Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Visão do Peão

Visão do Peão

2-1 ao Moreirense

scp.jpg

Os tempos do futebol bonito de ataque de Keizer já eram mas o Sporting lá venceu o Moreirense por 2-1 com golos de Nani e Fernandes, num jogo em que Bas Dost voltou a passar ao lado da partida e em que Diaby voltou a testar a paciência dos adeptos. Acuña, de saída, foi um dos melhores em campo e o Sporting continua em quarto a 2 pontos do Braga, 3 do Benfica e 8 do Porto. 

Kuba volta a casa

03dktkpTURBXy9iMGU2MzA5MDhjNjIzOTg2ZmNiNmYzNzUyZDI

O médio polaco Jakub Błaszczykowski, conhecido como Kuba, acaba de regressar ao Wisla de Cracóvia, após dez anos na Bundesliga. Até aqui nada digno de nota. O que é notícia são as condições em que volta. Mesmo sendo um dos maiores clubes polacos (13 campeonatos conquistados), o Wisla passa por difícil situação económica e Kuba não só não irá receber qualquer euro pela sua prestação como ainda emprestará cerca de 300 mil euros para fazer face aos ordenados em atraso dos colegas. Fundado em 1906, Wisla ocupa a oitava posição da liga polaca. Para além de Kuba, apenas o veterano (38 anos), Marcin Wasilewski é um nome minimamente reconhecível, uma vez que passou por Anderlecht e Leicester.

Kuba, de 33 anos, começou no modesto KS Częstochowa antes de rumar ao Wisla, para três épocas de grande nível (um campeonato ganho) tendo transitado para o Borussia Dortmund onde passou 8 anos, tendo vencido dois campeonato e ido à final da Liga dos Campeões. Ainda passou um ano na Fiorentina, antes de regressar à Alemanha onde fez dois anos e meio pelo Wolfsburgo, sem o mesmo fulgor de antes. É o homem mais internacional de sempre pela Polónia.

No ponto de vista pessoal, a sua vida fica marcada pela tragédia do assassinato da mãe à mãos do pai, na sua presença.

Nulo

img_920x518$2019_01_12_20_35_44_1493100.jpg

Aos 80 minutos, Marcel Keizer, foi obrigado a tirar Wendel do jogo, por lesão. Estando empatado a zero bolas e tendo necessidade de vencer o jogo, não lançou Luiz Phellype nem sequer Jovane. Lançou Petrovic. Bem sei que nem sempre ter mais avançados é igual a ter mais poder de fogo mas teria dado um sinal de ambição aos jogadores e adeptos. O resultado ficou 0-0 e o Sporting mantém-se a 8 pontos do FCP. O Benfica, que venceu nos Açores, foi o vencedor da jornada, com este empate e com aquele que se deu entre Portimonense e Braga. Renan, Mathieu e Gudelj foram os homens mais do Sporting. 

O mercado do Sporting

104852360-GettyImages-137084202.530x298.jpg

O plantel do Sporting parece ser curto em opções de qualidade, algo que a janela de transferências de janeiro poderia resolver. Keizer ofereceu semanas de bom futebol e muitos golos mas as fragilidades defensivas desde logo reveladas têm-se vindo a acentuar à medida que o ataque vai sendo anulado. A 8 pontos do primeiro lugar e com uma receção ao detentor desse mesmo posto, esta semana, o título pode ficar a 11 pontos de distância, algo quase impossível de ultrapassar. Mas o Sporting quer fazer boa figura na Liga Europa e não desdenharia vencer a Taça de Portugal e a Taça da Liga.  Mesmo que o título seja cada vez mais uma miragem (se bem que ainda falta muito campeonato), a necessidade de aumentar a qualidade é óbvia. Mas em mais uma fase de reconstrução, o Sporting não tem o que mais precisa para ir de forma eficaz ao mercado: dinheiro.

Para já, chegaram Francisco Geraldes, vindo de um empréstimo ao Frankfurt onde nem somou um minuto e Luiz Phellype, com currículo e golos em equipas portuguesas de segunda linha. São falados Tiago Ilori (central das escolas do Sporting que passou por Liverpool, Bordeús ou Granada antes de chegar ao Reading), Idrissa Doumbia (médio de 20 anos que atua na liga russa) e Rafael Camacho (extremo das escolas do Sporting que viria emprestado pelo Liverpool). Borja (defesa esquerdo do Toluca) é falado para render Acuña, caso o argentino seja vendido. Nenhum destes nomes entusiasma verdadeiramente.  São o possível com o orçamento disponível mas não parecem ser o que o Sporting necessita para combater os seus rivais. Um defesa central de qualidade (Ilori pode sê-lo), dois laterais, um médio defensivo, um extremo e um ponta de lança eram muito bem-vindos já. Nomes que pudessem dar luta aos titulares. Mas já se sabe que o orçamento é apertado e que não se arranjam Cesáres Prates, Andrés Cruz ou Mbo Mpenzas do pé para a mão.

A luz ao fundo do túnel será a venda de Acuña por uma verba não inferior a 20 milhões, a possibilidade de recebermos alguma verba do Atlético por Gelson, não inferior a 20 milhões e o alívio salarial e possíveis encaixes que as saídas de excedentários como Lumor, Misic, Mané, Castaignos e mesmo Montero, podem permitir.

Em maio, ninguém imaginava que o Sporting pudesse ter um plantel tão competitivo mas é natural e legítimo querer sempre mais. É preciso perceber o momento mas o adepto comum quer é vitórias.