Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Craques da bola, 39

29.02.20, Francisco Chaveiro Reis

 

vassell.png

A história de Matt Le Tissier confunde-se com a história recente do Southampton. Hoje, com 51 anos, o médio ofensivo esteve no clube de 1986 a 2002, fazendo 210 golos em 540 jogos. Escusado será dizer que é o melhor jogador da história dos Saints, mesmo não sendo o homem com mais golos ou com mais jogos.

Depois de uma época nos juniores do Southampton, Matt estreou-se pela equipa principal em 1986, num plantel que contava com os guarda-redes Peter Shilton (notável internacional inglês) e Tim Flowers (seria campeão no Blackburn Rovers). Nas primeiras três épocas marcaria 6, 1 e 9 golos. Seria à quarta, em 1989-1990, aos 21 anos que se começaria a distinguir como goleador, marcando 21 golos. Isto, quando já tinha a companhia de Alan Shearer. Nessa época, ajudou o clube a ficar em sétimo posto. No ano seguinte, repetiu a dose. Estranhamente, com tenra idade e 42 golos marcados em dois anos, não se transferiu para um clube com maiores ambições. Conhecido fumador e frequentador de pubs, Le Tissier também não terá feito tudo ao seu alcance para elevar a carreira a outro nível já que, talento era coisa que não lhe faltava.

No início dos anos 90, já na fase Premier League, faria ainda melhor. Em 1993-1994, marcou 25 golos, apesar dos Saints não terem conseguido melhor do que o 18.º posto. Em 1994-1995, a equipa subiu ao 10.º e Le Tissier conseguiu 24 golos. Ficaria no clube até 2002, convivendo com jogadores interessantes como Pahars, Beattie, Tessem ou Østenstad.

Pelo seu país, jogou apenas por 8 vezes, não marcando qualquer golo. Apesar das suas boas exibições, no auge da carreira, não foi chamado para o Euro 96. Marcaria apenas pelas camadas jovens inglesas.

Descalabro

28.02.20, Francisco Chaveiro Reis

transferir.jpg

Já não há equipas portuguesas nas provas europeias. Braga, Porto, Sporting e Benfica caíram nos dezasseis-avos da Liga Europa. Em oito jogos, apenas uma vitória, a da Sporting, em casa e apenas um empate, o do Benfica, em casa. De resto, seis derrotas, com Braga e Porto a perderem duas vezes. E tirando o adversário do Porto, os alemães do Leverkusen, as equipas portuguesas jogaram com equipas de Turquia, Escócia e Ucrânia, ligas supostamente mais fracas do que a portuguesa. Em termos de golos sofridos, maior o descalabro. O Sporting foi goleado na Turquia, por 1-4. Sofreu 5 golos. Tantos como Benfica e Porto. O Braga, ficou-se pelos 4. Nos golos marcados, o Sporting fez os mesmos 4 do que o Benfica. Porto e Braga, 2. Está na hora de se pensar o futebol português, da corrupção à violência, passando por mecanismos que garantam maior competitividade. Não?

 

Jesus vence mais um troféu

27.02.20, Francisco Chaveiro Reis

 

flamengo.jpg

Depois da Libertadores da América, Brasileirão, Supertaça do Brasil e Taça Guanabara, Jorge Jesus levou o Flamengo à conquista da Supertaça Sul-Americana. Depois do empate a 2 bolas na primeira mão, o Flamengo bateu o Independiente del Valle por claros 3-0 na segunda, e ergueu o troféu. Gabriel Barbosa e Gerson (duas vezes) foram os goleadores de serviço. Jesus ainda sonhou com a ida para um gigante europeu mas agora o seu futuro deve passar pela renovação.

