Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Lembrar o Salgueiros

Francisco Chaveiro Reis
09
Mai19

youri djorkaeff.png

A recordação mais vívida que tenho do Salgueiros não é nada boa para o clube. Em maio de 2000, o Sporting foi ao Vidal Pinheiro golear por 0-4 e sagrou-se campeão. Para mim, enquanto amante do futebol nascido nos anos 80, o Salgueiros era uma equipa com presença garantida na primeira divisão. Nascido em dezembro de 1911, o Sport Comércio e Salgueiros, é um clube da zona de Paranhos, no Porto.

 

Em 1943/44, o Salgueiros subiu, pela primeira vez, à primeira divisão, andando nas décadas seguintes entre a primeira e a segunda divisão. Só nos anos 80 é que o clube estabilizou na primeira divisão, à exceção da época de 1989/90, quando se sagrou campeão nacional da II Divisão.

 

1990-1991 foi a melhor época da história do Salgueiros (em 24 temporadas). O Salgueiros conquistou a quinta posição, ficando apenas atrás de Benfica, Porto, Sporting e Boavista. Nesse ano, o Benfica foi campeão e teve em Rui Águas, o melhor marcador da prova, com 25 golos (seguindo de Domingos, do Porto e Fernando Gomes, do Sporting). Orientado por Zoran Filipovic, o Salgueiros venceu 12 jogos, empatou outros tantos e perdeu 14. Curiosamente, marcou apenas 32 golos em 38 jogos, sendo uma das equipas menos concretizadoras da liga. Nesse ano, o plantel contava com o guarda-redes Madureira, histórico do clube; Fernando Nélson (saltaria para o Sporting no ano seguinte); Milovac, Leão ou Vinha. Na época seguinte, já com o jovem Sá Pinto, com Abílio ou ainda com Pedrosa, o Salgueiros jogou uma ronda da Taça UEFA. O Cannes de Zidane perdeu 1-0 no Porto, com golo de Jorge Plácido (pai do rapper Jimmy P) mas venceu em França, com golo do camaronês François Omam-Biyik. O Cannes, que contava ainda com Luis Fernandez ou Asanovic, venceu nas grandes penalidades.

 

Na Taça de Portugal, o Salgueiros chegou duas vezes aos quartos de final, em 1952 e em 2002. Em 2002, Rui Correia, Nunes, Delson, Toy ou Basílio, eram figuras. 2002, no entanto, marcou o início de uma época negra para o clube de Paranhos. Desceu de divisão e com graves problemas financeiros, acabou por ser extinto em 2005, conseguindo ser refundado em 2008. Dez anos depois, recuperou o seu nome original e joga na Divisão de Elite da AF Porto, à espera de dias melhores. O mítico Vidal Pinheiro, esse, foi demolido há 13 anos, depois de ter servido o clube entre 1932 e 2015.

 

Clube simpático do Porto, o Salgueiros ficou ainda conhecido por ter ajudado Deco a lançar-se no futebol de primeira liga. O Mágico 10 fez 13 jogos em Paranhos antes de se mudar para o FCP.

Lucas roubou a Moural do Ajax

Francisco Chaveiro Reis
09
Mai19

lucas-moura-115481811512hh1refswr.png

Não sei se será a melhor, mas esta é a Champions mais emotiva dos últimos anos. Depois do Milagre de Mercyside, ontem deu-se a afirmação definitiva de Lucas Moura no futebol europeu e a respetiva passagem do Tottenham à final da Liga dos Campeões. O Ajax jogava em Amsterdão com um golo de vantagem e com a moral de ter deixado Real e Juve pelo caminho. E tudo parecia encaminhar-se para uma noite de glória na ArenA. De Ligt deu vantagem logo aos cinco minutos e trinta depois, Ziyech fazia o 2-0. Com 3-0 na eliminatória o que poderia correr mal? O Ajax ia mesmo regressar a uma final da Champions, 24 anos depois de vencer o Milan, em Atenas. Mas o cansaço físico ou talvez uma certa sobranceria traíram o gigante holandês. Sem Kane, Lucas Moura tomou conta das despesas do ataque e bisou em quatro minutos, fazendo o Ajax tremer. Tremeriam ainda os ferros de ambas as balizas. Quando se pensava que o Ajax seguiria em frente, à rasquinha, Lucas apresenta-se para o terceiro ato e completa o hat-trick. De mão na cara e estendidos no terreno, os brilhantes jovens holandeses perceberam a sua sina. Segue em frente o fabuloso Tottenham de Pochettino.

