Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Estrelas nos Jogos

Caras conhecidas no Japão

22
Jul21

Design sem nome (11).png

Pouco depois do Euro 2020, já rola a bola nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Entre as seleções, não faltam caras bem conhecidas. Vejamos. No Grupo A, o guardião Ochoa é a cara mais conhecida da equipa mexicana, sobretudo depois de uma carreira a brilhar na equipa A do México. Na equipa da casa, moram 9 jogadores que jogam fora do Japão e que são os mais reconhecíveis: Yoshida (Sampdória), Tomiyasu (Bolonha), Endo (Estugarda) ou Doan (Arminia). Maeda, que já passou pelo Marítimo ou Kubo, dos quadros do Real Madrid, são outros nomes sonantes. Na África do Sul, sem grandes estrelas, há três jogadores que atuam em Portugal: Singh (Paços), Foster (Guimarães) e Cele (Cova Piedade). Por fim, a França, onde se destacam Thauvin e Gignac, que brilharam pelo Marselha e que são agora jogadores do Tigres, do México.

O Grupo B, com Roménia, Nova Zelândia, Honduras e República da Coreia, é bem menos interessante. Na Nova Zelândia mora Nando Pijnaker, defesa do Rio Ave e Wood, avançado experiente do Burnley. Nas Honduras, está o avançado Benguché, do Boavista. Na Coreia, estão Lee Kang-in (Valência), médio ofensivo, considerado um dos grandes valores de futuro e os avançados experientes Kwon Chang-hoon (Friburgo) e Hwang Ui-Jo (Bordéus).

No Grupo C, a Argentina levou Valenzuela, avançado do Famalicão. Sem grandes estrelas, estão no Japão, vários argentinos interessantes: Gaich (Benevento), Barco (Atlanta), Ponce (Spartak), Almada (Velez) ou Alexis MacAllister (Brighton). Já a Espanha leva vários jogadores que já tinham estado no Euro: Unai (Athletic), Eric (City), Pau (Villarreal), Pedri (Barcelona) e Olmo (Leipzig). Outros, como Mingueza (Barcelona), Ceballos (Arsenal), Soler (Valência) ou Asensio (Real Madrid), também dispensam apresentações.

Por fim, o Grupo D, onde moram Brasil e Alemanha. No Brasil, Dani Alves (São Paulo) é a o nome maior (e mais velho) mas também lá estão Richarlison (Everton), Paulinho (Leverkusen), Antony (Ajax), Malcom (Zenit), Claudinho (Bragantino) ou Diego Carlos (Sevilha). Com este elenco, o Brasil será o maior favorito a vencer a medalha de ouro. Na Alemanha, estão Kruse (Union Berlin), Amiri (Leverkusen) ou Arnold (Wolfsburgo) mas não há grandes estreias. Curiosamente, Svend Brodersen, guarda-redes suplente, já joga no Japão. Na Costa do Marfim, há quatro jogadores que atuam em Portugal: Tié e Outtara (Guimarães), Kouao (Vizela) e Doumbia (Sporting). Mas, o plantel tem estrelas como Kessié (Milan), Bailly (United) ou Kouamé (Fiorentina).