Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

O mercado - Alemanha

Francisco Chaveiro Reis
09
Out20

55028158_304.jpg

Na Alemanha, manda o Bayern. Choupo-Motig (custo zero) e Douglas Costa (empréstimo) foram contratações de última hora, mas a maior movimentação de mercado foi mesmo Leroy Sané (45 milhões). O Dortmund, perseguidor do Bayern, confirmou a continuidade de Can (25) e vinda do jovem inglês, Bellingham (23). O Leipzig, que perdeu Werner, foi buscar Sorloth (20). Com passagem pelo Leipzig, Schick passa pelo Leverkusen (26,5).

O mercado - França

Francisco Chaveiro Reis
09
Out20

transferir.jpg

Nem o PSG foi muito gastador nesta janela, tendo apenas contratado Icardi (50 milhões), que já estava no clube emprestado. Foram o Lille e o Rennes a mexer com o mercado. O Lille, crónico candidato ao segundo lugar, conseguiu ganhar a corrida por Jonathan David, avançado móvel canadiano que brilhava no Gent (32 milhões). Ainda mais ambicioso, foi o Rennes que incorporou Doku (26), Guirassy (15) e Terrier (Lyon). E, por falar no Lyon, que manteve a estrela Depay, Lucas Paquetá espera conseguir por lá uma segunda vida na Europa, depois de uma estadia no Milan (20). O Mónaco, que continua com um plantel algo desequilibrado, passa a contar com Volland (15,5) e Disasi (13).

O mercado - Espanha

Francisco Chaveiro Reis
09
Out20

1024.jpg

O mercado em Espanha ficou marcado pela continuidade de Messi em Barcelona e pela ausência de reforços no Real Madrid. Pjanic (valorizado em 60 milhões, mesmo sendo na verdade, moeda de troca) foi a maior operação, seguindo-se o português Trincão, que trocou Braga por Barcelona (30). Em Camp Nou, ficou Messi, saiu Suarez, oferecido ao Atlético e mantiveram-se homens ligados a uma eventual saída: Neto, Dembelé ou Griezmann. Estrelas como Depay ou Lautaro não chegaram. Em Madrid, não foi verão para estrelas. Neymar, Mbappé ou Haland não aterraram no Bernabéu. O Sevilha foi dos mais gastadores, indo buscar Óscar (13,5), Idrissi (12) e pagando Suso (24). O Atlético pagou Morata ao Chelsea (56) apenas para o emprestar à Juventus e pagou Carrasco (27) que também já estava no clube.

O mercado - Itália

Francisco Chaveiro Reis
09
Out20

victor-osimhen_1ephc8bdfr3pc1rknijqwkhig5.jpg

Já se sabe que Itália já não é o centro do futebol europeu mas a Juventus, na busca pela glória continental continua a mexer-se bem. A Turim chega o avançado móvel Chiesa numa engenharia financeira partida em vários anos mas que chegará aos 60 milhões. A Juventus recebeu ainda Arthur, enviando Pjanic e 12 milhões para Barcelona. Sem troca de jogadores, a maior operação foi a compra de Osimhen pelo Nápoles, num negócio de 70 milhões de euros. O Inter foi a equipa que mais se mexeu, chamando Hakimi (40) e concretizando a compra de jogadores que já estavam no clube, emprestados, Barella e Sensi (45). A Juventus continua a ser o alvo a abater e Inter e Nápoles correm no seu encalço, com a Lázio (maior movimentação foi a contratação de Muriqui por 17 milhões) e a Atalanta (Miranchuk custou cerca de 14 milhões) a mostrarem as suas garras. 

O mercado - Inglaterra

Francisco Chaveiro Reis
09
Out20

kai-havertz-chelsea_wvnahj8hs3i91djeoyh8t4ep0.png

Esperança pelo regresso a dias de glória, o Chelsea foi a equipa do mundo que mais gastou neste defeso: 247 milhões de euros, tendo quatro das dez maiores transferências do defeso, na Premier League. Havertz (80 milhões), Werner (53), Chillwell (50,2) e Ziyech (40) são as novas armas ofensivas do Chelsea. Terá Lampard unhas para esta guitarra? 

A correr atrás de melhores dias, também o United e o Arsenal gastaram muito. O United reforçou o meio-campo com Van der Beek (39) e já em cima da meta chegou a Cavani (livre) e Telles (15). Faltará um central, eventualmente. Já o Arsenal conseguiu incorporar Partey (50) no último dia e manter as suas estrelas. Mexido, esteve também o Tottenham que fui buscar Carlos Vinicius (empresado), Bale (emprestado) e Reguilón (30).

Ainda assim, são Liverpool e City, que se mantêm na linha da frente. O campeão Liverpool manteve as suas principais peças e ainda foi buscar Jota (45 milhões) e Thiago (22). Já o City, viu sair Sané mas foi buscar Ruben (68), Aké (45) ou Ferrán (23). 

Nota ainda para os Wolves que deram 40 milhões por Fábio Silva, havendo assim dois portugueses nas dez maiores transferências da melhor liga do mundo. 

Tiago não chega à quarta jornada

Francisco Chaveiro Reis
09
Out20

image.jpg

Tiago Mendes durou pouco mais do que um mês à frente do Vitória S.C. tendo saída ontem, sem sequer chegar à quarta jornada. O antigo médio de Benfica, Chelsea, Juventus ou Lyon, não terá gostado da política de contratações, querendo homens mais experientes. Tiago deixa a equipa com uma vitória, um empate e uma derrota. João Henriques, que orientou o Santa Clara no ano passado, está na linha da frente para a sucessão.