Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Sporting vence jogo louco (3-4) no Restelo e olha para o segundo lugar

Francisco Chaveiro Reis
15
Abr18

dist.jpg

Num jogo louco, o Sporting levou a melhor em Belém e venceu os azuis do Restelo por 3-4. Marcou cedo o Belenenses, com Yebda a converter uma grande penalidade após lance confuso entre Rui Patrício e Yazalde que a meu ver, não deveria ter resultado em penalty. Estavam decorridos 7 minutos. O Sporting daria a volta por Dost após grande passe de Bruno Fernandes e por Gelson, também após passe do número 8 leonino. O Sporting iria tranquilo para as cabines, após Acuña ter feito o 1-3. Porém, houve uma bola dominada com a mão e a jogada deveria ter sido parada. O Belenenses entrou em grande na segunda parte e tal como o Sporting marcou duas vezes de rajada, também o Belém o fez. Licá e Fredy, de penalty, deram o 3-3 a cerca de meia-hora do fim. Seria também de penalty que Bruno Fernandes faria o 3-4 final. O 3-5 de Acuña ainda seria bem anulado após fora-de-jogo de Ristovski. O Sporting está a apenas a 3 pontos do Benfica no segundo posto e ainda recebe os rivais na penultima jornada. 

 

Manchester United perde e City é campeão. Guardiola conhece o sucesso em Inglaterra depois de Espanha e Alemanha

Francisco Chaveiro Reis
15
Abr18

2e193852988761108b107488c8e4334f-premier-league-ma

Uma inesperada derrora do Manchester United em casa, com o WBA, por 0-1, ofereceu o título de campeão ao rival Manchester City, que no sábado venceu o Tottenham por 1-3. O United, elimanado da Liga dos Campeões e em segundo posto (ainda pode cair) da Premier League acaba por ter uma época falhada, sobretudo depois dos milhões gastos em homens como Lukaku, Alexis ou Matic.

 

O Sporting europeu

Francisco Chaveiro Reis
13
Abr18

img_770x433$2017_09_13_01_09_02_1311947.jpg

Acabou ontem a participação do Sporting na Europa esta época. Positiva nas exibições, menos positiva nos resultados, foi ainda assim a melhor das equipas portuguesas este ano com os rivais a serem, inclusive, goleados. O Sporting teve pouca sorte no draft e enfrentou desde logo Barcelona e Juventus que naturalmente seguiram em frente. Matematicamente a luta foi até à última jornada mas o Sporting acabou por seguir para a Liga Europa. Na Champions, começou com um belo jogo em Atenas chegando com classe ao 0-3. Duas desconcentrações deram o 2-3 final. Na segunda partida, 0-1 com o poderoso Barcelona de Messi e exibição de luxo. No duplo confronto com a Juve, derrota por 2-1 em Turim e 1-1 em Alvalade. Em ambos os jogos, o Sporting mereceu mais mas o cinismo italiano e a experiência do adversário mandaram mais. A segunda vitória surgiu sobre os gregos, novamente, com um 3-1. No último jogo, derrota por 2-0 em Barcelona. 3 derrotas em 6 jogos nunca é bom mas jogando contra dois gigantes, também não é vergonha. O Sporting despediu-se com 7 pontos, marcando 8 golos e sofrendo 9. Nos dezasseis-avos de final da Liga Europa, acumulado de 6-4 ao Astana. 1-3 fora e 3-3 caseiro. Seguiu-se o Plzen. Vitória em casa por 2-0 e derrota fora por 1-2. Com o Atlético, o Sporting apenas perdeu por 2-1, no acumulado. O Sporting fez ainda dois jogos no play-off de acesso à Champions. 0-0 em Alvalade e 1-5 em Bucareste. 

Olhar para o Jamor

Francisco Chaveiro Reis
13
Abr18

img_770x433$2018_04_12_21_51_30_1386192.jpg

Não chegou para seguir em frente mas o Sporting fez o que se pedia. Dominou o jogo, venceu e procurou sempre o segundo golo, que daria o empate na eliminatória. Em noite de muita chuva em Lisboa e depois de uma semana caótica apenas 28 mil foram a Alvalade. A exibição merecia pelo menos os 40 mil habituais. Jesus, sem Coentrão, Piccini, William ou Dost, apostou num 3-4-3 com Patrício, Coates, Pinto e Mathieu; Ristovski, Battaglia, Bryan e Acuña; Gelson, Fernandes e Montero. O Sporting dominou desde o primeiro minuto e Acuña esteve muito perto de abrir o marcador. O golo só viria aos 28' por Montero. Petrovic entrou ainda na primeira parte para o lugar do lesionado Mathieu e na segunda parte Jesus apostou nos inconsequentes Doumbia e Ribeiro. Oblak, o azar e a incompetência não permitiram ao Sporting marcar o segundo e houve ainda alguma sorte nas duas bolas falhadas por Griezmann mas os leões deixam muito boa imagem contra uma das melhores equipas da Europa e equipa favorita a vencer a Liga Europa. Resta manter o terceiro posto, olhando para cima e principalmente, olhar para o Jamor! 

