Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Visão do Peão

O dia seguinte

27.08.15, Francisco Chaveiro Reis

 

ng4601522.jpg

 

O Sporting não jogará a Champions League deste ano. Após ter vencido por 2-1 em Lisboa, perdeu ontem por 1-3 em Moscovo. Ante do CSKA, Jesus apostou num meio-campo reforçado, juntando Aquilani a Adrien e João Mário. Téo foi titular e Slimani começou no banco.

 

Na primeira parte, o Sporting dominou e, pouco antes do descanso, marcou por Téo (3 golos em quatro jogos). Tudo parecia estar encaminhado. Mas não estava. O CSKA subiu muito de rendimento na segunda metade e a dupla Doumbia/Musa deu cabo de uma defesa do Sporting ingénua e sem qualidade. João Pereira voltou a estar muito mal e Naldo, bem internamente, mostrou demasiadas fragilidades. Doumbia fez o 1-1. A questão é que o marfinense empurrou a bola com o cotovelo. O árbitro nada assinalou. Após dois penáltis por marcar na primeira mão, o Sporting a ser gravemente prejudicado. O empate derrubou o Sporting que não mais lutou. Cansada e sem lucidez, a equipa sofreu dois golos. Doumbia fez o segundo e Musa, o terceiro. Antes, Slimani marcara um golo limpo. Com a bola na baliza, o árbitro apontou falta. A bola de Carrillo terá saído antes de chegar ao argelino. Admite-se mas o árbitro foi lento a apitar.

 

O Sporting não é ainda uma equipa forte e as ideias de Jesus ainda estão a ser trabalhadas. Quanto a mim, a equipa defendeu cedo de mais o resultado e as substituições foram tardias mas esta eliminação, como a do ano passado, fica ligada a péssimas arbitragens. Isso não pode ser esquecido. Assim, uma equipa banal (mesmo com bons jogadores) que habita num estádio para 17 mil pessoas segue em frente. Uma que junta 40 mil pessoas num jogo com o Paços e joga, a espaços, bom futebol, fica pelo caminho.

 

As consequências

Desportivamente é um revés. Muitos jogadores chegaram ou mantiveram-se no clube com a motivação de jogar a Champions. Acredito que demore a digerir esta eliminação e creio que podemos esperar pouco da equipa em Coimbra, por muito que Jesus diga o contrário.

 

Economicamente este é um duro golpe. Os cerca de 14 milhões de euros que o clube ia encaixar seriam suficientes para pagar as contratações feitas até agora. Mais, seriam importantes para contratar mais dois ou três jogadores e dariam margem para renovar com Carrillo. Fora o dinheiro que se poderia ganhar por vitória, empate ou eventual passagem à fase seguinte.

 

Mas, ao contrário do que muitos comentadores fazem crer, o Sporting não vai acabar e não vai vender todo o plantel à pressa (passo o exagero). Não jogando na Champions, acredito que possa fazer uma venda – Adrien, João Mário ou William – caso chegue uma proposta séria – 15, 25 e 35 milhões – mas não creio que se mude muito. O projeto inclui vencer o campeonato e para isso são precisos bons jogadores. No onze e no banco.

 

As entradas, essas, acredito que possam ser congeladas. Não todas mas algumas. Acredito que o Sporting estivesse em campo em busca de um guarda-redes, um lateral direito, um central, um extremo e um ponta-de-lança. Creio que destes cinco, só dois ou três virão. A Champions requer um nível superior.

 

Liga Europa

O Sporting ganha, ainda, assim, quase 6 milhões de euros. Um x por ter ido ao play-off e um x por entrar na Liga Europa. A competição europeia onde jogará será esta e deve dedicar-se a ela. Fazer boa figura (chegar pelo menos aos quartos) não é de desdenhar. Primeiro, ganha-se também algum dinheiro. Depois, terá na competição equipas com nome e qualidade como Lázio, Celtic, Mónaco ou Basileia. Outras como Dortmund, Ajax ou Fenerbahce.

O Sporting poderá ter um bom grupo e fazer boas figuras. Não é a mesma coisa mas…

 

O plantel

O plantel vai mudar com esta eliminação. A Liga Europa é menos intensa e não serão necessários, por exemplo, quatro homens para o papel de 8/10. Creio que Martins sairá e que João Mário também, ficando Adrien e Aquilani. Para seis, creio que Bruno está prestes a ser lançado e que William regressará em grande.

Na baliza, Jesus não terá grande confiança em Marcelo mas, a não ser que os últimos dias de mercado tragam “promoções”, deve ficar com ele este ano. Patrício e Jug completam o trio. Se Patrício não se lesionar, a baliza está bem guardada.

 

Na direita, João Pereira tem sido o pior da equipa. Por muito que Jesus goste da sua garra, creio que, mesmo com menos dinheiro esta posição será reforçada sendo Esgaio emprestado mas, se o jovem nazareno fizer uma boa exibição no domingo, nunca se sabe. Na esquerda Jefferson e Silva dão garantias.

 

No centro, Oliveira e Naldo abanaram ontem e no sábado mas têm potencial. Ewerton também se mostrou mas, continua a faltar um patrão. Ciani falhou e penso que o Sporting teria outras opções em carteira para atacar até segunda. Sem dinheiro, duvido que o faça. Creio que Tobias será o terceiro central até Ewerton regressar.

 

Nas alas atacantes, Ruiz, Gelson e Mané estão certos. Um extremo (Cervi) estaria a caminho e acredito que chegue na mesma. Ruiz não aguenta 90 minutos e descai muito para o centro. Carrillo fechará o lote, caso renove, o que se afigura difícil. Este caso terá que ser resolvido imediatamente para que o jogador possa ser vendido e ser contratada uma opção. Em janeiro, Carrillo é livre para assinar por outro clube.

 

No ataque fazem falta quatro homens. Téo e Slimani são a dupla de eleição. Montero e Tanaka parecem não convencer Jesus mas, a chegar, só virá um. Veremos.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.