dois e Sousa, a três. Faria falta mais experiência, mas não será por aqui que o plantel falhará. Salin já foi e Viviano tem pretendentes em Itália. Se poupar é a palavra de ordem, aqui, objetivo cumprido.

Lateral-direito: Rosier está a chegar e pelo preço e pergaminhos, deve agarrar a titularidade. Internacional jovem francês tem tudo para se dar bem e ser um bom negócio. Gostava de ver um dos jovens – Thierry ou Mama – serem opção, mas dada a juventude do francês, creio que Ristovski se vai manter. Thierry deve rodar num clube da primeira liga e Mama Baldé está para ser incluindo no negócio com o Dijon. Bruno Gaspar nunca convenceu e será transferido.

Defesa-esquerdo: Borja está garantido e Conté deve rodar noutro clube. De resto, dúvidas. Jefferson, quase no fim do contrato é para vender e Acuña, na Copa América como Borja, pode sair. O Sporting aceita 20 milhões. Por um jogador de qualidade e polivalente, não é nada mau negócio para clubes ingleses, espanhóis ou italianos. O adolescente Nuno Mendes faz a pré-temporada, mas deve mesmo chegar mais um homem para a esquerda da defesa. Lumor nem deve treinar.

Defesa-central: Não deve mudar muito. Ficam Coates, Mathieu e Ilori. Chega Neto. Pinto será transferido e Ivanildo novamente transferido. A meu ver, Domingos, após grande época na Corunha, seria opção (troca com Ilori) mas a possibilidade de vender o jovem, é interessante para um clube a precisar de fazer dinheiro.

Médio-centro: Keizer deve continuar a alternar entre o 4-3-3 e o 3-4-3. Nesse sentido, precisa de uma boa dupla de médios centros. Até aqui, tinha Gudelj e Wendel. É provável que o sérvio não se mantenha, uma vez que estava emprestado e era demasiado caro. Titular, nunca convenceu as bancadas e não deve merecer esforço financeiro. Wendel, vencedor em Toulon, desertou interesses. O Sporting estará no mercado, mesmo tendo Doumbia, Miguel Luís e Battaglia. Eduardo deve estar a chegar, mas Gudelj terá outro substituto.

Médio ofensivo: A saída de Fernandes é quase certa e espera-se que pague o resto dos reforços. Há os jovens Daniel Bragança e Diogo Brás; há Alan Ruiz e Iuri Medeiros (acredito que possa render nesta posição) e há o alegado interesse em Robertone. Anda assim, até Fernandes sair, tudo parece incerto, sobretudo no meio-campo.

Extremos: Raphinha é aposta para a direita e Camacho deve ser a sua concorrência. Jovane deve ser cedido e Pedro Marques não deve subir já. Duvido que Mané, se possa manter ou gerar grande lucro. Pela esquerda, Matheus vai tentar convencer Keizer, sendo que uma proposta na ordem dos 10 milhões, pode convencer o Sporting. Diaby não tem o lugar certo e o Sporting quererá um extremo de qualidade inequívoca. Lá está, quando tiver o dinheiro de Fernandes.

Ponta de lança: Luiz Phellype terminou em grande e Vietto traz um perfil diferente e que pode ser útil. Quem será o terceiro homem? Dost está avaliado em 20 milhões que as maiores ligas parecem não querer pagar. Até aposto que fica por cá. Se não ficar, Slimani é a prioridade.