Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Holanda vai falhar nova competição. Só uma goleada por 7-0 à Suécia, salva a Laranja

10
Out17

arjen-robben-triste.jpg

Para não falhar o play-off de acesso ao Mundial, a Holanda terá que golear a Suécia por 7 golos de diferença. Assim sendo, tudo indica que uma das melhores seleções da Europa, falhe a ida à Rússia em 2018, tal como falhara a presença no Euro 2016. Mesmo tendo Dick Advocaat no banco e homens de inegável quantidade como Robben, Depay ou Promes, a Holanda fez uma miserável campanha com 5 vitórias, 1 empate e 3 derrotas, num grupo que inclui França, Suécia, Bulgária, Bielorrússia e Luxemburgo.

Com Danny Blind, a Holanda falhou o Euro 2016 e começou a mal o apuramento para a Rússia. Advocaat não conseguiu melhor e prepara-se para falhar o Mundial 2018, com uma seleção que, em 2010, esteve na final do Mundial, contra Espanha. A Holanda, reconhecida pelos amantes do bom futebol dos anos 70, perdeu as finais dos Mundiais de 74 e 78 mas ficou para a história. A década de 80 seria dura para o futebol holandês até que, em 1988, a Holanda se sagrou campeã da Europa, com Van Basten, Gullitt ou Rijkaard. Nas décadas seguintes, a Holanda alternou entre o mau e o bom, em constantes renovações.

Tudo indica que a Holanda terá novamente que se reinventar, contando para isso com as fabulosas escolas dos seus clubes, a começar no Ajax. Uma reforma é necessária. Na baliza, Zoet (PSV) e Cillensen (precisa de jogar no Barcelona ou noutro clube) dão garantias. Na defesa, Tete (Lyon) ou Karsdorp (Feyennord) são jogadores de grande futuro. Janmat (Watford) é jogador para já. Na esquerda, Kongolo (Mónaco), Willems (PSV) ou Blind (United) também não são jogadores que envergonhem. Para o centro, há Bruma (Wolfsburgo), Virgil e Hoedt (Saints), De Vrij (Lázio) ou Rekik (Hertha Berlim). No meio, há Strootman (Roma), Fer (Swansea), Bazoer (Wolfsburgo), Hendrix ou Van Ginkel (PSV) para defender e Propper (Brighton), Klaassen (Everton) ou Wijnaldum (Liverpool) para atacar. No meio, estará um dos grandes problemas. Nem há um médio defensivo de classe mundial como Davids, nem um médio ofensivo de qualidade superior como o Sneijder dos bons velhos tempos. No ataque, as alas são de Robben (Bayern), à beira da reforma, Promes (Spartak) ou Depay (Lyon) que não têm sequência no centro. Van Nistelrooy ou Kluivert já não moram aqui. Janssen (Fenerbahce) é demasiado fraco e Dost (Sporting) parece não se dar com este modelo de jogo.

Como sempre na sua história, o segredo estará na integração de jovens talentos como Kluivert, filho do avançado histórico e extremo de superior qualidade.