Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Curiosidades do Mundial, 13

Messidona

Francisco Chaveiro Reis
28
Nov22

Design sem nome (8).png

Messi, sempre comparado ao ídolo Maradona, fez, contra o México, o seu oitavo golo em Mundiais, igualando El Pibe. No mesmo jogo, Messi igualou D10S no número de jogos disputados em Campeonatos do Mundo. Mas, claro, Maradona ainda tem duas vantagens: golos mais bonitos, dois deles, inesqueciveis e claro, venceu um Mundial.

Oitavo dia: Japão desilude

Espanha e Alemanha empatam

Francisco Chaveiro Reis
27
Nov22

Design sem nome (7).png

O oitavo dia do Mundial 2022, amanheceu com uma surpresa. O Japão, após vencer a Alemanha, fez um jogo muito pobre e acabou por perder com a Costa Rica que marcou no único remate que fez em todo o Mundial. Fuller é o novo herói nacional dos Ticos. Já no Japão, continua um certo “mistério”, já que aqueles que parecem ser os seus melhores jogadores, como Minamino, Mitoma, Asano ou Tomiyasu não são titulares.

No segundo jogo, a Bélgica voltou a desiludir, mas desta vez, o mesmo mal jogar da primeira jornada, não foi suficiente. Foi Marrocos a vencer e logo por 0-2. Sabiri fez o 0-1 aos 75 minutos, num livre traiçoeira onde ficou a ideia de que Courtois poderia ter feito bem melhor. Aboukhlal faria o 0-2 já depois dos 90. Hazard, Lukaku ou De Bruyne continuam muito abaixo do esperado. No mesmo grupo, o Canadá repetiu a história. Jogou muito bem, mas…perdeu. Davies, que falhara uma grande penalidade no primeiro jogo, redimiu-se e marcou mesmo o primeiro golo de sempre do Canadá num Mundial. Mas a Croácia, vice-campeã mundial, “acordou” e chegou ao intervalo já em vantagem, graças a Kramaric e Livaja, a passe de Kramaric. O número 9, avançado do Hoffenheim esteve em grande e foi dele o 3-1. Quase a terminar Orsic aproveitou erro de Miller, isolou-se e ofereceu o 4-1 a Majer.

O dia acabou com o empate entre Espanha e Alemanha, num dos jogos mais interessantes do Mundial até agora. A Espanha, vinda de uma goleada à Costa Rica não se conseguiu impor da mesma forma, claro, ante da história equipa alemã, mas acabou por marcar primeiro, por Morata, vindo do banco. Do banco saltou também Niclas Fullkrug, avançado do Werder Bremen, que se estreou a marcar em jogos oficiais pelo seu país, na sua terceira internacionalização. A Alemanha tem apenas um ponto em dois jogos mas ainda tem francas possibilidades de seguir em frente.

Fernando Gomes (1956-2022)

Morreu um dos grandes

Francisco Chaveiro Reis
26
Nov22

Design sem nome (6).png

Fernando Gomes, para sempre conhecido como o bibota de ouro (melhor marcador da Europa em 1983 e 1985), morreu aos 66 anos, o que significa que partiu um dos melhores goleadores e jogadores portugueses, de sempre.

Nascido no Porto, foi no maior clube da cidade que passou a maior parte da carreira, tendo-se estreado na equipa principal em 1974/1975, com 18 golos em 28 jogos. Cubillas, Oliveira, Gabriel ou Tibi eram alguns dos seus companheiros. No ano seguinte, com Seninho e Otávio Machado no onze base, ficou-se pelos 13 golos. À terceira época, 34 golos em 35 jogos e o primeiro título como sénior: a Taça de Portugal. Foi seu o golo da vitória na final contra o Sporting de Braga. Seria campeão em 1978, numa época em que fez mais 30 golos. Seria bicampeão, marcando 28 golos e na época seguinte, mais 30.

Experimentou a liga espanhola, pela porta do Sporting Gijon, numa época em que havia poucos portugueses fora da nossa liga. Em duas épocas, 16 golos e ida a uma final da Taça do Rei, souberam a pouco e regressou ao seu Porto. No regresso, 50 golos já com a ajuda de José Alberto Costa, José Sousa, Jaime Pacheco ou Eurico. No ano seguinte, fez “apenas” 26 golos, mas venceu supertaça e taça, indo à final da Liga dos Campeões, perdida para a Juventus. Em 1984-1985, com Futre, foi campeão e venceu a supertaça, com mais 46 golos. Fez mais 21, 31, 22 e 6 golos. Destacou-se como vencedor de uma Liga dos Campeões, uma Supertaça Europeia e uma Taça Intercontinental.

