Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

A queda do Arsenal

Quase campeão

Francisco Chaveiro Reis
21
Mai23

O desastre anunciava-se e ontem aconteceu. O Arsenal perdeu mesmo o título inglês para o Manchester City e ontem até antecipou a festa dos rivais ao ser derrotado na casa do Nottingham Forest, que assim, praticamente, garantiu a permanência na Premier League. Líder até há poucas semanas, o Arsenal, que em janeiro até se reforçou com Jorginho, experiente médio com muitos títulos na carreira, não aguentou a pressão e cedeu perante um City demolidor. Foi-se a melhor oportunidade dos Gunners vencerem o campeonato desde há muitos anos.

Mikel Arteta não conseguiu superar o seu mestre, Pep, mas continua a lançar as fundações para uma grande equipa que, possivelmente, até vai dominar o futebol inglês no pós-Guardiola. Para já, o melhor resultado possível será ficar a 2 pontos do City. A época começou com 5 vitórias consecutivas, interrompidas por uma derrota na casa do Manchester United. Seguiram-se mais 4 triunfos, incluindo as vitórias contra Tottenham e Liverpool. Depois de um empate em Southampton, mais 5 vitórias consecutivas e um nulo em Newcastle. Já em 2023, vitórias contra United e Tottenham.

O fim de janeiro trouxe uma derrota em casa, por 1-3, com o City. O Arsenal pareceu não abanar e somou 7 triunfos consecutivos na Premier League, mesmo tendo sido eliminado pelo Sporting pelo meio. Depois, algo se quebrou. Foram 4 jogos negros, algo que o City soube aproveitar. Primeiro, três empates: 2-2 contra Liverpool e West Ham e 3-3 com o Southampton. Em Liverpool esteve a vencer por 0-2 e sofreu o 2-2 final quase aos 90´; na casa do West Ham, aos 10´ já vencia por 0-2, mas acabou por ceder o empate. Em casa, contra o Southampton, o Arsenal foi surpreendido e só aos 90´, empatou. Depois, o desastre maior, 4-1 em casa do City. O Arsenal ainda conseguiu vencer Chelsea e Newcastle, mas teria uma fase final terrível com derrotas ontem e na semana passada, em casa, com o Brighton, por claros 0-3.

A falta de mentalidade vencedora terá sido decisiva, sobretudo tendo como rival uma equipa que raramente falha, como o City. A lesão de Gabrel Jesus e a falta de um goleador também terá sido decisiva, mas o caso será com certeza mais complexo. As bases estão lá e o Arsenal estará na luta mesmo que não se creia que, como este ano, Chelsea e Liverpool fiquem à margem da luta.

Vida resolvida

Grimaldo na Bundesliga

Francisco Chaveiro Reis
15
Mai23

Grimaldo já foi apresentado pelo Bayer Leverkusen, numa altura em que o Benfica ainda tem dois jogos por disputar. É bem verdade que o clube é praticamente campeão, mas não deixa de ser um anúncio publico que traz alguma intranquilidade além de ser deselegante por parte do espanhol, a cumprir a sua sétima época completa na Luz. É legítimo que se deixe seduzir por uma liga maior, por um salário maior e até por um treinador espanhol e que com certeza, admirou também como jogador mas este timing, até a mim que não sou benfiquista, causa estranheza.

Vem aí a loucura

Mercado de transferências

Francisco Chaveiro Reis
04
Mai23

A época acaba em poucas semanas e a loucura do mercado de transferências, quase imunes aos desafios económicos mundiais, está a começar. Messi, mesmo em fim de carreira, promete ser uma figura central, já que deixará o PSG e a lista de candidatos a recebe-lo será longa, de Barcelona à Arábia Saudita. O PSG, cheio de estrelas, mas sem grandes resultados, poderá ver outras estrelas suas no mercado. Neymar, muito ligado a Messi e sempre envolto em polémicas, seria uma grande adição para a Premier League, em especial para um clube a precisar de heróis como o Manchester United ou para um clube em franca ascensão como o Newcastle. Ainda no PSG, nunca se sabe quando pode acontecer o casamento de Mbappé com o Real Madrid.

E em Madrid, já se sabe, nunca falta ação. O nome do momento é Jude Bellingham, na linha de sucessão a Modric e Kroos mas já se sabe que são os avançados que causam furor em Madrid e os nomes de Mbappé e Haaland virão à baila. Em Barcelona, a palavra de ordem é contenção, com a integração de homens a custo zero como Inigo Martinez, Gündogan, Firmino ou Aubameyang. O possível regresso de Messi, estragaria o sossego financeiro, mas não seria rejeitada, levando a saídas de homens como Raphinha ou Ferran.

Voltando a Paris, caso saiam duas ou três estrelas do plantel, é natural que sejam rendidas mesmo que o projeto atual pareça assentar mais em jogadores mais “normais”. Skriniar, excelente central do Inter, deve ser reforço a custo zero e é possível que cheguem outros com perfil mais discreto do que o normal, mas, saindo Messi, Neymar e Mbappé chegará, de certeza, uma grande estrela, pelo menos e não há assim tantas. Salah?

Inglaterra, como sempre, deve ser o país mais gastador, já que até os clubes mais pequeno, gastam largos milhões. O City deve preocupar-se mais em manter Haaland e todas as suas estrelas do que fazer uma grande operação, mas não é de crer que não vão ao mercado. Certo é que o United, na mesma cidade, vai mexer muito, deixando sair vários jogadores caros sem rendimento e contratando substitutos. Também o Newcastle, em fase ascendente, deve gastar uns bons milhões para o regresso à Champions League. Nomes do mercado português como Pedro Gonçalves, Manuel Ugarte, Gonçalo Inácio ou Gonçalo Ramos estão na linha da frente para se juntar a um dos melhores clubes ingleses.  Caso clubes históricos como Leicester, Leeds ou Southampton desçam de divisão é de crer que nomes como Maddison, Tielemans, Harrison ou Ward-Prowse protagonizem boas transferências.

Na Alemanha, o Bayern, após uma má época, que ainda assim deve acabar com a conquista da Bundesliga, deve finalmente avançar para a contratação de um avançado, sendo Kolo Muani o favorito. Uma coisa é certa, pouco falta para os milhões começarem a rolar.

Haaland no City

45 jogos, 51 golos

Francisco Chaveiro Reis
04
Mai23

Recordista de golos numa edição da Premier League

Atual melhor marcador da Premier League (mais 10 golos do que Kane)

Atual melhor marcador da Champions League (mais 4 golos do que Salah)

 

Messi deixa Paris

Castigado e vaiado

Francisco Chaveiro Reis
03
Mai23

Parece ter chegado ao fim a estadia de Messi em Paris. O argentino, apontado ao regresso ao Barcelona, viajou para a Arábia Saudita sem autorização do clube, após a derrota em casa diante do Lorient e foi castigado pelo PSG. Os adeptos parienses também parecem estar fartos do argentino. Em fim de linha em Paris, Messi terá oferta milionária justamente da Arábia Saudita e haverá interesse de clubes ingleses além, claro, do Barça. Uma coisa é certa, Messi e Ronaldo, dois dos melhores de sempre, não estão a saber lidar com o fim das carreiras.

Pág. 2/2