Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

...

28.09.15, Francisco Chaveiro Reis

quijote_clasico.jpg

 

Bruno de Carvalho fez ontem um longo discurso atacando em várias frentes: arbitragem, Benfica, Marítimo ou direcções anteriores. Terá razão em quase todos os dossiers mas, enquanto não for campeão e não apresentar uma equipa bem melhor do que a actual, parecerá apenas alguém que se quer desculpar do insucesso. E será ignorado, miniizado ou gozado.

Sporting encalha no Bessa

28.09.15, Francisco Chaveiro Reis

1024.gif

 

Os três grandes continuam a jogar pouco, tendo em conta aquilo que deles se esperava. Ainda, assim, dois deles, Porto e Sporting, continuam a liderar e o terceiro, Benfica, olha para eles de perto, com menos dois pontos.

 

Na sexta, o FCP, em poupanças para a receção ao Chelsea, empatou em Moreira de Cónegos. Na vila minhota, até marcou primeiro, por Maicon mas Iuri Medeiros empatou. Corona voltou a adiantar os portistas. Aos 88 minutos, Fontes fez o 2-2 final. No dia seguinte, o Benfica venceu e aproximou-se da equipa com a qual tinha perdido no fim-de-semana anterior. Jonas desbloqueou um jogo dificil, com um grande golo. Guedes e Jonas deram o 3-0 final. Melhor resultado do que a exibição.  

 

E o Sporting, que poderia ter-se isolado na liderança, falhou redondamente no Bessa. O Boavista foi um adversário combativo e a arbitragem foi má, mas pior foi o futebol do Sporting. O futebol ofensivo da equipa de Jesus depende de um jovem extremo que deveria ser lançado aos poucos. Por falta de opções, é nos seus ombros que caem as esperanças leoninas. E, por muito bem que jogue, é jovem e tem que ter espaço para errar. Ruiz parece ainda muito cansado e a jogar fora da sua posição e Téo não rende. Estes dois reforços, experientes, com créditos firmados e com altos salários não estão a ser os jokers que se esperava que fossem. A isto soma-se os eclipses de João Mário, Jefferson ou Montero. Mais valias, para já, apenas Gelson, Adrien e Slimani. Não chegam. De saudar o regresso de William mas, o futebol ofensivo, esse, está muito carente.

Salpicos de cor da Nike

23.09.15, Francisco Chaveiro Reis

unnamed.jpg

Com a mudança de estação e os dias mais curtos, a Nike Football lança o Electro Flare Pack, com salpicos de cor de alta visibilidade. Os quatro silos Nike Football estão representados no novo pack, bem como as NikeFootballX para relvado e indoor, as MercurialX, MagsitaX e as HypervenomX.

O Nike Electro Flare Pack vai estar disponível a partir de 26 de Setembro exclusivamente através da App Nike Football e a partir de 28 de Setembro em Nike.com. Os jogadores profissionais vão começar a utilizar as novas botas já esta semana.

Sem brilho, lá em cima

22.09.15, Francisco Chaveiro Reis

487915.png

 

O Sporting venceu o Nacional, conta quatro vitórias e um empate em cinco jogos e está em primeiro lugar, com os mesmos 13 pontos que o FCP. O problema é que o Sporting voltou a não convencer, fazendo uma exibição sofrível, plena de passes falhados, erros defensivos infantis e maus cruzamentos.

Jesus apostou em: Patrício, Esgaio, Oliveira, Naldo e Jefferson, Gelson, Adrien, Mário e Ruiz, Téo e Slimani. Esgaio parece ter ganho o lugar a Pereira e ontem teve um posicionamento interessante. Até à expulsão de Sequeira, atacou menos que Jefferson e fletiu muitas vezes para o centro, apoiando os centrais. Mas, Esgaio, em quem tenho fé não fez muito para justificar a aposta, hesitando muito e cruzando pouco e mal. No centro Oliveira e Naldo estiveram relativamente bem e Jefferson foi o do normal: mais um atacante sempre a fazer cruzamentos e menos um defesa.

No meio, Adrien e Mário estiveram bem e Gelson, à direita, foi voluntarioso. Nem sempre decidiu bem mas é óbvio que o talento está ali. Já Ruiz, continua a mostrar bom toque de bola mas dá a sensação de falta de entrosamento e de muita lentidão. Parece que o costa-riquenho renderia muito mais ao centro.

Na frente, mais um tiro ao lado de Téo. O colombiano tem qualidade mas não dura mais que uns fogachos. Neste momento, Téo nada acrescenta. E, a acrescentar, será a 9. Slimani continua muito disponível mas a falhar na concretização, a sua principal tarefa. Montero e Mané entraram bem e fabricaram o único golo. Martins trouxe pouco ao jogo. Não que tenha jogado mal mas não fez nada de diferente ou diferenciador.

Dá ideia que este Sporting renderia mais em 4-3-3 com meio mais preenchido, Slimani fixo e Ruiz na esquerda com mais possibilidade de fletir para o centro e criar perigo.

Pág. 1/4