Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Bons alvos

Francisco Chaveiro Reis
23
Mai19

kenny-tete-96267-ub-800.png

Tete e Malinovsky têm sido apontados ao Sporting nos últimos dias e, a serem possibilidades reais e concretizáveis, seriam dois reforços de qualidade superior. Kenny Tete, internacional holandês que jogará a Liga das Nações, cruzou-se com Keizer no Ajax e é um lateral-direito ofensivo que seria uma séria melhoria na posição. Aos 23 anos, Tete, que também tem nacionalidade moçambicana, cumpre a segunda época em Lyon onde não convenceu totalmente e veria no Sporting, uma boa oportunidade de carreira. Este ano, esteve 20 vezes em campo. Já Ruslan Malinosvky, 26 anos, médio ucraniano, é uma das estrelas do Genk e leva 16 golos em 51 jogos, esta época. Cabe-lhe pensar o jogo do clube belga e municiar os goleadores Trossard (já apontado ao Sporting) e Samatta. É visto, e bem, como o substituto de Bruno Fernandes que pode rumar à Premier League. Só o preço assusta: 10 milhões. Mas caso cheguem 70 por Bruno, a operação Malinovsky poderá tornar-se viável. 

Dortmund ao ataque

Francisco Chaveiro Reis
22
Mai19

thorgan-hazard-11548371326png2ihy7ir.png

O vice-campeão Borussia de Dortmund está a preparar a nova época em grande estilo, quem sabe para aproveitar o momento de renovação do Bayern, para voltar a ser campeão. Se Pulisic, já foi anunciado no Chelsea e outros como Raphael Guerreiro ou Jadon Sancho, são alvo apeteciveis. Mas o Dortmund não se atrapalha e já está a atacar o mercado em força. Certos, estão já Nico Schulz, defesa internacional alemão, que transita do TSG Hoffenheim por cerca de trinta milhões e Thorgan Hazard, extremo internacional belga que trocou de Borussias. Julien Brandt, extremo internacional alemão, pode ser o senhor que se segue e seria mais uma grande adição ao ataque.  

Caça ao treinador

Francisco Chaveiro Reis
22
Mai19

mourinho.png

Está aberta a caça ao treinador. Acredito que a Juventus já tenha um alvo bem definido e que não dispensou um homem como Allegri, conhecedor do futebol italiano e vencedor, sem saber o que queria, mas a especulação tem sido mais que muita. Que homem se seguirá no banco da Juve? Um técnico italiano, conhecedor do clube e da liga, seria uma opção óbvia. Maurizio Sarri, que se prepara para deixar o Chelsea, onde não convenceu, mesmo podendo ainda vencer a Liga Europa. Sarri, de 60 anos, chegou tarde ao topo do futebol italiano, tendo chegado ao Nápoles aos 56 anos. Outro nome apontado, é o de Antonio Conte. Conte, jogador da Juventus durante 12 anos, é um histórico do clube e venceu a ambicionada Liga dos Campeões pelo clube. Passou depois três anos no banco, vencendo três campeonatos e duas supertaças. E Chiellini falou ontem em Marcelo Lippi, na China desde 2012 e que aos 70 anos, não é previsível que regresse a Itália, a não ser para a reforma. Lippi passou pela Juventus entre 1994 e 1999 e entre 2001 e 2004, vencendo a Liga dos Campões e a Supertaça Europeia, entre outros títulos, nacionais.

Mas a aposta pode mesmo ser num grande treinador estrangeiro. José Mourinho, sem clube, terá sido pedido por Ronaldo. O português já venceu duas Ligas dos Campeões, sempre numa posição de não favorito e melhor poderá fazer numa equipa que tem Ronaldo e está disposta a gastar para que se lhes juntem outras estrelas. Maurício Pochettino, que se prepara para disputar a final da Champions, é outro nome apontado. O argentino estará ainda a ser namorado pelo Bayern de Munique e veria com bons olhos o salto para um gigante europeu, depois do trabalho excelente feito em Londres. Mas o nome hoje falado, seria aquele que reuniria maior consenso: Pep Guardiola. Não venceu a Champions por Bayern e City, falhando o objetivo principal, mas é um dos melhores treinadores do mundo, já passou por Itália como jogador e seria sempre uma mais valia, sendo que parece uma hipótese remota.

Seja quem for o treinador, a Juventus, que já garantiu Ramsey, vai contar com um plantel reforçado. Na mira estão estrelas como Icardi, Milinkovic-Savic, Pogba, Rabiot ou De Ligt têm sido ligados ao clube.

