Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Kroos a acabar carreira

Depois do Euro 2024

Francisco Chaveiro Reis
21
Mai24

Cópia de Design sem nome (28).png

A carreira de Toni Kroos acaba algures nas próximas semanas. O internacional alemão jogará o resto da época pelo Real Madrid, provavelmente conquistando mais uma Liga dos Campeões e segue depois para o Euro 2024, jogado na Alemanha, onde defenderá a equipa da casa. O último jogo dos germanicos será o último jogo de uma carreira brilhante.

Kroos, com 34 anos feitos há poucas semanas, nasceu em Greifswald e foi pelo Greifswalder SV 04 que começou o seu percurso. Em 2002, aos 13 anos, mudou-se para o mais conhecido Hansa Rostock e em 2006 estava nos sub-17 do Bayern de Munique. Aos 18 anos estreou-se pela equipa principal, estando em 20 jogos, num meio campo que contava com Scholl, Zé Roberto, Van Bommel ou Schweinsteiger. Fez mais 9 jogos no ano seguinte e passou a segunda metade da época emprestado ao Leverkusen onde ficaria ano e meio.

Regressou a Munique e fixou-se como figura entre 2010 e 2014. Saiu com 204 jogos disputados e com muitas conquistas: uma liga dos campeões, um mundial de clubes, uma supertaça europeia, três ligas alemãs, uma taça da liga, três taças da Alemanha e duas supertaças.

A mudança para Madrid só lhe engordou o palmarés: quatro ligas dos campeões, três supertaças da UEFA, cinco mundiais de clubes, quatros campeonatos, uma taça e quatro supertaças. Pendulo do meio campo, fez dupla de luxo com Modric, mais ofensivo e permitiu que outros como Benzema, Ronaldo, Bale ou Vinicius pudessem dedicar-se exclusivamente aos golos. Dono de um passe preciso, fica na história como um dos melhores médios de sempre.

Pela seleção conta, até agora, com 108 jogos. Esteve em três mundiais e vai para o quinto Europeu. A glória suprema viveu-a no Brasil, há dez anos. Usando a camisola 18 foi titularíssimo do Mundial vencido. Na estreia, fez uma assistência no 4-0 a Portugal; fez mais 90 minutos no 2-2 com o Gana e ao terceiro jogo não descansou no 0-1 aos EUA. Nos oitavos, 120 minutos no 2-1 à Argélia e nos quartos, assistiu Hummels para o único golo do jogo contra a França sendo finalmente substituído. Nos descontos. Nas meias, marcou dois golos e ofereceu um na mítica goleada ao Brasil por 1-7. Na final, mais 120 minutos.