Terminaria a carreira no Sporting, com duas épocas e mais 38 golos. Por Portugal, fez 11 golos em 47 jogos, tendo estado no Mundial de 1986 e no Euro 1984.

Sétimo dia: França apurada

Argentina vence

Francisco Chaveiro Reis
26
Nov22

Design sem nome (5).png

Ao sétimo, a primeira apurada. A França bateu a Dinamarca por 2-1 e já está na fase seguinte. Mbappé bisou e foi a grande figura do jogo. Christensen fez o golo dinamarquês. No mesmo grupo, a Tunísia continua sem marcar e Duke fez o único golo do jogo. A Austrália sonha com o apuramento, podendo necessitar apenas de um empate. No jogo da hora de almoço, 2-0 polaco ante da Arábia Saudita que tentava garantir o apuramento após a vitoria diante da Argentina. Zielinski fez o 1-0, a passe de Lewandowski que se estrearia a marcar em Mundiais. Antes, os sauditas falharam o empate, numa grande penalidade falhada por Al Dawsari, que tinha marcado um grande golo à Argentina. No fechar do dia, a Argentina estreou-se a vencer, diante do México. Depois de uma primeira parte pobre, seria Messi a desbloquear a sua seleção com um remate forte, rasteiro e colocado. A três minutos dos noventa, Enzo, num dos melhores golos do Mundial até agora, fez o 2-0 final.

Curiosidades do Mundial, 12

Filhos de Milinkovic

Francisco Chaveiro Reis
26
Nov22

Design sem nome (3).png

Nikola Milinkovic foi um interesse médio de ataque que passou por Chaves e Alverca entre 1996 e 2001. Passou ainda por Espanha ou Áustria, antes de terminar a carreira em 2010. Os filhos, os irmãos Milenkovic-Savic, nascidos em Espanha, são agora duas das maiores estrelas da equipa sérvia. Vanja é guarda-redes do Torino e tentou ontem evitar ao máximo os golos brasileiros. Sergej é um número 10 de topo, que se mantém na Lázio, após ter sido várias vezes associado a clubes de maior nomeada.

Sexto dia: Irão vence, Catar fora

Holanda e Inglaterra empatam

Francisco Chaveiro Reis
25
Nov22

Design sem nome (4).png

Ao sexto dia, a primeira eliminação (bem, ainda há hipóteses matemáticas, mas ninguém acredita que o Catar goleia a Holanda). O Catar, apesar de uma significativa melhoria em relação à estreia, perdeu 1-3 com o Senegal e está fora dos oitavos de final do seu Mundial. Após uma primeira parte quase completa onde conseguiu travar a equipa africana, o Catar deitou tudo a perder com um erro infantil de um defesa seu, que deixou a bola à mercê de Dia. O 0-2 surgiria no início da segunda parte, através de grande cabeçada de Diedhiou. O Catar, com mais atitude na segunda parte, foi esbarrando em Mendy, no azar e na aselhice, mas Muntari fez mesmo o primeiro golo catari na prova, a cerca de dez minutos do fim. O golo seguinte do jogo seria, no entanto, do Senegal, por Dieng.

No mesmo grupo, os Países Baixos, favoritos à vitória no grupo empatarm com o Equador. Gakpo marcou logo a abrir o jogo, mas Enner Valencia fez o seu terceiro golo em duas partidas e deu hipóteses aos sul-americanos de sonhar com os oitavos. À partida para a terceira jornada, Países Baixos e Equador levam 4 pontos e o Senegal, 3.

O dia começou com a vitória do Irão ante do País de Gales. A equipa de Taremi, que hoje não marcou, mas assistiu, só surgiu nos descontos, graças a golos de Cheshmi e Rezaeian, curiosamente, defesas. No último jogo do dia, nulo entre Inglaterra e EUA. A Inglaterra foi das equipas que melhor impressão deixou na primeira jornada mas hoje esteve uns furos abaixo dos EUA que, muitos perdulários, falharam os três pontos.

Curiosidades do Mundial, 11

O suíço camaronês

Francisco Chaveiro Reis
25
Nov22

Design sem nome (2).png

Embolo marcou pela Suíça aos Camarões, ele que nasceu naquele país africano. Já no onze camaronês de hoje, vários jogadores nasceram fora. Choupo-Moting, na Alemanha. Castelletto, Toko-Ekambi e Mbeumo nasceram em França.

Para onde vai Ronaldo?

Possíveis destinos

Francisco Chaveiro Reis
24
Nov22

Design sem nome (11).png

É uma das questões centrais do futebol de hoje. Bem, do futebol pós-Mundial, claro. Onde jogará Cristiano Ronaldo em janeiro? O jogador até poder ter brincado com a possibilidade de se reformar como campeão do mundo, mas mesmo que leve a sua seleção à vitória final, acredito que continue a jogar até ao próximo Euro.