Acuña na Copa América

Francisco Chaveiro Reis
21
Mai19

acuna.jpg

Marcos Acuña vai jogar a Copa América 2019. O defesa/médio esquerdo do Sporting repete a chamada, depois de já ter marcado presença no Mundial 2018. Otamendi e Di María, que já jogaram por cá, também estão na lista, ao contrário de Rojo. Outros craques, como Icardi, Pavón ou Benedetto ficam pelo caminho. 

Convocatória completa:

Armani (River Plate), Andrada (Boca Juniors) e Marchesín (América);

Saravia (Racing), Otamendi (Manchester City), Pezzella (Fiorentina), Tagliafico (Ajax), Funes Mori (Villarreal), Casco (River Plate), Foyth (Tottenham) e Acuña (Sporting);

Paredes (PSG,), Lo Celso (Bétis), Palacios (River Plate), Guido Rodríguez (América), Pereyra (Watford), Di María (PSG), De Paul (Udinese) e Dybala (Juventus);

Messi (Barcelona), Aguero (Manchester City), Martínez (Inter) e Matías Suárez (River Plate).

Gil já contrata

Francisco Chaveiro Reis
21
Mai19

1200px-Logo_Gil_Vicente.svg.png

Repescado da justiça dos mares dos campeonatos amadores, o Gil Vicente já tem treinador, Vitor Oliveira, campeão da segunda divisão e já tem o primeiro reforço: o central Ruben Fernandes, que Oliveira conheceu em Portimão. Aos 33 anos, o defesa transita de Portimão, onde era titular. É de prever que quase a maioria do plantel seja feito de novidades, tal como aconteceu quando o Boavista regressou ao topo do futebol europeu.

Que nomes se seguirão?  O Gil terá fundos e receberá outros como compensação pelo que sofreu, mas é natural que opte por homens sem contrato, alguns emprestados e jogadores que deixem os clubes que agora desceram. Especulando, parece-me que homens como Caio Secco e João Silva (Feirense); Cerqueira e Rochez (Nacional) e Paulinho, Campi, Costinha e Bressan (Chaves) são nomes interessantes. Em termos de emprestados, vejo Abdu Conté, Marco Túlio e Elves Baldé (Sporting), Jota (Benfica) ou André Pereira (FCP) como nomes a ter em conta. Uma coisa é certa. Os anúncios de reforços gilistas vão ser diários por várias semanas.

Kompany, treinador em Bruxelas

Francisco Chaveiro Reis
21
Mai19

vincent-kompany-11548182401nqusbdf8kj.png

No rescaldo de mais um título conquistado pelo Manchester City, Vincent Kompany anunciou a saída da equipa que capitaneou nos anos de maior sucesso da história do clube. Kompany, de 33 anos, vai ser jogador-treinador do Anderlecht, clube onde se formou. A função, já muito pouco vista, parece ser feita à medida de um homem que desde muito cedo se notabilizou pela capacidade de liderança.

Nascido em Bruxelas, Kompany estreou-se pelo Anderlecht, onde fez mais de 100 jogos e venceu duas ligas belgas. Em 2006, deu mais um passo em frente na carreira, mudando-se para o Hamburgo. Longe de ser, naquela altura, um gigante europeu, o HSV deu a Kompany a possibilidade de jogar numa liga mais competitiva. Ainda assim, venceu uma Taça Intertoto. Dois anos depois, chegou a Manchester.

Aos 23 anos, o belga estava preparado para o desafio de jogar na melhor liga do mundo. Fez mais de 40 jogos no ano de estreia e fez parte de uma equipa já com algumas estrelas, como Robinho, Jô, Elano ou De Jong. O primeiro título de Kompany no City, veio em 2010/2011, na terceira época do belga na equipa, já com Mancini como treinador. Yaya Touré fez o único golo do City 1 Stoke 0 de 14 de maio de 2011.

Ao longo de 11 épocas, Kompany venceria mais quatro campeonatos, uma FA Cup, quatro Taças da Liga e cinco Supertaças, ficando a faltar-lhe um título europeu. Fez 359  jogos (não conseguiu chegar ao top 10 de jogadores com mais partidas pelo clube) pelo Manchester City e marcou 20 golos, incluindo um, decisivo, na reta final desta edição da Premier League. Treinado por Mark Hugues, Roberto Mancini, Manuel Pellegrini e Pep Guardiola, Kompany partilhou o balneário com craques como os que lá estão este ano: Aguero, Bernardo, David Silva, De Bruyne ou Fernandinho e muitos outros que já não estão como Yaya Touré, Hart, Zabaleta, Nasri, Milner, Balotelli, Adebayor ou Dzeko.