Eis o jogo que amamos

Francisco Chaveiro Reis
08
Mai19

Daw3NlhXUAEZ7lu.png

Era uma missão impossível. O Liverpool, sem três titulares, incluindo o seu melhor jogador, recebia o Barcelona, com a missão de anular três golos de desvantagem. Com dois golos do habitual suplente, Origi e mais dois do médio Wijnaldum, que entrou ao intervalo para render o capitão Henderson, lesionado, o Liverpool goleou o todo-o-poderoso Barcelona por 4-0 e comprou bilhete VIP para a final da Liga dos Campeões.

 

O Barcelona, já campeão espanhol, até descansou a equipa no fim-de-semana, não levando a Vigo as estrelas maiores, mas saiu humilhado de Anfield (que ambiente!). Origi, avançado belga que já tinha sido o salvador do Liverpool no campo do Newcastle, inaugurou o marcador aos seis minutos, em recarga a um remate de fora da área. Na segunda parte, foi o holandês Wijnaldum a brilhar. Primeiro, com um golo onde Ter Stegen foi mal batido e depois com uma boa cabeçada. A chocante reviravolta chegou aos 79 minutos, com Origi a desviar a bola na sequência de um canto. Hoje joga-se o Ajax-Tottenham numa Liga dos Campeões onde a final, em muitos anos, não terá Real, Atlético, Juventus, Barcelona ou Bayer.

2019-2020 sem Robben e Ribery em Munique

Francisco Chaveiro Reis
06
Mai19

292330090021211.png

É o fim de uma era no Bayern de Munique. Apesar dos muitos percalços, o Bayern de Nico Kovac deve ser campeão alemão, aproveitando as muitas escorregadelas do Borussia de Dortmund. Mas, mesmo com essa glória, o clube bavaro vai passar por sérias mudanças. Não é certo que Kovac continue mas é certo que duas das maiores referências do clube nos últimos anos, vão deixar a Allianz Arena. Robben e Ribery vão mudar de ares.

 

Frank Ribery, extremo francês de 36 anos, chegou ao Bayern em 2007, a troco de 30 milhões, pagos ao Marselha. Antes, andara por Lille, Boulogne, Alès, Brest, Metz e Galatasary. Em 12 anos, Ribery, camisola 7 pós Mehmet Scholl, venceu uma Liga dos Campeões, uma supertaça europeia, um mundial de clubes, 8 campeonatos alemães e 5 supertaças, entre outros trofeus. Em termos individuais, fez 422 jogos, marcou 123 golos e ofereceu 183. São números incríveis. No fim da carreira, poderá abraçar um campeonato periférico ou mesmo regressar a França.

 

Dois anos depois de Ribery, Robben, extremo holandês de 35 anos, aterrou em Munique. Brilhara no PSV e Chelsea e jogou no Real Madrid. Em 10 anos, ganhou quase tudo o que Ribery ganhou, compondo com Lewandowski, desde 2010, um dos trios de ataques mais mortíferos da Europa. Robben leva 306 jogos disputados, tendo marcado mais do que Ribery: 143 golos.