Os emprestados

Francisco Chaveiro Reis
12
Abr18

naom_5a4e1c561fd71.jpg

É bem verdade que se pode sonhar com a passagem às meias da Liga Europa e há condições para estar no Jamor mas é necessário pensar já na época que aí vem. Não sabemos ainda que presidente e treinador teremos no verão mas para além de Marcelo (Rio Ave) e Raphinha (Guimarães), reforçados garantidos há que chamar os emprestados. Domingos Duarte, Matheus Pereira e Francisco Geraldes devem ter lugar garantido no plantel 2018-2019. Domingos, 23 anos, fez 32 bons jogos pelo Belenenses no ano passado. Este, leva 27 pelo Chaves. Com juventude e poderio físico, merece entrar no plantel. Francisco Geraldes, médio ofensivo de 22 anos, ainda não terá convencido Jesus totalmente mas merece mais hipóteses. Geraldes pode ser 8, 10 ou descair para uma ala como Jesus fez com João Mário. Leva 34 jogos e 4 golos pelo Rio Ave. Já tinha mostrado a sua qualidade em 20 jogos pelo Moreirense antes de regressar ao Sporting em janeiro de 2017. Por fim Matheus, aquele que Jesus mais utilizou e aquele que mais se tem destacado no empréstimo. O extremo brasileiro leva 25 jogos e marcou 4 golos. 

O descalabro do Sporting B

Francisco Chaveiro Reis
12
Abr18

futebolequipabjogospbragabsacko (1).jpg

É com alguma preocupação que vejo a pouca discussão à volta da equipa B do Sporting. Bem sei que no próximo ano a equipa transita para um campeonato de sub-23. Faz sentido. Os jovens ganham rotação mas não estão deslocados numa liga mais agressiva e onde as equipas têm objetivos bem diferentes. Em 33 jogos, o Sporting B leva 8 vitórias, 9 empates e 16 derrotas. É, ainda, de longe, a pior defesa com 61 golos sofridos. A segunda pior defesa tem 51 golos concedidos. A equipa B marcou 41 vezes. Se a lógica da equipa B é dar tempo de jogo aos jovens talentos, também não se pode tirar da equação a competitividade. Não basta por os jovens a jogar. É importante que o escudo seja defendido e que qualquer equipa do Sporting não esteja tão abaixo na tabela. Os jovens devem jogar mas usando a camisola listada têm também que ter cultura de vitória. De quem é a culpa? 

Real Madrid apanha susto mas segue em frente

Francisco Chaveiro Reis
12
Abr18

5ace800ce35ac_GettyImages944874130.jpg

O Real Madrid eliminou ontem a Juventus da Liga dos Campeões num grande jogo de futebol. A Juventus, humilhada em casa por 0-3, seguiu o exemplo da Roma e marcou cedo. Mandzukic, que já passou pelo Atlético Madrid, marcou logo aos 2 minutos. A dominar o jogo, a Juve faria o segundo novamente por Mandzukic. O Real tentou reagir mas quem marcria seria a Juve. Falha de Navas e a bola a sobrar para Matuidi fazer o 0-3 e empatar a eliminatória. Quando já se esperava pelo prologamento, Benatia cometeu penalty, Buffon foi expulso por protestos e Ronaldo fez o 1-3 final. O Real caminha para mais uma conquista e Ronaldo para mais uma Bola de Ouro. Já Buffon, quarentão, terá feito o seu últim jogo na prova. Em Munique, 0-0 e o Bayern completa o lote de semi-finalistas. 