Segue-se a missão de reconduzir o Anderlecht ao título belga, sendo que, 55 anos depois, o clube não participará nas competições europeias (tem duas Taças das Taças, uma Taça UEFA e duas Supertças Europeias no museu). Histórico, o Anderlecht foi campeão belga em 24 ocasiões, a última das quais, em 2017. Conta ainda com 9 Taças, 1 Taça da Liga, 13 Supertaças e 2 campeonatos da segunda divisão. Mister Kompany tudo fará para expandir o palmarés.

Comprar cá dentro

Francisco Chaveiro Reis
21
Mai19

56055.png

Eduardo Henrique, médio defensivo brasileiro que se tem destacado na Belenenses SAD, pode estar a caminho do Sporting. O valor de mais de quatro milhões de euros surpreende, mesmo quando falamos de um jovem de 24 anos, com escola de grandes clubes brasileiros como São Paulo ou Atlético Mineiro. Eduardo fez 29 jogos e marcou dois golos na liga portuguesa, no ano de estreia e estará a ser igualmente seguido pelo Sporting de Braga. A sua contratação poderá ser vista como alternativa a Petrovic, esforçado, mas limitado ou até, pelos valores envolvidos, como alternativa a Gudelj, cujo ordenado será elevado. Mas o ponto, não é o jogador em si mas a política de contratações. Comprar na nossa liga é atalhar no processo de adaptação ao futebol português. A exploração de mercados como o belga ou holandês é bem-vinda, por oposição a mercados mais caros como o argentino ou brasileiro, mas balançar com o mercado interno pode ser o caminho a seguir, algo que o FC Porto tem vindo a fazer com sucesso nos últimos trinta anos. Quem diria que Luiz Phellype, vindo da segunda divisão, marcaria 8 golos pelo Sporting? É certo que beneficiou da lesão de Dost mas chamado à titularidade, desbloqueou vários jogos.

Que outros jogadores do nosso campeonato poderiam ser mais valias no Sporting? Cláudio Ramos, guarda redes do Tondela; Pedro Henrique, central do Guimarães; Matheus Reis, defesa-esquerdo do Rio Ave ou Guilherme Schettine, avançado do Santa Clara são jogadores bastante interessantes.

 

Lauda (1949-2019)

Francisco Chaveiro Reis
21
Mai19

26ebec37bef1e0aeed2d2f9a04ceea1d.png

O mítico piloto de Fórmula 1, Niki Lauda, morreu aos 70 anos. Lauda, campeão do mundo em 1975, 1977 e 1984, participou em 177 grandes prémios. Conhecido pelos sucessos, a vida de Lauda ficou marcada por um grave acidente em 1976, em Nürburgring no qual ficou preso dentro do seu carro, a arder. Ficou com graves queimaduras e o seu estado de saúde não mais voltaria a ser o mesmo devido aos gases tóxicos inalados, tendo sido submetido a diversos transplantes até ao fim da vida. Mas na altura, a sua garra levou a melhor. No mesmo ano do acidente, lutou até ao fim pela vitória. Falhou na última corrida. No ano seguinte, recuperaria o título. A vida de Lauda teria na rivalidade com o piloto britânico James Hunt, outro ponto de interesse, tanto que a história foi brilhantemente contada em Rush, filme de 2013. O mundo despede-se de um dos maiores da história da Fórmula 1.

Acabou a época

Francisco Chaveiro Reis
20
Mai19

Badge-Vermelho-logo-cores.png

Chegou ao fim a liga portuguesa. Na última jornada, o Benfica sagrou-se campeão; o Guimarães subiu ao quinto posto e vai à Europa (na verdade já ia, devido à falta de inscrinção atempada do Moreirense mas assim vai com o quinto posto garantido) e o Tondela mantém-se na liga, juntando-se o Chaves ao Nacional e Feirense. 

Seferovic, dado como dispensável no inicio da época, marcou 23 golos e sagrou-se o melhor marcador do campeonato, seguido de Bruno Fernandes (20 golos) e Rafa Silva (17). Já Pizzi, foi o homem que mais golos forneceu: 19. João Félix foi a grande revelação, fazendo dupla mortífera com Seferovic, marcando 15 golos em 26 jogos. Na hora de escolher o melhor jogador, diria que foi Bruno Fernandes que mais se destacou, pela qualidade de jogo, assistências, golos e por carregar uma equipa às costas. Com 103 golos, o Benfica foi o melhor ataque e foi também a segundamelhor defesa, sofrendo apenas 31 golos. O FCP, segundo melhor ataque (74 golos, mais dois do que o Sporting) teve a melhor defesa (20 golos). Por outro lado, o Feirense marcou apenas 27 golos, menos um do que o Setúbal. O Nacional sofreu 70 golos.

