Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Abel quase na final da Liberta

Francisco Chaveiro Reis
06
Jan21

5f2f17c9cc96e.jpeg

Abel Ferreira está com pé e meio na final da Taça Libertadores da América, depois do seu Palmeiras ter goleado o River Plate, em Buenos Aires, por 0-3. Rony, Luiz Adriano e Viña foram os heróis da noite, que tornam a missão do River quase impossível na segunda mão, no Brasil. O Palmeiras prepara-se para regressar a uma final da Liberta, vinte anos depois, podendo vencer a segunda do seu palmarés, depois da conquista de 1999. Abel continua em grande ao comando do Verdão. 

Zagallo

Francisco Chaveiro Reis
11
Dez19

226979988.jpg

Na gala de atribuição de prémios do Brasileirão, Mário Zagallo foi chamado ao palco para ser homenageado. Fragilizado pela idade, teve a ajuda de Jorge Jesus, que, num momento de ternura, lhe deu dois beijos na face. Mas quem é afinal Mário Zagallo?

Nascido a 9 de agosto de 1931 em Maceió, Zagallo teve uma primeira vida como futebolista de elite, jogando a extremo esquerdo. Como avançado, passou por América do Rio de Janeiro, Flamengo e Botafogo. Pelo Mengão e Botafogo, venceu um sem número de títulos, mas foi ainda como jogador que começou a ser feliz pela seleção brasileira. Foi campeão do mundo em 1958 e 1962 e venceu ainda uma série de outras competições como a Taça do Atlântico, a Taça Oswaldo Cruz e a Taça Bernardo O'Higgins. Pepe, companheiro de Pelé no grande Santos, foi relegado para o banco no 4-3-3 do Escrete.

No Botafogo, conviveu com a melhor geração do clube: Garrincha, Didi e Nilton Santos, que seriam também seus companheiros, na seleção. Retirado em 1965, começaria a treinar o mesmo Botafogo em 1966. Só na etapa seguinte, o Flamengo venceria os primeiros títulos, no banco. Passaria ainda por Fluminense, Flamengo, seleção do Kuwait, Al Hilal, Vasco da Gama, seleção da Arábia Saudita, Bangu, seleção dos EAU e Portuguesa dos Desportos. Mas seria, mais uma vez, pela seleção que seria mais feliz. Em 1970, guiou o Brasil a mais um Mundial, com Pelé em grande, no México. 24 anos depois, já como coordenador técnico, chegou ao bis, estando diretamente ligado a quatro Mundiais vencidos pelo Brasil. Aos 88 anos, o Velho Lobo é uma figura idolatrada, justamente, no Brasil e um pouco por todo o mundo.

Cruzeiro desce pela primeira vez

Francisco Chaveiro Reis
10
Dez19

14989158-high.jpeg

Infelizmente para os adeptos da Raposa, este fim-de-semana fez-se história no Brasileirão. Aos 98 anos, o Cruzeiro de Belo Horizonte desceu de divisão. Com quatro campeonatos do Brasil, seis taças e quarenta campeonatos mineiros no Museu, o Cruzeiro fez uma péssima época e em 2020, disputará a série B.

Com três treinadores ao longo da época - Mano Menezes e Abel Braga, Adilson Batista – o Cruzeiro não foi além das 7 vitórias em 38 jogos (15 empates e 16 derrotas). Marcou apenas 27 golos e sofreu 46. Apesar de não ter um plantel de luxo, o Cruzeiro contou com bons jogadores como Dedé, Dodô, Thiago Neves, Sassá ou Fred (21 golos na época). Joel, que se destacou no Marítimo, também integra o elenco

Fundado a 2 de janeiro de 1921, o Cruzeiro, conta ainda com diversos títulos continentais, com destaque para duas Copas dos Libertadores da América.

Mas os problemas do Cruzeiro estão longe de ser apenas desportivos. O clube vive uma profunda crise económica e não tinha já condições de pagar os salários principescos dos seus principais jogadores. Com a descida e a queda das receitas (nomeadamente das transmissões televisivas), o plantel passará por profundíssima remodelação. Adilson Batista é o homem em que a direção confia para liderar uma equipa mais jovem e principalmente, muito mais barata.  

Jorge, Rei das Américas

Francisco Chaveiro Reis
24
Nov19

mw-860.jpg

Jorge Jesus, vive aos 65 anos, os melhores dias da carreira. A sua chegada ao Flamengo, após ter treinado "apenas" em Portugal e na Arábia Saudita, causou desconfiança, mas seis meses depois, Jesus é "o cara". Quando chegou ao Mengão, o clube, sem conhecer o sabor da vitória há dez anos, estava a oito pontos do líder Palmeiras. Nada que assustasse Jesus. Com bons reforços, sobretudo para a defesa (José Mari, Rafinha e Filipe Luís), o português mudou a maneira de trabalhar, pensar e de jogar do elenco do Flamengo e rapidamente arrancou uma caminhada de glória, cuja extase chegou este fim-de-semana.

Sábado, final da Copa Libertadores da América, exatamente 38 anos depois da última. Borré marcou primeiro e o River quase venceu por dois anos consecutivos. Provavelmente, até foi melhor, mas Gabigol, aproveitando dois erros argentinos, fez em três cruéis minutos, os golos da reviravolta e o Rio de Janeiro ficou louco. Estava o Flamengo em festa quando chegaram ecos de mais motivos. O Palmeiras perdeu, em casa, com o Grémio (adversário do Mengão nas meias da Liberta e treinado por um dos maiores críticos de Jesus) e mesmo sem jogar, o Flamengo é campeão de novo. Apesar dos milhões de fanáticos adeptos, este é apenas o sétimo campeonato da história do clube, o que faz do feito de Jesus, algo ainda mais significativo. Em dezembro há o derradeiro sonho flamenguista: o Mundial de Clubes, onde o Liverpool será o grande entrave à maior felicidade. Depois disso, Jesus pouco mais terá a fazer no Rio e confessa, mais uma vez, sonhar com um gigante europeu. Ainda vai a tempo?

