Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Craques da bola, 8

Francisco Chaveiro Reis
27
Ago19

youri djorkaeff.png

 

Claudio Caniggia, hoje com 52 anos, olha para trás e tem uma carreira algo inconstante, mas recheada de golos. Avançado rapidíssimo, chegou a jogar em Portugal, marcando 16 golos no Estádio da Luz, em 1994-1995.

Estreou-se pelo River Plate, a meio dos anos 80. Concorrência não lhe faltava, de Francescoli a Ramon Centurión. Fez mais de 50 jogos e deixou 8 golos marcados, ajudando na conquista de quatro títulos.

Com 22 anos aterrou em Verona, como reforço do Hellas. 3 golos em 20 jogos e mudou-se para a Atalanta de Bérgamo, onde explodiu, com 26 golos em três épocas. O salto maior aconteceu em 1992, quando se juntou ao elenco da Roma. Andavam por lá Carnevale, Rizzitelli, Giannini, Hassler, Carboni, Festa ou Aldair. E despontava, aos 16 anos, um tal de…Totti. 7 golos em 19 jogos não convenceram os romanos e Caniggia veio para Lisboa.

Não eram bons tempos para o Benfica, mas para além de Caniggia, os encarnados contavam com João Pinto, Edilson ou Stanic mas foi o argentino, habitualmente com a camisa 7, a dar nas vistas (Isaías ainda tentou mas marcou menos um golo do que Caniggia). O Benfica não passou do terceiro lugar, mas na Liga dos Campeões passou à segunda fase, onde caiu aos pés do poderoso Milan. Mas Caniggia parecia não ser de assentar arraiais e regressou à Argentina.

Passou quatros anos no Boca Juniors (inclui-se neste período o beijo a Maradona) mas nada ganhou. Fez 32 golos em 74 jogos e conviveu com grandes jogadores como Véron, Kily Gonzalez, Luís Hernandez, Riquelme, Vivas, Schellotto, Palermo, Solano ou Samuel. Voltou a Itália no verão de 1999, para uma época na Atalanta onde apenas marcou uma vez.

Só na passagem pela Escócia, voltou aos sucessos e aos trofeus. Começou por se ambientar no Dundee FC, com 7 golos em 21 jogos. Num plantel treinado por um italiano e com mais seis argentinos, sentiu-se em casa. A época, valeu-lhe, aos 35 anos, a mudança para os poderosos Glasgow Rangers. Em duas épocas, venceu quatro títulos e marcou 18 vezes. Ao lado, teve homens como Flo, Kancheslskis, Arveladze, Mols, Reyna, Ronaldo de Boer ou Latapy. Retirou-se aos 37 anos, após uma época no Catar, onde fez 5 golos em 15 jogos pelo Qatar SC, onde privou com o angolano Akwá, que conhecera no Benfica.

Em 2012, regressou aos relvados para jogar pelo Wembley FC. Aos 45 anos, foi treinado por Terry Venables e jogou ao lado de Graeme Le Saux, Martin Keown, Ray Parlour, David Seaman, Danny Dichio e Brian McBride. Ainda marcou um golo na Taça de Inglaterra, naquela que terá sido uma jogada de marketing da Budweiser.

Pela sua seleção, teve uma história bonita, conquistando a Copa América de 1991 e a Taça das Confederações, no ano seguinte. Jogou ainda as Copas América de 1987 e 1989; os Mundiais de 1990 e 1994 e esteve no elenco de 2002, mesmo não tendo jogado. Marcou nas seis competições que jogou pela Argentina.

 

 

O que vale o Marselha de AVB, sem dinheiro?

Francisco Chaveiro Reis
27
Ago19

olympique-marseille-logo-png-transparent.png

André Villas-Boas terá ido ao engano para Marselha. O técnico português, que costuma demorar o seu tempo a aceitar projetos e já passou por Inglaterra, Rússia ou China, admitiu que o Marselha não deve contratar mais nenhum jogador, porque…não há dinheiro. A ideia era devolver o Olympique à glória. A glória não seria o primeiro lugar, que o PSG parece ter cativo, mas pelo menos a luta por um posto na Liga dos Campeões. Com o plantel do ano passado, não seria possível. O deste ano, é ainda pior. Este ano chegaram Álvaro Gonzalez, emprestado pelo Villareal e Dario Benedetto, avançado argentino de renome, que custou 14 milhões. Mas saíram Ocampos, habitual titular e N´Jie. Sem investimento, não é de prever que cheguem mais jogadores e Villas-Boas lutará pelo meio da tabela, algo que fará com que o técnico não fique muito tempo no sul de França. As dispensas dos grandes da Europa, podem proporcionar alguns empréstimos, mas o OM parte atrás de clubes como Lyon, Lille, Nice, Rennes, Bordéus ou mesmo Mónaco, que esteve para descer de divisão, mas garantiu Slimani, Ben Yedder, Onyekuru ou Lecomte.

