Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Visão do Peão

Craques da bola, 18

22.10.19, Francisco Chaveiro Reis

vassell.png

Nome grande do futebol turco, Hakan Sukur, hoje com 48 anos e a viver fora do seu país por razões políticas, foi um goleador de mão cheia. Começou a carreira, jogando três épocas no Sakaryaspor, entre 1987 e 1990, apontando 11 golos e vencendo uma Taça da Turquia.

Com a descida do clube, mudou-se para o Bursaspor, onde passaria dois anos e marcaria por 14 vezes. Mais golos, numa equipa mais competitiva, abriram-lhe as portas do Galatasary, um dos melhores clubes turcos e o clube onde mais se destacou. Na primeira passagem, marcou 71 golos em 151 partidas, vencendo dois campeonatos, uma taça e uma supertaça. Aos 24 anos, rumou ao Calcio e ao Torino. Não teve sucesso, marcando apenas 1 golo em 5 jogos e regressou ao Gala

De 1995 a 2000, marcou mais 152, em mais de 220 tentativas. Ajudou a vencer mais quatro campeonatos e três taças. Em 2000, venceria a Taça UEFA, abrindo caminho para que no ano seguinte, já sem si, o Gala vencesse a Supertaça.

Aos 29, quis voltar a tentar a sorte fora da Turquia. Regressou a Itália e passou a jogar pelo Inter. Com a concorrência de Zamorano, Recoba, Keane ou Vieiri, fez 30 jogos e marcou 5 golos. Nada brilhante, mas suficiente para recuperar a sua honra. No ano seguinte, mudou-se para Parma, mas por lá, jogou menos e marcou menos. Era hora de experimentar a Premier League onde apenas marcou duas vezes.

Era hora de regressar à Turquia e ao Gala, onde voltou a ser uma máquina de golos. Em mais cinco anos, 72 golos e mais títulos: dois campeonatos e uma taça.

Sukur, melhor marcador da história do campeonato turco, foi ainda herói na seleção, guiando-a ao terceiro lugar no Mundial de 2002. Esteve nesse Mundial e nos Euros 1996 e 2000. Ao todo, marcou 51 golos em 112 jogos.