O Porto e o Braga desiludiram, deixando-se ultrapassar depois de a dada altura terem confortáveis vanatgens nos 1.º e 3.º lugares. O Moreirense fez o seu melhor campeonato de sempre mas acabou por se deixar ultrapassar na última jornada pelo Guimarães. A Belenenses SAD também fez boa campanha, tendo chegado a sonhar com a Europa. Rio Ave, Boavista e Santa Clara fizeram campanhas tranquilas.

No fim da tabela, o Feirense foi a pior equipa, conseguido apenas 3 vitórias. O resto foram derrotas (20) e empates (11). O Nacional sonhou com a manuntenção até à penultima jornada mas não foi muito melhor, em 34 jornadas, conseguiu apenas 7 vitórias. O Chaves só desceu na última jornada. Para o ano, a liga contará com os regressos de Paços de Ferreira, Famalicão e Gil Vicente. 

 

Allegri deixa Juve

Francisco Chaveiro Reis
17
Mai19

massimiliano-allegri-png.png

Maximiliano Allegri vai deixar a Juventus após cinco gloriosas épocas. O italiano de 51 anos, deu nas vistas no Cagliari e passou pelo Milan, onde chegou a ser campeão. Sempre a subir na carreira, Allegri chegou a Turim em 2014 e venceu cinco campeonatos, quatro taças e duas supertaças. No entanto não consegui vencer a Liga dos Campeões, o grande objetivo bianconero que levou a Juve a gastar 100 milhões. Allegri deixa muitos títulos mas a Juventus quer muito mais além. Quem se seguirá, sabendo que nomes como Guardiola ou Klopp estão ocupados? E o que seguirá na carreira de Allegri? Bayern? Barcelona?

Loja dos 100

Francisco Chaveiro Reis
17
Mai19

5fc5486e2801b9eb591518e1c9c7b3f2.png

O mercado deste verão será o mais quente de sempre. A fasquia dos 100 milhões, que já espantou o mundo parece ter vindo para ficar e vai ser usada e ultrapassada ao longo deste verão.

A saída de Griezmann do Atlético já é certa será pela clausula de 120 milhões. O mais certo é ser o Barcelona a pagar a fatura mas PSG e Bayern não se importariam nada de fazer esse movimento bancário. Com o Atlético a receber 80 milhões por Lucas (Bayern) e possivelmente mais 70 por Rodri (City), o momento será de comprar. Felix, Icardi ou Dybala deverão facilmente atingir a marca dos 100 milhões.

Ali ao lado, o Real está habituado a recordes e vai avançar por várias estrelas. Mbappé (200 milhões), Pogba (150), Hazard e Eriksen (100) são alvos muito sérios, depois de Jovic que custará cerca de 60. Na porta de saída estão Bale, Isco ou Kroos e o objetivo, pelo menos com o primeiro, é receber o número mágico dos 100 milhões. O Barcelona, campeão, quererá Griezmann e se o francês não chegar deve gastar igual valor noutra estrela. Mas a provável venda de Coutinho (PSG, Chelsea ou United estão à espreita) também renderá o número mágico.

Os clubes alemães preferem sempre não entrar em loucuras, mas em Munique, os tempos estão a mudar. Depois de Lucas (80), o Bayern aponta a Sané (100). Com a necessidade de renovar a equipa, é possível que ataque mais estrelas. Muller e Lewandowski podem estar de saída e Ribery e Robben, estão, de certeza.

Mas os grandes gastos são sempre esperados na liga inglesa. O campeão City pode deixar sair Sané mas deve gastar os mesmos 100 milhões noutra estrela: Sancho. Rodri está a caminho e se gastar mais uns 200 milhões em dois ou três reforços, não espanta ninguém. Na mesma cidade, o United continua a procurar-se e deve virar-se para Ruben Dias (60), Bruno Fernandes (55 a 76) e Coutinho (100), pelo menos. O Chelsea, perdendo Hazard também atacará o mercado, não se conhecendo ainda os alvos. Facto é que este será o mercado mais quente e que mais dinheiro movimentará.