Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

China

11.02.16, Francisco Chaveiro Reis

alcgkkcrci0rqrstb3r96zscbag7pz_g9c0_8dru_zsw.jpg

Há pouco tempo escrevi como o futebol chinês estava a recrutar grandes estrelas brasileiras. Com as recentes contratações, esse texto precisa de ser atualizado. Desde que o escrevi, vários jogadores, numa fase nada descendente da sua carreira mudaram-se para a China. Vejamos então, os craques que já estão confirmados nos clubes chineses:

Guangzhou Evergrande- Jackson Martinez (Atlético de Madrid)

Shanghai SIP – Elkeson (Guangzhou Evergrande)

Shandong Luneng – Gil (Corinthians)

Beijing Guoan – Renato Augusto e Ralf (Corinthians) e Burak Yalmaz (Galatasary)

Shanghai Greenland – Guarín (Inter)

Hebei Fortune – Lavezzi (PSG), Mbia (Tranbzonspor), Gervinho (Roma) e Kakuta (Sevilha)

Jiangsu Suning – Alex Teixeira (Shaktar Donesk) e Ramires (Chelsea).

About last night

09.02.16, Francisco Chaveiro Reis

Zeegelaar se fizer nos 90 minutos, o que fez nos primeiros 30, é titular do Sporting

 

Coates é o patrão pelo qual esperávamos

 

Semedo é o seu melhor parceiro

 

Ruiz rende mais no meio

 

Téo ainda não voltou das férias

 

William não rende. Tem que ir para o banco. Mas tem que jogar para voltar a render.

 

Barcos escorregou duas vezes de forma patética. Não tem botas adequadas ou não sabe simular penaltys?

Nulo

09.02.16, Francisco Chaveiro Reis

 

img_757x426$2016_02_08_21_08_02_512909.jpg

Com quase 40 mil nas bancadas a apoiar, o Sporting não conseguiu bater o Rio Ave e perdeu a liderança. Na estreia de Coates, o Sporting teve uma primeira parte dominadora mas, apesar de ter a iniciativa de jogo, nunca conseguiu bater Cássio. Ruiz, isolado por um ressalto, teve a melhor oportunidade do primeiro tempo. Falhou. Na primeira metade, destaque para Coates, seguríssimo a defender, bem na saída de bola e corojasoso a ir ao ataque desiquilibrar; Zeegelaar, a fazer esquecer Jefferson e Adrien, sempre a puxar a equipa para a frente. Já Téo e William nada acrescentaram e a sua saída só pecou por tardia. Na segunda parte, destaque para o pulmão de João Pereira, muito criticado aquando da sua chegada, que aos poucos se vai assumindo como jogador de destaque. Barcos estreou-se mas não conseguiu fazer mais do que os companheiros. Semedo rendeu o lesionado Oliveira e esteve em bom plano. O Sporting foi sempre superior, rondou sempre a baliza adversária mas mostrou-se incapaz de marcar. O Rio Ave jogou com onze atrás da bala, espreitando o contra-ataque e fazendo antijogo sempre que possível. Graças à diferença de golos marcados, o Sporting desce para segundo. Nada está perdido.