Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Özil retira-se

Estava na Turquia

Francisco Chaveiro Reis
22
Mar23

Aos 34 anos, Mesut Özil, alemão de origem turca, pendurou as botas. Apesar de ter jogado por uma das melhores seleções e em grandes clubes, a carreira do médio ofensivo acaba com a ideia de que +poderia ter chegado muito mais longe. Nascido em Gelsenkirchen, Özil acabou a formação estreou-se como sénior pelo clube local, o histórico Shalke 04. Com Kurányi, Halil Altıntop, Lincoln ou Neuer, fez 23 jogos na estreia e ajudou a equipa a ser vice-campeã. Fez mais 16 jogos, mas a meio da época seguinte, mudou-se para o Werder Bremen em busca da titularidade, depois de se desentender com a direção do Shalke. Em Bremen tornou-se na estrela da equipa, fazendo 16 golos em 108 jogos. Em maio de 2009, fez o golo da vitória do Werder ante do Leverkusen que lhe valeu a Taça da Alemanha. No mesmo mês, chegou à final da Taça UEFA, perdendo-a para o Shakhtar Donetsk.

Como um dos médios mais interessantes da Europa, aos 22 anos chegou ao Real Madrid. Fez 159 jogos e marcou 17 vezes. Venceu um campeonato, uma taça e uma supertaça. Apesar do talento e de ser utilizado com frequência, Özil acabou por deixar Madrid. Seguiu-se o Arsenal, clube onde passou mais tempo e onde venceu quatro taças inglesas e uma supertaça. Apesar da grandeza do clube, o médio pertencia a uma equipa que lutasse pela Premier League e Champions League. Pelos Gunners, o camisola 11 marcou 33 golos e 184 jogos. Em 2019, liderou a equipa que chegou à final da Liga Europa, perdida para o Chelsea. O fim da sua estadia em Londres foi marcado pela polémica, que o acompanhou ao longo da carreira e o médio mudou-se para a Turquia.

Em 2020, juntou-se ao Fenerbahce, fazendo 382 jogos e 8 golos em duas épocas. Foi afastado do grupo e saiu mais cedo do que o previsto, tendo-se mudado para o Basaksehir onde também não cumpriu o contrato até fim.

Pela Alemanha, fez 92 jogos e 22 golos, sendo campeão do mundo em 2014. Esteve ainda nos Mundiais de 2010 e 2018 e nos Europeus de 2012 e 2016.