Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Visão do Peão

Craques da bola, 28

16.11.19, Francisco Chaveiro Reis

vassell.png

 

Sueco de origem cabo-verdiana, Henrik Larsson continua a ser, aos 48 anos, uma referência do futebol sueco. Entre 1989 e 1991, jogou pelo modesto Hogaborgs BK, marcando 23 golos em 64 jogos.

Aos 20 anos, chegou ao Helsingborgs IF, para dar desde logo nas vistas com 34 golos em 31 jogos, mesmo tendo a concorrência do Mats Magnusson, pós Benfica. No ano seguinte, marcaria apenas metade dos golos, mas isso não impediu a aposta do Feyennord, gigante holandês onde Larssson passaria os quatro anos seguintes.

Em Roterdão, nunca passou dos 16 golos por época (6-14-16-8) mas ganhou os primeiros trofeus da Holanda, duas Taças. Por lá, dividiu balneário com Ed de Goey (viria a fazer carreira no Chelsea), Gaston Taument (passou pela Luz), Peter Bosz (atual treinador do Leverkusen) ou Giovanni van Bronckhorst (seria seu adversário direto na Escócia e colega no Barcelona).

No verão de 1997, chegou a Glasgow para iniciar uma história de amor no Celtic. Por lá esteve sete épocas, fazendo 242 golos em 313 jogos. Ajudou a vencer quatro campeonatos, duas taças e três taças da liga e ainda esteve presente numa final da Taça UEFA. Chegou para render…Jorge Cadete, que marcara 33 golos na época anterior. Aos 26 anos, com a camisola 7 nas costas, marcou “apenas” 19 golos, mas o Celtic venceu campeonato e taça.

Adorado até hoje pelas gentes do Celtic Park, Larsson teve épocas épicas: 2000-2001 com 54 golos em 50 jogos; 2002-2003 com 44 golos em 52 jogos ou a última, 2003-2004, com 41 em 58 jogos. Com ele, jogaram homens como Paul Lambert, Mark Viduka, Ian Wright, Stiliyan Petrov, Eyal Berkovic ou Chris Sutton.

Depois de três golos no Euro 2004, mudou-se para o Barcelona, aos 33 anos. Mesmo com Eto´o por lá, não quis fazer figura de corpo presente e marcou 19 golos em 58 partidas. Melhor, ganhou uma Liga dos Campeões para além de um campeonato e de uma taça. Conviveu com Messi, Deco, Ronaldinho, Iniesta ou Xavi.

Regressou a casa e ao Helsingborgs IF para ganhar uma taça sueca, mas não parou por aí. Conheceria a glória de jogar em mais um gigante europeu. Aos 38 anos, estreou-se na Premier League, pelo Manchester United, e venceu-a. Marcou 3 vezes pelo United e aí, sim, regressou à Suécia, de vez.

Pela Suécia, 106 jogos e 37 golos. Esteve no Mundial 1994, nos EUA, ajudando e de que maneira, os nórdicos a conquistarem o terceiro lugar. Larsson era a estrela de uma equipa que contava com Dahlin, Brolin, Ravelli ou Kennet Anderson.