Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

As mais bonitas de sempre - 14

Nigéria, 1994

Francisco Chaveiro Reis
22
Fev23

Visão do Peão (3).pngA Nigéria dos anos 90, foi fantástica. Em 1994, estreou-se num Mundial e, em 1998, repetiu a presença. Em 1994, venceu a CAN; em 1995, a Taça Afro-Asiática e, em 1996, foi Medalha de Ouro, nos Jogos Olímpicos de Atlanta. Mas, a camisola que mais me enche as medidas, perdendo por pouco para a de 1996 e para as duas últimas, é a secundária de 1994. É com ela que Yekini marca à Bulgária e festeja dentro da baliza, numa das imagens mais icónicas do futebol dos anos 90. Feita pela adidas, a camisola tinha tons de branco e um padrão repetido, que, visto de longe, pareciam notas de dólar, condizentes com o país do Mundial. Na verdade, era, claro, um padrão inspirado na arte daquele país. Funcionava bem e nem os números a vermelho estragavam o conjunto. Depois de golear a Bulgária e vencer a Grécia, a Nigéria caiu nos oitavos de final ante da Itália, após ter sido derrotada pela Argentina no segundo jogo da fase de grupos. Nas duas vitórias no Mundial dos EUA, a Nigéria vestiu esta camisola.

Gascoine

Heróis de Culto

Francisco Chaveiro Reis
22
Fev23

Visão do Peão (10).pngGazza é um dos muitos casos de grandes jogadores que poderiam e deveriam ter sido melhores do que foro. No caso de Paul Gascoine, antigo internacional inglês, parece ter sido o álcool a meter-se no seu caminho, tal como as lesões, e a desvia-lo de uma carreira ainda melhor. O percurso do médio ofensivo, hoje com 55 anos, começou em Newcastle. Depois de 2 jogos em 1984-1985, assumiu-se como titular na época seguinte, aos 19 anos, jogando atrás de Beardsley. Esteve em 35 partidas e fez 9 golos. No ano seguinte, fez mais 5 golos e na sua última época de preto e branco, marcou por 11 vezes. Nada venceu e mudou-se para Londres.

Em 1988 entrou no onze do Tottenham e por lá ficou até 1992. Fez 112 jogos e marcou 33 vezes. Fenwick, Waddle e Lineker foram alguns dos seus companheiros. Venceu a FA Cup em 1991, tendo-se lesionado na final e ficado afastado dos relvados durante uma época inteira. O regresso foi no Calcio, vestindo a camisola da Lázio. Aos 26 anos assumiu-se como titular dividindo o onze com Riedle, Signori, Winter, Fuser ou Favalli. Fez 26 jogos e marcou por 4 vezes. Com problemas físicos, acabou por ter duas épocas fracas e regressou ao Reino Unido, para estrelar os Glasgow Rangers.

Em Glasgow teve grandes momentos. Como figura central, a jogar atrás de Durie e Laudrup, fez 19 golos, foi campeão, venceu a Taça e ainda jogou na Liga dos Campeões. No segundo ano, 16 golos e nova dobradinha. Ainda marcou mais 17 vezes, mas não conquistou mais títulos. Teve algum sucesso no Middlesbrough e no Everton e antes de se retirar ainda jogou por Burnley, Gansu Tianma (China) e Boston.

Por Inglaterra, fez 10 golos em 57 partidas. Esteve no Mundial de 1990 e no Euro de 1996, no qual marcou um grande golo, na estreia, contra a Escócia.

Real goleia em Liverpool

Nápoles também se adianta

Francisco Chaveiro Reis
22
Fev23

 

Visão do Peão (5).png

Enorme jogo em Liverpool. O Real Madrid até esteve a perder 0-2, mas acabou por golear os reds por 2-5. O jogo começou com Darwin, de calcanhar a fazer o primeiro. Aos 14 minutos, Courtois, mal, ofereceu a Salah, a oportunidade de fazer o segundo. O egípcio não falhou. O Real, jogou-se para a frente e Vinícius, após boa jogada individual, fez o 2-1. O jogo iria para o intervalo empatado, uma vez que Alisson resolveu superar Courtois e oferecer um golo. O brasileiro atirou a bola contra Vinícius que, sem saber como, empatou. Na segunda parte, Militão, com cabeçada fulgurante, fez o 2-3. Benzema faria os dois últimos jogos. Primeiro, rematando e vendo a bola bater num adversário e trair Alisson. Depois, Benzema, em jogada individual, fez o quinto.

No outro jogo, o Nápoles foi vencer a Frankfurt por 0-2. Osimhen desfez o nulo pouco antes do intervalo e Di Lorenzo, aos 65 minutos deu maior tranquilidade aos napolitanos, que estão a fazer uma época fabulosa.