Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Edilson Capeta

Heróis de Culto

Francisco Chaveiro Reis
07
Fev23

Visão do Peão (18).pngEdilson, conhecido por Capeta ou Capetinha, hoje com 52 anos, foi um belo avançado brasileiro com longa carreira no Brasil e curta passagem por Portugal. Tudo começou no inicio dos anos 90, jogando por Industrial e Tanabi antes de começar a dar nas vistas pelo Guarani, onde fez 11 golos. Logo saltou para o Palmeiras onde começou a marcar imediatamente. Na primeira época, fez 21 golos, com Edmundo, Evair, César Sampaio e Roberto Carlos e venceu o Brasileirão e o Paulista. Na segunda época, com Zinho e Rivaldo, fez 14 golos e revalidou os títulos. Com golos e títulos seguiu para a Luz, por empréstimo. Não era um bom Benfica mas Edilson, suplente de Caniggia, Isaías e João Pinto, ainda fez 17 golos mas seguiu para uma aventura no Japão, no Kashiwa Reysol, marcando 58 golos em dois anos, encontrando Careca, antiga estrela do Nápoles.

O passo seguinte foi o Timão. Pelo Corinthians, jogou entre 1997 e 2000, marcando quase 50 golos ao lado de Vampeta, Marcelinho Carioca, Sylvinho ou Gamarra. Venceu dois campeonatos do Brasil e um Paulista. Mas o grande feito em que esteve, foi a conquista do Mundial de Clubes. Em 2000, venceu um grupo que tinha o Real Madrid e bateu o Vasco da Gama na final. Manteve-se no Rio mas mudou-se para o Mengão, para mais 33 golos, 2 Cariocas e uma Copa dos Campeões, convivendo com Júlio César, Juan, Pektovic ou Adriano. Saltou depois para o Cruzeiro de Luisão onde venceu títulos locais de Minas Gerais e fez mais 11 golos. Sem o mesmo folego, voltou ao Japão para 7 golos pelo Kashiwa Reysol. Voltou ao Flamengo e fez mais 15 golos. No ano seguinte, mais 22 pelo Vitória. A sua última grande prestação foi nos EAU, aos marcar 19 golos em 11 jogos pelo Al-Ain. Ainda passou por São Caetano, Vitória e Bahia, terminando a carreira em 2010, aos 39 anos. Regressou em 2016, para 2 jogos pelo Taboão da Serra.

Pela seleção, teve pela frente concorrência feroz mas ainda fez 5 golos em 23 jogos e, em 2002, foi campeão do mundo, jogando em 4 partidas, sendo titular nas meias, contra a Turquia.

Les Ferdinand

Heróis de Culto

Francisco Chaveiro Reis
06
Fev23

Visão do Peão (17).png

Les não será o mais conhecido dos Ferdinand da Premier League, perdendo para o primo Rio esse título, mas é, sem dúvida, um herói de culto que passou a carreira a fazer muitos golos. Les, hoje com 56 anos, nasceu em Londres e começou a ser goleador no Hayes antes de se mudar para o QPR onde esteve entre 1988 e 1995. No início da sua ligação enquanto jovem, foi emprestado (sem sucesso) ao Brentford e ao Besiktas. Na Turquia, onde não é assim tão comum jogarem ingleses, fez 14 golos, vencendo a Taça da Turquia e sendo vice-campeão. Regressou a Londres fazendo 10 golos em 2 anos até amadurecer e fixar-se como estrela do QPR em 1991, marcando 12 vezes. Nas épocas seguintes, 24, 18 e 26 golos. Sem títulos, mudou-se para o Newcastle.

Em Newcastle, já se sabe, também nada venceu apesar de ter estado próximo. Na primeira época, com Clark, Lee ou Ginola, fez 29 golos e ficou em segundo na Premier League, a quatro pontos do Manchester United. Na segunda e última, fez 21 golos, já com a ajuda de Shearer e o Newcastle voltou a ser vice-campeão, voltando a perder a corrida para o United. Voltou a Londres para cinco anos e meio no Tottenham onde venceu um título, a Taça da Liga, em 1999, dez anos após a Taça da Turquia. Foram os seus dois únicos títulos. No White Hart Lane teve a concorrência de Klinsmann, Iversen, Sheringham ou Rebrov, marcando 39 golos apenas. Seguiu-se o West Ham, onde marcou 2 golos e o Leicester onde fez a sua última boa campanha, marcando 14 golos aos 37 anos. Passou por Bolton, Reading e Watford antes de arrumar as botas.