O Marselha tem nos internacionais franceses Mandanda, Payet, Thauvin ou Germain, os seus nomes maiores, bem como Strootman, Luiz Gustavo ou Benedetto mas precisaria de se reforçar bastante para subir de nível. Se Mandanda continua a ser uma rocha na baliza, creio que AVB daria as boas vindas a um quarteto defensivo melhor, colocando de lado, Sakai, Car, Kamara ou Amavi. No meio, Luiz Gustavo ainda dá garantias, mas Strootman tarda em ser mais valia, não sendo Sanson, muito melhor. Um médio número 8 de créditos firmados seria bem-vindo para completar um meio campo com Gustavo e o dez, Maxime Lopez. No ataque, em teoria, Thauvin, Payet e Benedetto metem respeito. Mas não se sabe o que vale o argentino no futebol europeus e os franceses são inconstantes. Germain é opção, mas parecem faltar mais opções de qualidade.

Veremos o que fará AVB com tão poucos ovos no cesto.

Bolton pode desaparecer

Francisco Chaveiro Reis
27
Ago19

icjjobws1-_-jay-jay-okocha-back-signed-bolton-wand

O histórico Bolton Wanderers pode desaparecer hoje, 145 anos após a sua fundação. O clube passa por gravíssimas dificuldades financeiras e caso não apareça um comprador até às 17h00 de hoje, o clube fecha portas, defraudando as expetativas de 150 funcionários e milhares de adeptos que, num passado recente, viram homens como Okocha, Nolan, Hierro, Nakata ou Djorkaeff envergar a camisola branca, jogando no moderno Reebok Stadium. Fundado em 1874, o Bolton jogou 73 vezes na principal divisão inglesa que, aliás, ajudou a fundar. O palmarés não é grande e não é atualizado há algum tempo, mas o Bolton orgulha-se de ter vencido 4 Taças de Inglaterra, uma Supertaça e 3 campeonatos da segunda divisão.

Até ao fim do mercado (3 de setembro)

Francisco Chaveiro Reis
26
Ago19

vivianoemiliano.png

Colocar (à melhor oferta)

  • Viviano
  • Bruno Gaspar
  • André Pinto
  • Jefferson
  • Matheus Oliveira

Conseguir algum encaixe significativo com:

  • Bruno Fernandes
  • Raphinha
  • Acuña

Conseguir algum encaixe menos significativo com:

  • Ristovski
  • Diaby 

Contratar:

  • Um ponta de lança de créditos firmados;
  • Um a dois extremos, com capacidade goleadora.

 

Quem será o novo 9?

Francisco Chaveiro Reis
26
Ago19

smail-prevljak-9f2a3da9-26ba-4f9d-8b45-7d99113204c

Nomes apontados até agora:

  • André Silva (Milan)
  • Arthur Cabral (Palmeiras)
  • Bruno Henrique (Flamengo)
  • Kikas (Belenenses)
  • Simeone (Fiorentina)
  • Smail Prevljak (Red Bull Salzburg)

Jogadores sem contrato: 

  • Bony
  • Llorente
  • Hooper
  • Rossi
  • Riviere

 

Dost é reforço do Frankfurt

Francisco Chaveiro Reis
26
Ago19

ec5px6cw4aaqrnn_770x433_acf_cropped.jpg

Agora é oficial. Bas Dost já é jogador do Eintracht Frankfurt onde irá ser concorrente de Gonçalo Paciência. O clube alemão paga 7 milhões (a este valor, podem somar-se mais 500 mil euros) e o Sporting garante ainda 15% de uma futura venda. Mesmo sabendo da vontade do jogador e do alto salário que auferia, este é um momento amargo para o Sporting que vê sair um homem com uma média de 31 golos por época por um valor que é quase metade do que o holandês custou. Aguarda-se o nome do seu substituto, urgentemente.

