Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Brasil no Euro

De Pepe a Marlos

Francisco Chaveiro Reis
13
Abr21

 

Propaganda de Moda Capa para Facebook (2).jpg

Nasceram no Brasil, mas vão (muito provavelmente) jogar o próximo Euro. Falo de Pepe, Emerson, Jorginho, Guilherme, Mário Fernandes, Marlos, Júnior Morais. Há ainda, Thiago. Vejamos, caso a caso.

Em Portugal, joga Pepe, patrão da defesa e uma das grandes figuras da seleção no Euro 2016. Aos 38 anos, Pepe é mais português do que brasileiro, mesmo tendo nascido em Maceió. Chegou a Portugal há 20 anos, para se juntar ao Marítimo, antes de fazer uma brilhante carreira no FCP (onde regressou) e Real Madrid. Portugal já contou com Deco, Liedson ou Dyego Sousa e há outros, como Otávio, que ainda podem ser chamados.

Aqui ao lado, onde já jogaram Diego Costa, Donato ou Marcos Senna, mora Thiago, que até nasceu em Itália, mas filho do internacional brasileiro Mazinho (campeão do Mundo em 1994). Thiago será o 10 de Espanha, agora que defende o Liverpool, depois de passar por outros colossos como Barcelona e Bayern. O irmão, Rafinha (PSG), já se sabe, não pode jogar o Euro, já que escolheu jogar pelo Brasil. Em Itália, mora o belo suplente Emerson Palmieri, que ocupa o mesmo papel no Chelsea. O lateral esquerdo de 26 anos, de origem italiana, deixou o Brasil em 2014 para se juntar ao Palermo, tendo depois defendido e Roma, antes de se mudar para o Chelsea onde joga com Jorginho, companheiro de seleção. Jorginho Frello (29 anos) está em Itália desde a adolescência, tendo feito carreira no Hellas Verona, Sambonifacese e Nápoles.

Mais a leste, moram os outros nados no Brasil. Pela Ucrânia, joga Marlos, extremo transformado, pela idade, em organizador de jogo. Aos 32 anos, cumpre a sua 10.ª época na Ucrânia, com passagens por Metalist e Shakhtar Donetsk. Joga no clube e na seleção com Júnior Morais, de 34 anos. Júnior, irmão de Bruno, que tem nacionalidade portuguesa e chegou a jogar pelo FCP, defende o Shakhtar Donetsk depois de ter jogado por Metalurh Donetsk e Dinamo Kiev. Não é nenhum Shevchenko mas leva 61 golos na Ucrânia, só nos últimos três anos. Na Rússia, Guilherme (Lokomotiv) é agora suplente, mas é dos homens de confiança do treinador. Está na Rússia desde 2007 e já foi chamado para o Euro 2016 e para a Taça das Confederações do ano seguinte. Mais currículo, tem Mário Fernandes, defesa de 30 anos, a completar a sua 9.ª temporada no CSKA. Fernandes esteve no Mundial de 2018, fez 5 jogos e marcou 1 golo.