Por Inglaterra, fez 5 golos em 17 jogos. Contemporâneo de grandes nomes não teve mais oportunidades. Ainda assim, fez parte do plantel que esteve no Euro 1996, em “casa” e no Mundial 1998.

Icardi renascido

Ainda a tempo de deixar marca

Francisco Chaveiro Reis
06
Fev23

Mauro Icardi parecia ter tudo para ser um dos melhores avançados do mundo, seguindo as pisadas da escola argentina e de nomes maiores como Batistuta ou Crespo, mas a sua turbulenta vida privada parece ter-se metido no caminho. Brilhou no Inter mas não deu o salto para uma liga maior. Fui suplente no PSG (fez 38 golos em três épocas, o que não é propriamente desastroso, mas…) e agora, aos 29 anos, está a encontrar-se de novo, no modesto campeonato turco. Ainda assim, faz golos, o que mais interessa. Em 13 aparições com a camisola do Galatasary, 9 golos. Nada mau. É figura central no líder da liga turca e em janeiro já havia rumores acerca da sua saída. Acredito que dobre o número de golos e seja campeão. Depois, aos 30 anos (faz este mês), tem via aberta para jogar em Espanha, habitat natural dos argentinos na Europa, ou mesmo em Inglaterra onde mora o melhor campeonato e onde Icardi ainda vai a tempo de se mostrar como goleador de elite.

Giovanni

Heróis de Culto

Francisco Chaveiro Reis
02
Fev23

Visão do Peão (4).png

Giovanni, hoje com 50 anos, foi internacional brasileiro, chegou ao Barcelona e fez golos por onde andou. Segundo avançado, começou a carreira no início dos anos 90, ao serviço de clubes modestos como Tuna Luso, Remo, Paysandu e Sãocarlense antes de se juntar ao Santos, em 1994, com 22 anos. Edinho, filho de Pelé; Demétrios, que jogaria no Campomaiorense, Boavista, Beira-Mar e Moreirense, eram alguns dos seus companheiros. Em 1995, conquistou a titularidade e teve um ano de sonho com 41 golos em 31 jogos. Ficou mais um ano, marcando mais 25 golos. Seguiu-se a sensacional transferência para o Barcelona onde usou a camisola número 10.

Na época de estreia, fez dupla com Ronaldo, jogando à frente de Figo, Guardiola e Luis Enrique. Venceu a Taça das Taças, Taça do Rei e Supertaça Espanhola, com Bobby Robson. No ano seguinte, já com Van Gaal e fazendo dupla com Sonny Anderson, venceu a Liga Espanhola, Taça do Rei e Supertaça da UEFA. Na última época na Catalunha, já suplantado por Kluivert no onze, venceu ainda uma Liga mas deixou o clube, 35 golos depois. Juntou-se depois ao Olympiacos, passando cinco anos e meio em Atenas.

Tornou-se na estrela do Olympiacos marcando mais de 100 golos e vencendo cinco Campeonatos e uma Taça. Regressaria três vezes ao Santos, com passagens pelo Al Hilal, Ethnikos e Mogi Mirim. Terminou a carreira em 2010 no Santos, “apadrinhando” uma geração que contava com Neymar ou Ganso.

Pelo Brasil, fez 6 golos em 20 jogos, ajudando a vencer a Copa América de 1997. Com a concorrência de Ronaldo, Rivaldo, Romário, Bebeto e vários outros, não conseguiu jogar mais pelo Escrete.

Espanha

Mercado fechado

Francisco Chaveiro Reis
02
Fev23

Sem mexidas no Barcelona e Real Madrid, o mercado espanhol, como o italiano, também não foi muito interessante. Foi em Barcelona a transferência mais cara: o central mexicano Cesar Montes chegou ao Espanhol por 8 milhões. Seguiu-se o lateral brasileiro Abner que chegou ao Bétis, tendo a equipa de Sevilha pagado 7 milhões. O top três fecha-se com a ida do promissor ucraniano Tsygankov para o Girona. O médio ofensivo rendeu 5 milhões ao Dinamo Kiev. Destaque ainda para o Atlético de Madrid que somou Depay (Barcelona) e Doherty (Tottenham) ao seu plantel.

Itália

Mercado fechado

Francisco Chaveiro Reis
02
Fev23

O mercado italiano não mexeu muito mesmo com Juventus, Roma, Milan ou Inter a precisarem de melhorias urgentes. A entrada mais cara foi o médio checo Barak que trocou o Hellas Verona pela Fiorentina, por menos de 9 milhões. A Florença, por valores simbólicos, chegaou ainda Brekalo (Wolfsburgo). Segue-se o extremo brasileiro Matheus Martins, que custou 6 milhões à Udinese, vindo do Watford. Diego Llorente, chegado a Roma, vindo do Leeds, será o nome mais conhecido dos que agitaram – pouco – o mercado.