Torres vai deixar Atlético

Francisco Chaveiro Reis
11
Abr18

Fernando-Torres-Atlético-de-Madrid.jpg

Fernando Torres, "El Niño", um dos mais emblemáticos jogadores da história recente do Atlético de Madrid vai deixar o clube. Aos 34 anos, Torres já não consegue rivalizar com homens como Correa ou Costa e vai procurar um novo desafio, desconhecendo-se ainda qual. Torres apareceu na primeira equipa em 2000-2001, com 17 anos, na segunda divisão espanhola tendo os portugueses Dani e Hugo Leal como companheiros de equipa. Marcaria 1 golo em 6 jogos. No ano seguinte, 7 golos em 37 partidas. Só em 2002-2003 experimentaria jogar na primeira divisão, fazendo 14 golos. Apesar de rumores da sua saída, Torres ficaria até 2007, marcando mais 59 golos. Apesar de ter sido ligado ao Chelsea acabaria no Liverpool para três épocas e meia. Marcou 33 vezes na época de estreia, anunciando com estrondo a sua chegada a Inglaterra. Marcaria um total de 81 golos pelos Reds não vencendo nenhum título. Foi a busca por títulos que o levou ao Chelsea. Por lá, venceu uma Liga dos Campeões, uma Liga Europa e uma FA Cup. Não teve o impacto esperado pelos Blues mas marcou 45 golos em três anos e meio. Mudou-se para o Milan mas só lá ficou seis meses e marcou apenas uma vez. Regressaria ao Atlético onde está até hoje, tendo marcado mais 35 vezes. A sua qualidade merecia mais títulos nos clubes onde nunca foi campeão espanhol ou inglês mas pela seleção venceu dois Europeus (2008 e 2012) e um Mundial (2010) sendo parte ativa da mais gloriosa geração espanhola. Pela La Roja fez 110 jogos e marcou 38 golos.

Barça e City fora da Champions

Francisco Chaveiro Reis
11
Abr18

qlu1lVUGDtlmdOrS8F1r_10_a54d2038d2df6897dc2c21308d

Antes do início da eliminatória, poucos pensariam que seria possível a Roma eliminar o Barcelona e o Liverpool eliminar o City, nos quartos-de-final da Liga dos Campeões. Mas foi isso mesmo que ontem aconteceu. Praticamente campeão espanhol, com Messi, Suarez ou Iniesta no onze e com uma vantagem de 4-1 trazida da primeira mão, o Barça espetou-se e não conseguiu marcar em Roma, sofrendo três golos através de Dzeko, De Rossi e Manolas. O Barcelona ainda superou a sua apatia mas já não foi a tempo de marcar. Em Manchester, o City marcou por Gabriel e teve esperança em virar o 3-0 de Liverpool. Nada mais errado. Salah e Firmino fizeram um total de 5-1 nos dois jogos. 

O fim da linha

Francisco Chaveiro Reis
09
Abr18

20055740_Q5t1r.jpeg

O Sporting está em plena guerra civil. Outra vez. Este tem sido cenário usual nos últimos trinta anos o que ajuda não sendo causa única) a explicar a escassez de títulos. Prevejo que a presidência de Bruno esteja a chegar ao fim e que as próximas semanas sejam feias e sujas. Por isso mesmo, é importante lembrar que Bruno deixa obra feita. Trouxe estabilidade financeira ao clube (que se saiba), construiu o pavilhão, vendeu jogadores por valores a que o Sporting não estava habituado, bateu-se pelo uso das novas tecnologias e começou uma guerra contra a corrupção que não acabará (oxalá alguém lhe siga as pisadas). Bruno esteve no caminho certo e parecia estar a caminho de muitos e gloriosos anos à frente do Sporting. Mas falhou. Começou por não conseguir conquistar o campeonato em cinco tentativas, sendo três delas com Jorge Jesus, o mais caro treinador em Portugal e com um bom e caro plantel. Acabou por comprar guerras inúteis com toda a gente, degladiando-se até com os media ou adeptos, que poderiam ser vitais na sua estratégia. Depois da exibição (péssima, sem dúvida e merecedora de puxão de orelhas mas interno) de Madrid, criticou os jogadores em público. Deu até dicas de como os profissionais pagos a peso de ouro deveriam rematar à baliza. Caiu-lhes mal e o calmo e adorado Patrício liderou o motim. Bruno ameaçou suspender todos mas não foi avante. Esteve mal em todas as etapas. Continua a estar mal, cada vez mais sozinho e com Jaime Marta Soares a tentar dar-lhe uma saída airosa. Não tenho dívidas de que será deposto. Dará muita luta. Ontem viu-se que as bancadas o abandonaram. É pena mas o homem que tudo tinha para guiar o Sporting, perdeu-se. Ter-se-á deslumbrado com o poder ou terá sido abatido pelo tamanho da tarefa. Os sportinguistas devem agradecer os bons momentos, esperar que os maus passem e pensar na sucessão. Um dia teremos paz e voltaremos à glória, afinal, um clube que nada vence e que está em mais uma crise, levou 40 mil ao estádio.