Líder

Francisco Chaveiro Reis
25
Ago19

vietto2.jpg

O Sporting venceu em Portimão por 1-3 e é, juntamente com  Famalicão, líder da liga portuguesa, à terceira jornada. De pouco valerá este posto, a 31 jornadas do fim mas é sempre melhor estar no topo, do que não estar. Com Vietto a titular e a mostrar que afinal é reforço, o Sporting viu-se a vencer por 0-2, aos 5 minutos. Golão de Raphinha e encosto de Luiz Phellype a concluir jogada de Fernandes e Vietto, davam a sensação que vinha aí goleada. Um penalty de Rómulo refriou o ambiente e ao intervalo o resultado era mesmo de 1-2 (por erro do árbitro, não se assinalou uma grande penalidade que poderia dar o 1-3. O terceiro - bis de Raphinha - só surgiu aos 65 minutos. Keizer deu descanso a Wendel e Acuña e não esgotou as substituições, adiando as estreias de Camacho ou Plata.

Que futuro para Silva?

Francisco Chaveiro Reis
22
Ago19

as-acm-2.png

A meu ver, André Silva é um dos avançados mais promissores da Europa. Daí estranhar que um clube em crise continua como o Milan não o “aproveite”. O português tem vindo a ser associado a Mónaco, Valência e Sporting depois de na época passada ter jogado pelo Sevilha. O Milan quererá recuperar parte do investimento de quase 40 milhões de euros. Silva estreou-se pelo seu FCP em 2015-2016, marcando 3 golos em 14 aparições. Nessa mesma época, tinha feito 15 golos pela equipa B. Na época seguinte, assumiu-se como titular e marcou 21 golos. Chamou à atenção de vários clubes europeus, mas acabou por rumar ao Milan. Não explodiu como os italianos desejavam, mas a verdade é que participou em 40 jogos e marcou 10 golos, a maioria na Liga Europa. No ano passado, esteve emprestado ao Sevilha. Começou a bom ritmo, mas acabou a época lesionado e com “apenas” 11 golos. Jogou 40 partidas. Não são números de desprezar. Pior foi a lesão que o afastou da Liga das Nações e as acusações do seu treinador de que a mesma seria fingida. Qual será o destino do avançado, de 23 anos, numa fase essencial da sua evolução?

Ribery segue Ronaldo

Francisco Chaveiro Reis
21
Ago19

50488264.png

Dando uma de Ronaldo, Ribery, aos 36 anos, após uma vida num gigante europeu, mudou-se para Itália. O extremo francês vai jogar na bela cidade de Florença, esperando conquistar o coração de adeptos que já tiveram Baggio, Batistuta ou Rui Costa como ídolos. Com 27 títulos no bolso, Ribery vai juntar-se a Chiesa, Boateng e Llorente (está a chegar, diz-se) para fazer um ataque temível, ainda que o médio Pulgar já lhe tenha ficado com a camisola 7.

Ribery, fomado no Lille, deu nas vistas no Marselha, já depois de ter passado por Brest, Metz ou Galatasary. Depois de dois anos no Velodrome, mudou-se para o Bayern de Munique onde ganhou 24 títulos. Chega agora ao Calcio. Curiosamente, um dos extremos mais interessantes dos últimos anos nunca chegou a Inglaterra ou Espanha, os dois melhores campeonatos europeus.

Slimani reencontra Jardim

Francisco Chaveiro Reis
21
Ago19

b3991e6b2246707bced32152e0e1df4a.png

Islam Slimani vai jogar esta época no Mónaco, por empréstimo do Leicester. Não tendo sido feliz ao serviço de Leicester, Newcastle ou Fenerbahce, Slimani volta a trabalhar com Leonardo Jardim, o primeiro técnico que apostou nele na Europa. Depois de mostrar dotes de goleador na sua Argélia natal, Slimani chegou ao Sporting em 2013, por cerca de 300 mil euros. Inicialmente suplente de Montero, Slimani acabou por se afirmar e por terminar a época de estreia com 10 golos. 15 e 31 foram os registos seguintes, levando à transferência para Inglaterra por 30 milhões de euros, num dos melhores negócios da história do Sporting. Forte fisicamente e com bom jogo de cabeça, era de prever que se desse muito bem. Não deu. Em época e meia, 13 golos pelo Leicester. Em meia época, zero golos pelo Newcastle. Em novo empréstimo, 5 golos pelo Fenerbahce. Aos 31 anos, segue-se o Mónaco que se prepara para perder Falcao. Sempre associado ao regresso ao Sporting, Slimani jogará afinal em França.

Ricardo

Francisco Chaveiro Reis
20
Ago19

503256_med__20180809151255_ricardo_nunes.png

Aos 37 anos, o guarda-redes Ricardo Nunes interrompeu a sua carreira, devido a uma doença oncológica. Um dos bons guarda-redes portugueses dos últimos anos, atuava atualmente no Chaves, depois de ter passado por clubes como Varzim, Académica, União de Leiria e de ter chegado inclusivamente ao FC Porto. Uma onda de solidariedade tem chegado ao atleta. Que melhore depressa.