Inglaterra

Mercado fechado

Francisco Chaveiro Reis
01
Fev23

Visão do Peão (2).png

Inglaterra, como vem sido hábito dominou o mercado. O Chelsea, a fazer má época, foi quem mais gastou. Ontem, fechou a maior contratação de sempre da história da Premier League ao contratar Enzo ao Benfica por mais de 120 milhões. Antes, já fizera chegara Mudryk (Shakthar) por cerca de 70 milhões, Badiashile (Mónaco) por 38; Madueke (PSV) por 35; Malo Gusto (Lyon) por 30; Andrey (Vasco da Gama) por 12,5; Fofana (Molde) por 12 e o empréstimo de Félix (Atlético). De referir que Malo Gusto só se junta à equipa no verão.

O líder Arsenal garantiu Jorginho (Chelsea) por um valor simbólico, tendo aberto os cofres para ter Trossard (Brighton) e o jovem defesa polaco Kiwior (Spezia). O Newcastle continua em grande, tendo ido ao lado azul de Liverpool, buscar Gordon por mais de 47 milhões. Já o Liverpool, reforçou-se com Gakpo, em destaque no PSV e seleção neerlandesa, gastando 42 milhões.

Nas equipas mais abaixo na tabela não faltam destaques, nem milhões. O Leeds passa a contar com Rutter, que deixou o Hoffenheim por quase 30 milhões; o Southampton foi buscar o extremo ganês Kamaldeen Sulemana ao Rennes; o Bournemouth fortaleceu-se com o central Ilya Zabarnyi (Dinamo de Kiev) e o extremo Dango Ouattara (Lorient). Os dois custaram cerca de 45 milhões. Paul Onuachu, goleador nigeriano que dava cartas na Bélgica, vai tentar ajudar o Southampton a ficar na primeira divisão. Custou 18 milhões.

O Forest também atacou o mercado e fez chegar Navas (PSG), Felipe (Atlético de Madrid), Shelvey e Wood (Newcastle) e Danilo e Scarpa (Palmeiras). Nota, ainda, para o avançado inglês Ings, que deixa o Aston Villa para se juntar ao West Ham.

Portugal

Mercado fechado

Francisco Chaveiro Reis
01
Fev23

Em Portugal, o mercado de janeiro foi de grandes vendas. O Benfica fechou a ida de Enzo para o Chelsea por mais de 120 milhões, conseguido considerável lucro pelo campeão mundial, mesmo que grande parte não fique na Luz. Pela porta de entrada, passou Guedes, num regresso a casa e os jovens nórdicos Tengstedt e Schjelderup. Já o Sporting, também no último dia de mercado, transferiu Porro para o Tottenham e garantiu Bellerín, ex-Barcelona, para o seu lugar e Diomandé, ex-Midtjylland numa transferência de mais de 7 milhões de euros. Em destaque também esteve o Braga, que fez regressar Pizzi e Bruma a Portugal e ainda lhes juntou Joe Mendes, vindo do AIK. Sem conformação oficial, corre o rumor de o FCP terá já fechado a contratação de Navarro ao Gil Vicente, ele que terá estado perto de se mudar para Braga ou Celta de Vigo.

França

Mercado fechado

Francisco Chaveiro Reis
01
Fev23

Em França, o último dia de mercado ficou marcado pelas entradas de Vitinha e Hakim Ziyech. Vitinha, avançado português de 22 anos chega a Marselha, depois de ter sido apontado a Southampton e Brighton acabou mesmo no Velodrome, num negócio que deve chegar aos 32 milhões de euros. Vitinha vai, pois, tornar-se no jogador mais caro da história do gigante francês. Já Ziyech deve passar do banco do Chelsea para o banco para o do PSG, onde está tapado por Messi, Neymar e Mbappé. Será um novo Sarabia, penso. Destaque ainda para Youssouf Ndayishimiye, reforço do Nice, que pagou por ele 11 milhões de euros ao Basaksehir, valor semelhante ao que o Lorient pagou à Udinese por Makengo e o Lyon pagou ao Heerenveen por Sarr. Azzedine Ounahi, craque de Marrocos no Mundial, custou 8 milhões ao Marselha, vindo do Angers.

Pág. 4/4