Bayern com pé e meio na fase seguinte

25.02.20, Francisco Chaveiro Reis

1203272425.jpg.0.jpg

Completa-se hoje a primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões. Ontem, foi noite de Nápoles-Barcelona e de Chelsea-Bayern. No San Paolo, na estreia de Messi no estádio onde Maradona mais brilhou, foi outro baixinho a dar nas vistas. O belga Mertens, melhor marcador da história do clube (em igualdade com Hamsyk que já saiu), fez o 1-0, que surpreendeu um Barcelona, sem rasgo. Lesionado por entrada de Vidal, o baixinho do lado azul celeste sairia ainda antes dos 60 minutos. E pouco depois da sua saída, Griezmann empatou a partida e deixou o Barcelona com boas perspetivas para o jogo em Espanha. Boas perspetivas é coisa que o Chelsea de Lampard não tem para a visita à Bavária. Sem Kanté, o Chelsea até aguentou a primeira parte sem sofrer, mesmo tendo passado por alguns sustos. Mas Serge Gnabry, aos 51 e 54 minutos, tratou de trazer justiça ao jogo. E, Lewandowski, máquina do golo, fez, ainda, o 0-3. Hoje há Real versus City e Lyon versus Juve.

Bruno, Rei de Manchester

24.02.20, Francisco Chaveiro Reis

brunofernandesEPA2.jpg

Ao quarto jogo, Bruno Fernandes já conquistou Manchester. O português estreou-se pouco depois de chegar a Inglaterra, jogando a titular e fazendo os 90 minutos, ante do Wolves. Ao segundo jogo, igual tempo de jogo e assistência para o golo de Maguire, no 0-2 na casa do Chelsea. Ao terceiro, começou no banco e o United até empatou e ontem, no segundo jogo em casa, tornou-se ainda mais óbvio que é ele que comanda o jogo do United, para êxtase de colegas e fãs. De grande penalidade, fez o 1-0 e seu primeiro golo em Inglaterra, frente ao Watford. Mais uma vez, foi o melhor em campo.

Plata derrota Boavista

24.02.20, Francisco Chaveiro Reis

transferir.jpg

Quem diria? Ante de 29 mil (havemos de chegar aos 30 mil e regressar aos números mais normais para o clube, entre os 35 e os 40), o Sporting venceu, com tranquilidade, o aguerrido Boavista. Sem Coates, Mathieu e Acuña, Silas, ainda deixou de fora Ristovski e apostou em Rosier, Plata e Jovane no onze. Correu bem. A dupla Ilori-Neto não vacilou; Rosier esteve bem enquanto teve folego; Battaglia está mais perto da sua melhor versão; Vietto foi um dez de classe; Sporar voltou a marcar e a mostrar qualidade e Plata, foi o melhor em campo, sempre a tentar o um para um, a oferecer golos e a rematar. É dele o segundo. Deu ainda para ver Mendes, discreto e Geraldes, com bons pormenores.

Sporting vence

21.02.20, Francisco Chaveiro Reis

transferir.jpg

O Sporting, a fazer época bem pior do que os outros três representantes portugueses na UEFA, foi a única equipa lusa a vencer ontem, na Liga Europa. Com cerca de 28 mil pessoas nas bancadas, o Sporting arrancou para aquela que, foi, provavelmente, a melhor exibição da época. A primeira parte de grande qualidade resultou num 2-0, com golos de Coates e a estreia a marcar de Sporar. Jovane ainda viu um golo anulado. Logo no início da segunda parte, Vietto faria o 3-0. Quando parecia que o 4-0 estaria para chegar, num penalty discutível, Visca reduziu. O Sporting ainda enviou uma bola à barra mas já não marcou. Ainda assim, leva uma vantagem interessante para a segunda mão.

Melhor esteve o Braga...durante cerca de uma hora. Fransérgio e Abel Ruiz (em estreia) deram o 0-2 no mítico Ibrox. Fransérgio ainda atirou o 0-3 à barra e o Rangers reagiu. Hagi, filho do melhor jogador romeno de sempre, reduziu e Aribo, vindo do banco, empatou. O Braga tentou acordar mas foi novamente Hagi, de livre, com a ajuda da barreira, a fazer o 3-2 final. Na Ucrânia, o Benfica somou a sua terceira derrota consecutiva, perdendo por 2-1 com o Shaktar. Já o Porto, caiu pelo mesmo resultado, em Leverkusen. Com jogos em casa na próxima semana, estas três equipas têm ainda francas possibilidades de seguir em frente. 

