Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

Arranca amanhã

14
Jun13

 

Começa já amanhã a Taça das Confederações, o ensaio-geral para o Mundial de Clubes. Pedro Proença será o árbitro do Brasil-Japão, partida inaugural. A competição pretende testar a capacidade de organização do Brasil, enquanto país, mas quererá dar, claro, um cheiro de bom futebol. Para isso, oito equipas vão jogar, divididas por dois grupos. No A, Brasil, Japão, Itália e México. No B, Espanha, Nigéria, Taiti e Uruguai. Duas equipas de cada grupo seguem para as meias.

 

O Brasil, a jogar em casa, com elenco que inclui Neymar, Lucas, Óscar, Bernar ou Hulk, é favorito mas, a Espanha, campeã mundial e europeia conta com Silva, Fabregas, Xavi ou Iniesta para fazer uma desfeita. No grupo A, penso que passa o Brasil, a segunda vaga sairá de um lote de três belas equipas. A Itália, pela história mais do que pela atualidade, é favorita. Mais fraca do que o habitual, a equipa de Prandelli, conta, ainda assim, com El Shaarawy ou Balotelli para além do veterano Pirlo. O Japão, já apurado para o Mundial, é uma equipa bem organizada, treinada por Zaccheroni e que conta com individualidades como Honda, Hasebe ou Kagawa. Por fim, o México, campeão olímpico, que tem Chicharito e Dos Santos como estrelas.

 

No grupo B, aposto no apuramento de Espanha e Uruguai. A Espanha continua a ser uma das equipas mais fortes do mundo e o Uruguai, após um bom Mundial 2010, continua a evoluir graças a Cavani, Suarez ou Forlán. Na Nigéria, destaque para Elderson e Ogu, que jogam em Portugal; para as estrelas Musa e Mikel e para Oboabona, que apesar da qualidade, ainda joga na Nigéria. No Taiti, o destaque é para Marama Vahirua, de 33 anos, o único que joga fora do Taiti. Vahirua, hoje na Grécia, fez carreira em França, no Nantes, Nice, Lorient, Nancy e Mónaco.

 

Espera-se, claro, uma final Brasil-Espanha.

Livres

14
Jun13

 

No fim de junho acabam os contratos da maioria dos jogadores a atuar na Europa e de outros, um pouco por todo o mundo. Alguns são alvos apetecíveis para as grandes ligas, outros poderiam continuar a carreira em ligas mais pequenas, como a nossa.Conheçamos então, a lista de jogadores livres que podem, em breve, assinar por novos clubes, a custo zero (se bem que nestes casos seja hábito pagar uma determinada quantia de prémio de assinatura).

Guarda-redes

A liga inglesa tem homens de qualidade para a baliza: Turnbull (Chelsea); Fabianski (Arsenal); Sorensen (Aston Villa) e Schwrazer (Fulham) podem ser bons reforços para equipas da liga inglesa como Norwich, Sunderland ou Stoke, por exemplo.

 

Defesas laterais

O promissor Muniesa e o experiente Abidal, ambos do Barcelona, são opções de qualidade para equipas de média dimensão europeia. A confirmar-se as saídas de Cédric, Arías e Lopes, Muniesa, que também pode ser central, seria uma bela opção para o Sporting. Hilbert (Besiktas) seria uma boa opção para equipas de topo de ligas como a portuguesa, grega, holandesa ou francesa. Simpson (Newcastle) pode ser figura de uma equipa de meio da tabela em Inglaterra.

 

Centrais

Desta lista destaca-se Douglas. O brasileiro do Twente merece, aos 25 anos, dar o salto. É uma opção segura para gigantes como a Juventus, Inter, Milan ou mesmo Real Madrid. Gallas ou DeMichelis, veteranos, podem ser úteis a clubes de outra dimensão em ligas competitivas.

 

Médios defensivos

Flamini, aos 29 anos, após experiências no Arsenal e Milan pode ser um elemento útil a qualquer equipa europeia. O francês defende e ataca, marcando alguns golos e vejo-o a evoluir, por exemplo num Tottenham. Denilson, ex-São Paulo e Arsenal tem, aos 25 anos, qualidade para singrar em clube exigentes. Vejo-o num Atlético de Madrid. O maliano Diarra, após Lyon, Real e Fulham, pode ser importante para equipas de ligas menos competitivas. Pode ser o 6 de equipas como Panathinaikos, Besiktas ou Sporting.