O regresso ao Sporting parece ser um delírio. Parece-me certo que tenha que baixar o salário no próximo desafio, mas em Alvalade não há fundos para satisfazer minimamente Ronaldo e a perspetiva de jogar na Liga Europa e não estar sequer na luta pelo título, não devem apelar minimamente a Ronaldo. Acredito que até possa vir mas nunca antes de tentar um último desafio ao mais alto nível. Também não acredito que continue a jogar nas Arábias, mesmo com salários ao nível do que está habituado. Outras ligas periféricas como a MLS, também não me parecem opção.

Ronaldo ficará no centro da Europa, numa equipa que esteja na Liga dos Campeões, nem que seja por meia época, antes de rumar a Portugal ou outro destino para ter uma boa época antes do Euro 2024, que marcará, provavelmente, o fim da sua carreira.

É quase impossível acertar no alvo, mas vejo algumas boas possibilidades. O Bayern de Munique não tem um 9 desde a saída de Lewandowski. A entrada de Ronaldo seria um belo upgrade em relação a Choupo Montig, que tem estado bem, e naquela equipa, Ronaldo faria uma bela média de golos e ainda jogaria a Liga dos Campeões. Seria previsivelmente campeão alemão e experimentaria mais uma liga de topo. Nesse sentido, o PSG também seria interessante, sobretudo pela ação de marketing que seria ver Ronaldo e jogar com Messi, mas desportivamente, economicamente e na gestão de egos, poderia ser uma missão espinhosa. Um regresso a Itália também poderia ser uma via. O belo Nápoles, grande candidato a voltar a ser campeão, poderia lucrar com a presença de alguém tão experiente para atacar a segunda metade da época. Outra pista seria a ida para o Chelsea, a precisar de referências após várias saídas no início da época. No Chelsea, Ronaldo manter-se-ia na Premier League, mas numa equipa com instalações e métodos supostamente mais modernos, mesmo estando também em fase de transição.

Quinto dia: Brasil entra a vencer

Obra prima de Richarlison

Francisco Chaveiro Reis
24
Nov22

Design sem nome.png

Ao quinto dia, chegou ao fim a primeira jornada da fase de grupos. No primeiro jogo da manhã, a Suíça bateu os Camarões por 1-0 com golo de Breel Embolo, avançado do Mónaco que nasceu nos…Camarões, tendo emigrado muito cedo para o país que agora representa. O dia seguiu com um nulo entre Uruguai e Coreia do Sul. No mesmo grupo, deu-se depois o 3-2 de Portugal ao Gana. O dia acabou com a bela estreia do Escrete. Jogando um futebol muito ofensivo, bateu a Sérvia por 2-0, com dois golos de Richarlison, com grande destaque para o 2-0 final, num dos melhores golos do ano.

 

CR marca no quinto Mundial

É o primeiro de sempre a fazê-lo

Francisco Chaveiro Reis
24
Nov22

Design sem nome (12).png

Ronaldo estreou-se no Alemanha 2006, fazendo o 2-0 ao Irão, de grande penalidade. Em 2010, na África do Sul, estreou-se a marcar ao segundo jogo, no 7-0, à Coreia do Norte. Em 2014, marcou ao Gana e no último mundial, marcou por 4 vezes.

Portugal vence com pouca Gana

3-2 sem grande chama

Francisco Chaveiro Reis
24
Nov22

Design sem nome (10).png

Portugal fez melhor do que Argentina e Alemanha e venceu na sua estreia no Mundial, mas como em muitas ocasiões antes, deu uma imagem de conservadorismo e de prisão de movimentos, sendo muitas vezes uma equipa chata e banal, o que com os jogadores que tem, é um crime. Depois de uma primeira parte aborrecida, já com William em campo, para o lugar de Otávio, quando o jogo pedia era velocidade e poder de fogo, Ronaldo fez o primeiro, de grande penalidade. Uma defesa claramente desconcentrada, com sinal menos para Cancelo, permitiu que Andre Ayew fizesse o empate. João Félix, que não justificou quase nunca a sua estadia em campo, faria o 2-1, em toque de classe à saída do guarda-redes. Com o Gana mais aberto e já com Rafael Leão em campo, o extremo do Milan faria o 3-1 e começava a cheirar a goleada. Mas, a cautela apoderou-se da equipa e seria o Gana a voltar a marcar, em mais um erro de Cancelo, com a bola a ir novamente para o centro da área, onde a dupla central parecia não estar. Há muito por onde melhorar mas Portugal venceu e lidera o grupo, de forma isolada.