Mercado: Braithwaite reforça Barcelona

20.02.20, Francisco Chaveiro Reis

braithwaite-epa17022020.jpg

Não é um reforço bomba, apesar de ter custado 18 milhões de euros e com apenas 13 golos marcados em ano e meio, não entusiasmará ninguém em Camp Nou mas Martin Braithwaite, avançado dinamarquês, acaba de trocar o Leganes pelo Barcelona, tendo os catalões aproveitados os regulamentos espanhóis para contratar um substituto para o lesionado Dembelé, numa altura em que também Suarez está lesionado (a FIFA já se pronunciou e pode bloquear o negócio). Em janeiro, o Barcelona até pensou em Bakambu e já depois da lesão de Dembelé, foram falados vários nomes como os de Willian José e Stuani. A escolha acaba por cair num homem com pouco cartel e que provavelmente, no fim da época estará em busca de novo clube. Braithwite, de 28 anos, começou a carreira no seu país, com as cores do Esbjerg fB, tendo passado por Toulouse, Middlesbrough e Bordéus antes de chegar a Leganes. Já o Leganes, perde uma das suas figuras, sem qualquer hipótese de a substituir de imediato.

O fabuloso destino de Simone Inzaghi

19.02.20, Francisco Chaveiro Reis

inzaghi.jpg

Aos 43 anos, Simone Inzaghi só pode ser um homem feliz. Fez uma carreira interessante como avançado, jogando maioritariamente na Lázio e estreou-se como treinador no mesmo clube, permanecendo no Olímpico até hoje. E foi lá, a partir do banco, que viu o seu clube bater o Inter por 2-1, no último domingo, e ascender ao segundo lugar do Calcio. Sem as estrelas de Juve e Inter, a Lázio está a um ponto da Juventus, ao cabo de 24 jornadas.

Em 24 jogos, a Lázio soma 17 vitórias, 5 empates e 2 derrotas. É o segundo melhor ataque, atrás da Atalanta, com 55 golos marcados e é a melhor defesa com apenas 21 golos sofridos. Ciro Immobile, internacional italiano, é o melhor marcado do campeonato, com 26 golos, mais 6 do que Ronaldo. Luis Alberto, médio ofensivo espanhol, é o homem da liga com mais assistências, 11.

A Lázio joga em 3-5-2. Na baliza, mora o albanês Strakosha, uma das figuras da equipa. À sua frente, subsiste o capitão Radu, em Roma desde 2008. O italiano Acerbi e o brasileiro Luiz Filipe completam um trio de respeito. O angolano Bastos é alternativa.

Pelas alas, Marusic ou Lazzari na direita e Jony na esquerda. No centro não há nada que saber: Leiva, Milinkovic Savic e Luis Alberto. Lulic, Cataldi e Parolo são outras opções, num plantel relativamente curto. No ataque, para além da estrela Immobile, costuma jogar o equatoriano Caicedo. Aos 31 anos, Caicedo leva 8 golos esta época e costuma fazer trinta e muitos jogos por ano. É um valor sólido, rendido de quando em vez pelo argentino Joaquin Correa.

O sucesso da Lázio deve-se à qualidade e trabalho de Inzaghi e à forma inteligente como vai ao mercado, sabendo escolher as peças certas, sem pagar demasiado. Esta já não é a Lázio milionária de Salas, Crespo e Nedved que pagou o que não podia. É uma Lázio equilibrada e que irá, pelo menos, à Liga dos Campeões. Ao contrário de clubes de tradição e dinheiro como Roma, Nápoles, Milan ou Fiorentina.

Haland derrota PSG. Liverpool perde.

19.02.20, Francisco Chaveiro Reis

Dortmund-2-1-PSG-Haaland-nets-twice-as-Dortmund-be

Estão jogadas as duas primeiras partidas dos oitavos de final da Liga dos Campeões. Em Madrid, o Atlético que até está a fazer uma má época, derrotou o Liverpool, campeão europeu e quase campeão inglês, por 1-0, com golo madrugador de Saúl. Já em Dortmund, brilhou, como tem sido hábito nas últimas semanas, Haland. O adolescente norueguês marcou mais dois e derrotou o milionário PSG, que ainda empatou por Neymar. Haland e Lodi (Atlético) foram os primeiros MVP da Liga dos Campeões, um prémio agora inaugurado.

Pág. 1/4