 

Médios ofensivos

Arshavin, livre, pode, enfim rumar a Espanha, seu desejo de sempre. Já não chegará ao Barcelona mas, vejo-o, num Sevilha, por exemplo. Ainda terá uns dois anos de bom futebol. Malouda, após um ano encostado no Chelsea, tem muito para dar. Um regresso ao Lyon ou o futebol italiano seriam boas opções. Seria um bom reforço para Milan ou Roma.

 

Extremos/segundos avançados

Ari, após Spartak e AZ, é um jogador que gostaria de ver no meu Sporting. Não é estrela para equipas de topo mas brilharia em Portugal, Grécia ou Turquia. Neste lote há homens experientes como Jovanovic, Benayoun, Gera ou Pennant.

 

Pontas de lança

No ataque  há jogadores de classe mundial como Santa Cruz, Saviola, Pizarro ou Bendtner. Se os três primeiros procuram dar continuida as carreiras, já o dinamarques procura um clube onde possa demonstrar o seu génio goleador após falhar na Juventus. Aos 25 anos, vejo-o na liga alemã. Leverkiusen ou Shalke seriam boas apostas.  Num nível mais baixo estão Petric, Marica ou Milvesky, a jeito de equipas de meio da tabela das principais ligas ou de equipa de topo de ligas secundárias. Para o meu Sporting apostaria em Afonso Alves, internacional brasileiro de 32 anos, que acaba contrato com o Al-Gharafa.

 

22 anos

14
Jun13

 

André Carrillo vai para a terceira época no Sporting. Veio do Alianza Lima e cedo conquistou os adeptos pela sua velocidade e técnica. Demora a dar o salto e a ser mais constante mas é dos melhores elementos do plantel. E só hoje faz 22 anos. Vai a tempo de dar muitas alegrias. Parabéns.

Porta de saída enorme. De entrada, pequena.

14
Jun13

 

 

O Sporting está vendedor. Pelo que se escreve, os seus principais ativos até já têm preço atribuído: Patrício - 10 milhões; Cédric - 4; Lopes - 3; Rojo - 5 e Capel - 7. Arías, Adrien, Ilori, Schaars, Bruma, Labyad e Bojinov são referidos como transferíveis mas ainda não ouvi valores. A intenção será fazer entre 20 e 30 milhões e posicionar-se como clube com real intenção de baixar custos.

 

Patrício foi o melhor jogador do Sporting nos últimos anos e o próprio disse várias vezes ser feliz em Alvalade mas, é o jogador que mais pode render e a sua saída é uma certeza. Tenho pena mas penso que a baliza fica bem entregue a Boeck, após dois anos de paciência, a jogar pouco mas bem sempre que chamado e a torcer muito por fora, o que ganhou o coração dos adeptos.

 

Cédric, Arías, Lopes, Adrien ou Bojinov pouco fizeram pelo Sporting e por propostas interessantes, devem sair. Capel, adorado pelas bancadas, deve sair, pois pode render alguns milhões, importantes, e quererá evoluir numa liga mais competitiva. Schaars, após uma boa primeira época, pouco fez em 2012/2013 e deve também sair.

 

A estes, juntam-se Boulahrouz, Onyewu ou Jeffrén.

 

Rojo, Ilori, Bruma e Labyad são homens de grande futuro que penso que devem ficar, custe o que custar. São jovens, três deles podem ir ao Mundial e daqui a um ano podem ser negócios muito bons.

 

Rojo não deve sair, muito menos por 5 milhões, pois, como titular da seleção argentina, pode render o triplo no verão de 2014. Ilori e Bruma, a serem titulares do Sporting e com a qualidade que têm podem ir ao Mundial e ser negócios com valores altíssimos após a competição. Já Labyad, que quer ficar, é um jogador de grande qualidade que pode explodir, assim tenha condições para isso. O regresso à Holanda, deve ser travado.

 

O clube tem que poupar, tem que comprar bem mas deve manter uma espinha dorsal.

 

No que toca a entradas, fala-se em Pizzi e Felgueiras. Ambos têm qualidade para jogar a Alvalade.