O 8 é nota 10

Francisco Chaveiro Reis
06
Mai19

bruno-fernandes-11548398049prncxo7cem.png

O Sporting, já com o terceiro posto garantido e poucas possibilidades de subir ao segundo, foi ao Jamor defrontar o Belenenses SAD. A equipa de Silas, a fazer boa temporada, supostamente seria um adversário difícil de ultrapassar, mas dois erros do guarda-redes Muriel, facilitaram a vida ao Sporting. Bruno Fernandes fez o resto. Aos 11 minutos, Muriel repôs mal a bola em jogo e ofereceu o 0-1 a Raphinha. Luiz Phellype (sétimo golo seguido em sete jogos) fez o 0-2 aos 45 minutos já com Guilherme Oliveira na baliza, após a expulsão de Muriel, logo aos 22´. O Sporting baixou o ritmo e após marcar, aos 61´por Licá, o Belenenses teve fé no empate, que acabou pouco depois. Gudelj, com a ajuda da cara de André Santos fez o 1-3 e a partir, dos 70, o Sporting deu espetáculo. Bruno Fernandes entrou para a história do futebol europeu ao tornar-se no médio com mais golos de sempre, numa só época. Fernandes marcou aos 70´, 75´ e 84´, chegando aos 19 golos (ficou a 2 de Seferovic, como melhor marcador do campeonato), somando agora um total de 31 golos (!!!!!). Pelo meio, Bas Dost voltou a jogar e segundos depois de entrar fez o então 1-6, passando a somar 17 golos no campeonato e fechando o pódio de melhores marcadores. Doumbia fechou a contagem em 1-8. A duas jornadas do fim, o Sporting está no terceiro posto, conta com 70 golos marcados e tem dois jogadores no top 3 de melhores marcadores, venceu a Taça da Liga e está na fina da de Portugal. Não é a época perfeita, mas é muito melhor do que se poderia imaginar há cerca de um ano, após o ataque a Alcochete.

À caça no mercado belga

Francisco Chaveiro Reis
02
Mai19

687474703a2f2f692e696d6775722e636f6d2f555133495777

Vieram ontem a público, informações de possíveis alvo do Sporting no mercado belga.  Moussa Djenepo, extremo maliano de 20 anos, do Standard de Liége e Leandro Trossard, extremo belga de 24 anos, do Genk, foram nomes ontem avançados pel´A Bola. O primeiro, segundo o Transfermarkt vale 5 milhões e o segundo, 14 milhões.

Que outros jogadores da liga belga seriam interessantes para reforçar o Sporting? Vários. Nem todos tão baratos como seria de desejar mas com a possibilidade de revenda, muitos são boas oportunidades de negócio.

Comecemos pelos avançados. Mbwana Samatta, da Tanzânia, leva 22 golos esta época e seria sempre uma mais valia para o ataque do Sporting. Já não é tao jovem que se permita pensar num grande encaixe mas valeria os 9 milhões. Também caro é o brasileiro Wesley, estrela do Club Brugge, que custaria cerca de 18 milhões (aqui, o numero parece-me exagerado). Mais barato ficaria Renaud Edmond, belga do Liége que leva 16 golos este ano, que custaria 3,5 milhões. No histórico Anderlecht mora Santini, croata de 29 anos, que marcou 14 vezes esta época e que se poderia mudar a troco de 4 milhões. Com 19 anos, o canadiano Jonathan David, do Gent, também seria uma boa opção, por 5 milhões.

No meio-campo, o Genk, provável campeão oferece muita qualidade. O médio defensivo norueguês, Sander Berge ou o médio ofensivo ucraniano, Ruslan Malinovskyi seriam boas adições. O primeiro, como substituto de Gudelj e o segundo, de Fernandes. Os preços, 17 milhões e 10 milhões, respetivamente, são preços altos mas sobretudo no caso de Malinovskyi, com benefício obvio. Hans Vanaken, belga, rei das assistências, seria muito bem-vindo. Está avaliado em 10 milhões. No Liége moram dois extremos de talento mas que nunca explodiram como se pensava: Mpoku (3,5 milhões) e Lestienne (2,5 milhões) mas que ainda poderiam ser uteis em Portugal. Para o centro da defesa, recorro, uma vez mais, ao Genk. Aidoo (4 milhões), seria uma ótima contratação.

Messi e Ajax a caminho da final

Francisco Chaveiro Reis
02
Mai19

messi_png_by_flashdsg_dc64sy5-pre.png

Jogada a primeira mão das meias-finais da Liga dos Campeões, a final mais provável um Barcelona-Ajax, dois clubes tocados pelo génio de Johan Cruyff. Logo na terça-feira, o Ajax voltou a dar um banho de bola e foi a Londres vencer por 0-1, golo de Van de Beek. No estádio mais caro da Europa, o Ajax mostrou a simplicidade do seu bom futebol, com frescura física e muita muita técnica. Já ontem, Messi abriu o livro e ajudou o Barcelona a vencer o Liverpool por claros 3-0. Suarez abriu o marcador, mas foi Messi, com classe, a ser a estrela, com dois golos que condenam o Liverpool.

Pág. 4/4