Jesus é o primeiro estrangeiro a vencer o Brasileirão; o segundo treinador a vencer a Libertadores pelo Flamengo; consegue a conquista da Liberta e do campeonato no mesmo ano, após apenas o Santos de Pelé o ter conseguido em 1963 e prepara-se para recordes no Brasileirão: equipa com mais pontos numa só época (já tem tantos como o Corinthians de 2015 e ainda vai jogar quatro partidas); equipa com menos derrotas (só tem três e os melhores da história acabaram com quatro); leva 22 jogos sem perder e mais jogos, iguala a marca do Palmeiras; já igualou a marca de oito jogos a vencer e pode ultrapassa-la no próximo jogo e pode ser o melhor ataque de sempre, levando já 73 golos e estando a 4 da marca dos 77.

Mengão nas meias da Liberta

Francisco Chaveiro Reis
29
Ago19

1562010216.png

O Flamengo de Jorge Jesus está nas meias-finais da Libertadores da América, 35 anos depois. Ontem, o Mengão foi a Porto Alegre empatar a uma bola (mais um golo de Gabriel Barbosa) com o Inter local e valeu a vitória por 2-0, na primeira mão. O entrave à presença na final será outro clube brasileiro e da mesma cidade do que o Internacional: o Grémio. Este foi o 13.º jogo de Jesus no Brasil, e a sua sétima vitória.

Brasil vence a sua copa

Francisco Chaveiro Reis
07
Jul19

Richarlison.png

Depois dos desastres de 1950 e 2014, o Brasil venceu uma grande competição, em casa. Grande favorito à vitória final, o Brasil não defrontou Argentina, Chile ou Colômbia na final mas sim o Peru, que vencera a Copa América apenas em duas ocasiões e que há mais de 40 anos que não sabia o que era uma final. Motivado, o Brasil entrou melhor e marcou aos 15´ por Everton Cebolinha, provavelmente a grande figura do Brasil na prova. O golo de Guerrero, figura central do Peru, ainda assustou mas Gabriel Jesus levou o Brasil a vencer para o intervalo. Jesus ainda seria expulso e o Brasil ainda tremeria mas Richarlison daria o descanso sob a forma de 3-1. O Brasil conquistou a prova pela nona vez, sendo apenas superado por Argentina (14) e Uruguai (15). 

Brasil já está na final

Francisco Chaveiro Reis
03
Jul19

transferir.jpg

O Brasil está na final da “sua” Copa América, após ter derrotado o arquirrival, Argentina, com Acuña a titular, por 2-0. Uma grande jogada de Daniel Alves, Roberto Firmino e Gabriel Jesus deu o 1-0 aos da casa, pouco depois do quarto de hora. Roberto Firmino faria o segundo, aos 71 e Messi voltou a não vencer uma prova com a sua seleção. Chile (bicampeão) e Perú decidem hoje quem se junta ao agora mais do que nunca favorito, Brasil.

Jesus é brasileiro

Francisco Chaveiro Reis
03
Jun19

jorg.png

Jorge Jesus é o novo treinador do Flamengo. O objetivo claro, num clube desta dimensão, é ser campeão, um título que escapa ao Mengão desde 2009. Entre os argumentos que o Flamengo tem, para além do seu peso histórico e adeptos fanáticos em grande número, está um elenco de grande qualidade que conta com Gabriel Barbosa, Vitinho, Everton Ribeiro, William Arão, De Arrascaeta e Diego. A caminho podem ainda estar nomes como Zapata (Milan), Rafinha (Bayern), Filipe Luís (Atlético Madrid) e Jemerson (Mónaco) são nomes falados. É claro que o Flamengo quer reforçar a defesa e que dinheiro não parece ser problema.

A tradição de treinadores portugueses no Brasil é quase nula e a contratação de Jesus já deu polémica e contestação, mas um coro de jogadores brasileiros que foram treinados por JJ, como Jonas, David Luiz ou Rodrigo Alvim, colocam-no como técnico de topo.

Contra si, Jesus terá a falta de conhecimento da realidade que vai encontrar mesmo que seja fã do futebol brasileiro e que o observe atentamente há anos; a impaciência dos adeptos e o facto do campeonato já estar em curso. A favor, a forma única como treina as suas equipas e o histórico de tirar o máximo dos seus jogadores e de jogadores brasileiros, em particular. Uma coisa é certa. Jesus dará cor ao Brasileirão.

24 horas no ar até à Copa do Brasil

Francisco Chaveiro Reis
18
Out18

maxresdefault.jpg

O talentoso médio ofensivo uruguaio De Arrascaeta marcou o golo da vitória do Cruzeiro. O 1-2, a cair do pano, confirmou a vitória na final da Copa do Brasil 2018 (a "Raposa" já tinha vencido o Corinthians por 1-0 na primeira mão). Até aqui nada de anormal. O camisa 10 do Cruzeiro é uma das estrelas da equipa e leva 12 golos em 43 jogos em 2018. O que talvez não seja normal é o esforço feito feito para que o atleta estivesse em campo. Depois de jogar pela sua seleção no Japão, Gio esteve a voar durante 24 horas para chegar ao Brasil, 6 horas antes da partida. Pelos vistos, resultou.